Site Meter

quarta-feira, 27 de dezembro de 2006

O ano em revista


Resolvi redigir este post por uma razão muito simples, pelo menos para mim: acho que faz todo o sentido, no final de cada ano, olhar para trás e analizar o que foi feito nesse mesmo ano.
Vantagens? Pode permitir concluir que não fizemos nada daquilo que queriamos, podemos chegar à conclusão que ficaram algumas coisas por fazer, que atingimos tudo a que nos propusémos e tem ainda a enorme vantagem de através dessa mesma análise podermos melhorar e talvez seja esta a principal razão pela qual entendo ser pertinente fazer isto.
Isto é válido para os nossos empregos, para a nossa família, para os nossos projectos e sonhos, bem como para a nossa vida sentimental. Ah e neste caso concreto, para este blog!
Assim, e atendendo que estou a falar do ano de criação deste blog, e que até nem corresponde a um ano inteiro pois este foi criado em julho, para ser mais preciso, a 2 de julho de 2006, a análise será feita então apartir desse mesmo primeiro post.
Então vejámos:
O que este blog não trouxe: mentiras! O que escrevi ao longo deste tempo, reflecte ou o que penso ou o que passei e sinto, sem recorrer a falsidades ou a contos que talvez fossem mais do agrado do comum visitante. Ah e não houve cópias.
O que este blog trouxe: pelo menos na minha interpretação, uma visão muito pessoal do que é o tesão, das formas que são possíveis obtê-lo (algumas), um espaço de opinião relativamente a esta questão ( e outras) e ainda a possibilidade de quem o lê adoptar, se quiser, algumas das coisas que aqui digo e são comentadas.
Os posts que menos gostei: excluíndo aqueles que faziam alusão ao número de visitantes(1000 e 5000), destaco o Politicamente correcto......ou talvez não..... e Na despedida, talvez por não ter conseguido transmitir muito bem o que era o objectivo dos mesmos.....
Os posts que mais gostei: Catalizadores do tesão - Audição, Visão, Tacto, Olfacto, Gosto e Líbido, Uma noite diferente e Que pensar?. Uns porque me deram um gozo tremendo de escrever e viver, outros pelos temas que encerram e pela participação dos leitores.
O que menos gostei de ver aqui: algumas visitas que apenas pretendem publicitar os seus blogs e que fazem questão em escrever os seus links e ainda utilizadores que não possuem blogs. Claro que para ler e postar não é necessário ter um mas entendo que os blogs reflectem também um pouco de cada um.
O que mais gostei de ver aqui: pessoas fantásticas que escrevem excelentemente e que passei a visitar, bem como comentários pertinentes que ajudam a ter um blog que me dá prazer de gerir.
O que não me trouxe este blog: dinheiro, tristeza e tempo.
O que me trouxe este blog: a possibilidade de ser quem sou, de escrever o que penso e sinto sabendo que tenho como retorno as opiniões de quem lê, pessoas amigas, prazer e possibilidade de ler gente tão tesuda e fascinante.
O que este blog não vai trazer: hipocrisias, mentiras ou plágios.
O que este blog vai trazer: a verdade, o tesão e a pertinência. Provavelmente colocarei mais questões que julgo importantes, sem nunca deixar a raiz que caracteriza a criação deste blog: o tesão.
E pronto, esta é a minha análise, a minha forma de ver o que foi feito até aqui. Quem quiser opinar que o faça pois este espaço é meu, mas é também de todos os que o lêem.
Uma excelente despedida deste ano e um 2007 cheio de coisas que queremos! Tão boas que até chateiam:)
São os votos do Noivo!

terça-feira, 26 de dezembro de 2006

Na despedida

Ora bem, agora que já passou o tempo das prendinhas e das renas, estamos quase no fim do ano.
Não sei porquê mas sinto que me devo despedir deste ano de uma forma....marcante, tesuda, inesquecível.....
Sugestões? ;)

domingo, 24 de dezembro de 2006

Super Natal!

E porque jamais poderia deixar de desejar um Natal a todos que por aqui passam, aqui fica um bom exemplo de como o pai natal também recebe prendas:)
Bom Natal!

quarta-feira, 20 de dezembro de 2006

Que pensar?

Que dizer acerca da infidelidade? De todo inaceitável, perdoável ou compreensível?
Mal menor numa relação, escape de rotinas, falta de amor, falta de respeito?
Será igual trair com uma pessoa do mesmo sexo ou uma aventura bissexual?

Será a curiosidade não assumida, a vontade não partilhada ou o desejo escondido?

Será que desejar outras ou outros é considerado também como ser infiel? Será que uma conversa mais ou menos picante por exemplo pela net ou por sms é, poderá ser ou não é traição?

