Site Meter

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Voyeur

Creio que todos nós temos esta característica.
Uns mais acentuada que outros, como seria expectável.
Existirão também alguns que nunca descobriram este lado "visual".
Se a ausência de estimulo visual pode levar ao estimular acrescido de outros sentidos, o presenciar de situações "in loco" é quase uma sobrecarga sensorial da visão.
Todos nós já assistimos a variadas cenas em filmes, sejam eles de conteúdo romântico, erótico ou mais pornográfico. Todos nos identificamos mais ou menos com determinadas situações, locais, intervenientes ou cenários. E certamente já desejamos estar presentes, fosse como participantes, quer como observadores.
Talvez a maioria das pessoas já tenha passado por um automóvel estacionado, à noite, em um local reconhecidamente associado a "namoros" e não tenha evitado olhar, na tentativa de "confirmar" o que o casal estaria a fazer.
Talvez ao passar numa rua mais escura, tenham reparado num casal de namorados num recanto e não tenham evitado "escrutinar" o que estariam a fazer.
Talvez num qualquer local de férias, num normal passeio pela praia, de dia ou à noite, tenham reparado num casal mais isolado e não tenham evitado olhar discretamente.
A pergunta que faço é: e se tivessem a certeza que ninguém sabia que vocês estavam a olhar? Como se estivessem por detrás de um daqueles vidros que não permitem saber quem lá está? Ou se assistissem, através de uma qualquer câmara de vigilância  no conforto do anonimato?
O facto de ninguém saber que vocês observam não tornaria tudo mais fácil e menos "vergonhoso" para que o pudessem fazer?

Imaginem então outro tipo de situação....... algo do tipo em que estão com o vosso ou a vossa parceira e têm diante de vocês duas ou mais pessoas entregues a práticas de prazer e volúpia, que sabem que vocês os observam e não só estão confortáveis com isso como ainda retiram prazer de saber que estão a proporcionar prazer?
E se ainda assim vocês não se sentiam completamente confortáveis, que podiam estar por detrás de máscaras que não permitissem reconhecer-vos? Mudaria algo? Já pensaram nisso? Já fizeram isso? Nunca desejaram isso? Nunca fantasiaram com isso?
Que efeitos isso nos provocaria? Que efeitos isso provocaria ao parceiro(a)? Teriam vontade de se entregar a toques, caricias, comentários mais ousados ou algo mais? Desejariam ser assistidos também? Desejariam estar no lugar de quem estavam a observar?
Somos visuais por natureza, os olhos também comem e temos apetites visuais!
Porquê fechar os olhos para "ver", quando o que está à nossa frente pode e merece ser visto e apreciado?
Conseguem visualizar?????

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Squirt

Será mito ou verdade?
Muito se fala sobre isto e para alguns é obra da ficção dos filmes porno, para outros não passará de incontinência urinária e para outros a mais pura das verdades.
Certamente não estará ao alcance de todas as mulheres, certamente não terá acontecido com todas e muito certamente quem já teve poderá não saber explicar como ou porquê.
Diz-se que o liquido da ejaculação feminina ou "squirt" é produzido nas glândulas de skene (também chamadas de Ductos Parauretrais de Skene) e que portanto nada tem a ver com urina ou lubrificação, sendo incolor e inodoro.
Quantos de vocês já vivenciaram tamanha manifestação de prazer? Quantas de vocês já tiveram?
Haverá algo que queiram partilhar?
Haverá uma "formula secreta" de atingir?
Fica ao vosso critério partilhar......

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Unfaithful

Por vezes dou por mim a fazer algumas considerações e a tentar debruçar-me sobre determinado assunto.
Desta vez, queria expor algo que deve ser bastante comum a todas as pessoas que têm um relacionamento estável.
As traições só o são quando existe algo físico ou poderão ser consideradas também quando existem pensamentos de traição?
Ter o desejo de estar com alguém fora do relacionamento não é algo comum?
Nem que seja imaginar como seria?
Quem nunca pensou que era outra pessoa que estava a ali a ter sexo em vez do parceiro(a)?
E que até tiveram prazer a imagina-lo?
Será isso uma traição?
Calculo que se o for, todos ou praticamente todos já teremos traído....
O que me leva a questionar, quantos de nós, tiveram ou teriam a coragem de o admitir aos seus parceiros!
Provavelmente é daquelas coisas que ninguém nos pergunta mas..... seriamos capazes de o admitir? Que já o fizemos?
Será que os nossos parceiros já não o fizeram também?
Como será que reagiríamos ao sabe-lo?
Já pensaram no quanto poderia ser interessante poder dizê-lo e fantasiar em voz alta durante o sexo?
Já pensaram no quanto poderia ser interessante poder ouvi-lo e imagina-lo durante o sexo?
E uma vez mais, não passariam de pensamentos e imaginações e como tal......seriam traições ou simplesmente..... apenas mais um motivo de tesão?
Fica a questão, juntamente com todas as anteriores e já sabem.... sintam-se livres de contribuir também!