É que por vezes leio e ouço certas coisas que me fazem pensar bastante em toda esta questão. Aqui partilho esta questão, aqui espero a vossa contribuição. Quem já o fez, quem nunca o fez, quem pensa fazer ou quem diz que desta água não beberá! Todos.

sábado, 9 de dezembro de 2006

Hoje mando eu!

VEM CÁ!
Deixa tudo que estás a fazer e vem rápido. Vem depressa que a minha vontade de te ter junto a mim é enorme......
OLHA-ME!
Observa através do meu rosto e do meu olhar o quanto te quero.....
BEIJA-ME!
Encosta os teus lábios nos meus e deixa-me sentir essa textura que conheço de olhos fechados......
AGARRA-ME!
Puxa-me para ti e deixa-me ter o teu corpo junto ao meu.....
TOCA-ME!
Passa no meu corpo as tuas mãos, nos locais que tão bem conheces.....
DESPE-ME!
Tira-me estas roupas que não me deixam sentir-te melhor, vê o meu corpo nú que te quer.....
DEITA-ME!
Coloca-me vulnerável a ti e deita-te sobre o meu corpo ansioso por te ter......
DEVORA-ME!
Usa a tua boca para me saboreares, para me enlouqueceres.....
POSSUI-ME!
Mostra-me o quanto me desejas e deixa-me sentir a tua vontade em mim.....


AMA-ME!
Faz-me sentir amado neste diálogo carnal, como só tu sabes fazer.....
SATISFAZ-ME!
Faz-me sentir um orgasmo intenso, com urgência do teu......
VEM-TE!
Comigo, os dois, num só momento, único e arrebatador....

HOJE MANDO EU E VAMOS REPETIR TUDO DE NOVO.....AGORA!

AMO-TE.....

quinta-feira, 30 de novembro de 2006

Uma noite diferente

A visita já estava programada.
Foi necessário aguardar por um fim de semana em que ambos tivéssemos disponibilidade e isso aconteceu. Planeámos tudo, horários, local para ela se encontrar comigo quando saísse do emprego, disse-lhe para fazer a viagem com calma porque eu não ficaria despachado do que me tinha levado àquela cidade tão cedo. E assim foi. Mais ou menos à hora e local marcado lá estava ela. Esperou um pouco e lá apareci eu, já livre de compromissos, livre de trabalho, pronto para disfrutar-mos da cidade e de um dos seus atractivos.
Dois ou três telefonemas depois, já sabiamos o local e a hora para comparecer ao que nos tinha levado nesse dia ali. Uma certa excitação começava a consumir-me, um pouco de nervosismo também.
Procurámos um local para jantar e lá fomos saciar os nossos estômagos vazios e ansiosos de sentir algum peso no interior. O jantar foi calmo, conversámos imenso, planos para aqui, projectos para ali, visitas a fazer, coisas para comprar, enfim....um agradável jantar onde não faltaram algumas provocações, alguns olhares cúmplices e um acompanhar das horas a passar, na companhia de umas boas bebidas.
Já no carro, a dirigirmo-nos para o local, alguns comentários acerca de como seria, do que iríamos encontrar e sobre a vontade de finalmente conhecer o espaço.
- Tás nervosa?
- Não e tu? Estás?
- Também não amor.
Entretanto chegámos. Alguma dificuldade em arranjar lugar para estacionar e algumas voltas (grandes) depois, lá fomos levantar dinheiro a um multibanco e fomos para a entrada.
A quantidade de carros à porta era revelador da quantidade de pessoas que estavam no interior, algumas matrículas estrangeiras deixavam antever uma lotação em várias línguas também. Ninguém à porta. Apenas uma luz a iluminar. Quando estavamos quase a tocar à campaínha a porta abriu-se demonstrando que nos estavam a observar e que tinham visto o beijo apaixonado que déramos mesmo antes de a porta se abrir.
- Boa noite! disse o porteiro
- Olá, boa noite. Somos ..........., dissémos nós
- Concerteza. Façam o favor de entrar, já estava a aguardar a vossa chegada. Vou chamar os ...... só um minuto por favor.
Menos de um minuto depois estávamos a ser recebidos pelos gerentes, super gentis, super atenciosos e que fizeram o favor de nos mostrar todas as instalações.
O espaço estava muito bem concebido, uma decoração a condizer e o ambiente......bem, era de uma uma sensualidade a toda a prova! Os homens estavam muito bem vestidos, de forma descontraída é certo mas bem vestidos e as mulheres......estavam simplesmente fabulosas! Vestidos muito sensuais, decotes do tamanho do mundo, transparências para todos os gostos.....em resumo, um tesão só de olhar! A grande maioria das pessoas eram da nossa faixa etária e talvez não tenha sido por acaso que a música estava ao nível das melhores discotecas. Tudo junto, criava um ambiente pleno de erotismo, sensualidade e excitação. A forma como dançavam, como trocavam olhares, como se abordavam, como conversavam até, como se moviam.....e nós estávamos também a deixar-nos levar pelo clima que impera naquele local.
Dançávamos, beijávamos-nos, bebíamos, dançávamos, beijávamos-nos, bebíamos e o ciclo estava tão bom que seria quase um sacrilégio interrompê-lo. Era apenas apimentado por umas trocas de olhares que apanhávamos na nossa direcção e por algumas frases que dizíamos um ao outro acerca da excitação que estavamos a sentir.
Ao fim de certo tempo, uma ou duas horas, começámos a observar um certo movimento de pessoas que se dirigiam ou vinham de uns espaços que já tínhamos conhecido aquando da apresentação do local pelos gerentes. Talvez levados pelo clima de ousadia que imperava naquele ambiente, decidimos deslocar-nos da pista também para averiguar melhor esses espaços. O que encontrámos está ao nível das mais loucas fantasias, da maior sensualidade, do maior clima de excitação que já encontrámos.
Passando por uma cortina, entrámos num hall não muito espaçoso, com muito pouca luz, quase escuro, e esse espaço dava para 4 entradas, duas com portas, uma com apenas uma cortina e uma outra divisão que não tinha porta, que era como se fosse uma parede para o hall mas dentro da qual havia uns sofás e de onde era possível ver o hall através de uns buracos. Não muito devido à pouco luz mas o suficiente para destinguir as formas de quem se encontrava no hall. Levados pelo clima, deixámo-nos estar por ali nesse espaço escuro, encostados à parede junto à entrada. Ela encostou-se à parede e começamos a beijar-nos loucamente, as nossas mãos procuravam o corpo do outro como se fosse a última vez que tal acontecia, a penumbra permitia que as nossas mãos percorressem o outro por cima das roupas sem que ninguém o visse, pelo menos explícitamente e a excitação começou a subir exponencialmente com a respiração de cada um, com os gemidos que começávamos a ouvir de outros casais que sabíamos estarem ali a partilhar aquele pequeno espaço, mais os que se encontravam no interior das divisões.
Havia também casais encostados à parede que tinha os buracos, dos quais podémos dislumbrar umas mãos, de algumas pessoas que estavam do outro lado, que tocavam os corpos de quem estava encostado, não sabendo no entanto de quem eram essas mesmas mãos........uma loucura. Que tesão! A certa altura os gemidos aumentaram de tom e a nossa curiosidade foi maior que a nossa timidez e chegámo-nos para junto do quarto que tinha a cortina e o que foi possível ver era digno de um famoso filme, de um autor fantástico, de seu último nome Kubrick....só que com menos roupa e sem luxos! Demais! Homem com mulher, duas com um, dois com uma, casal com casal, ela com ela.....só não vimos ele com ele, mas talvez fosse mesmo pela quantidade de gente que não deslumbrámos. Os sons eram altamente eróticos e excitantes....
- Gostas? perguntei eu ao ouvido dela, enquanto a abraçava
- Humm...gosto mais de ver se não souberem que estou a olhar; respondeu ela
Deixámos a cortina um pouco entreaberta, não muito, mas o suficiente para nos afastar-mos e ser possível ver por esse espaço um casal jovem e bem parecido, em que ela estava de quatro e ele a possuía por trás.....enquanto estavam colocados lateralmente em relação à nossa posição. Desta vez era eu que estav encostado à parede enquanto ela me tocava por cima das calças e olhavamos para aquele pequeno show que nos estava a deixar loucos de tanto tesão. Eu estava completamente duro, a minha mão já havia aberto um caminho entre as suas pernas e podia comprovar o quanto ela estava húmida, e parecia que a excitação não tinha forma de parar de aumentar.
De um lado era o casal a foder, à nossa frente era um casal encostado à parede dos buracos, enquanto algumas mãos saidas de lá, percorriam o corpo dela, por cima do top, por baixo da mini-saia, enquanto o homem que estava de frente para ela, a beijava enquanto ela colocava as suas mãos por dentro das calças dele, puxando-o com vontade, já para não falar na excitação que eu sentia com ela a tocar-me já por dentro das calças e dos gemidos vindos de todas aquelas divisões, tendo como som de fundo a música que bombava na pista......
estava a ser difícil de controlar tudo que estavamos os dois a sentir, aquele desejo de sexo, de prazer que nos consome, e sinto-a a baixar-se, encaminhando-se para me lamber, o que começou a fazer de uma forma divinal. Sentia a sua boca quente a envolver todo o meu membro, eu tinha dificuldade em processar tudo o que se estava a passar naquele momento e acreditem que não estav a ser nada fácil aguentar sem explodir na boca gulosa da minha devoradora! neste momento reparei que quem estava do outro lado da parede dos buraços saiu, e rápidamente, num impulso, peguei nela, fomos para lá, sentei-me no sofá, ela sentou-se de costas para mim e começámos a foder, autenticamente a foder como desalmados, completamente loucos de tesão, enquanto víamos através dos buracos, um casal do outro lado a tocar-se, ele a levantar-lhe a saia, o seu rabo quase a entrar nos buracos junto a nós, ela a afastar um pouco as pernas, preparando-se para o acolher dentro de si.........e num impulso trocámos de posição, ficando eu em pé, penetrando a minha menina de quatro enquanto não tirávamos os olhos dos buracos reveladores.....aquilo estava ser demais e quase ao mesmo tempo, eu e ela passámos a tocar na outra que já estava a ser possuída pelo parceiro, enquanto nós a acariciávamos.......não demorou nada, nadinha mesmo a sentir-mos que o orgasmo estava a chegar, sentimos o mesmo do outro casal e de repente foram quatro orgasmos a chegar avassaladoramente, dois de um lado da parede, dois do outro, e no entanto todos ligados entre si, naquela lúxuria que estava a ser aquele momento.......que prazer......que orgasmos......que silêncio repentino....apenas as respirações a ouvirem-se ofogantes......e a rasgar o silêncio...... :
- Tão bom Amor, tão bom.....
- Eu sei Amor, eu sei.....

quinta-feira, 23 de novembro de 2006

Como anda essa iniciativa?

Caros tesudos, hoje fui assaltado por uma dúvida....pensei, repensei e decidi mesmo deixar no ar a questão:
O que fizeram ultimamente para surpreender os(as) respectivos(as)?

Eu deixei um bilhete com instruções precisas logo à entrada da porta, as quais ela cumpriu à risca...
Mais tarde desenvolvo!
E vocês? Digam de sua justiça!


terça-feira, 21 de novembro de 2006

Politicamente correcto......ou talvez não.....

Hoje resolvi colocar aos leitores algumas questões que se prendem com a chegada do casamento.
Então vou dividir isto por três partes:
- Solteiros
- Casados
- Outros
Faço notar que esta divisão tem essencialmente a ver com a forma que cada qual encara a questão. Então é assim;

Solteiros: os que pensam em casar, terão algumas metas definidas? Tipo, o que pretendem fazer até, ou antes de casar? Grandes borgas? Ter o maior número de parceiras(os)? Realizar todas as fantasias? O que não gostariam de deixar de fazer antes de casar? O que acham que todos os casados deveriam experimentar antes do casamento?
Casados: agora que estão casados, o que fizeram que deveria ter sido feito antes do casamento? O que não fizeram e que agora pensam que deveriam ter feito ou poderiam?Todos experimentaram tudo o que queriam antes de casar? O que acham que todos os solteiros deveriam experimentar antes do casamento?

Outros: E vocês? Divorciados, viúvos, sei lá mais o quê......o que têm a dizer sobre isto?
Como já devem ter reparado, espero que este post seja no fundo a palavra dos inexperientes, dos mais ou menos e também de quem já tem essa experiência. Espero o contributo de todos, porque a diversidade das respostas será a mais valia deste post!
Força nesses comentários!

sábado, 18 de novembro de 2006

5000 Visitas!

Não podia deixar de agradecer as visitas de todos e todas que ao longo deste (pouco) tempo têm acompanhado um pouco daquilo que sou, penso e acima de tudo escrevo!
Sinto-me bastante feliz de ver isto crescer, com todos vocês...
E continuem a soltar o tesão que hà em cada um de nós!

domingo, 12 de novembro de 2006

As minhas manias......(algumas)

Para que se perceba o porquê de tudo isto, aqui ficam as regras: Cada bloguista participante tem de enunciar cinco manias suas, hábitos muito pessoais que os diferenciem do comum dos mortais. E além de dar ao público conhecimento dessas particularidades, tem de escolher cinco outros bloguistas para entrarem, igualmente, no jogo, não se esquecendo de deixar nos respectivos blogues aviso do "recrutamento". Ademais, cada participante deve reproduzir este "regulamento" no seu blogue."
A menina Nay, fez o desafio e por isso cá estou a fazer a minha parte. Então vejamos:

1ª- Sou um fumador viciado. Até é algo normal. O que acho que não é normal é que a primeira coisa que tenho de fazer mal acordo e muitas vezes ainda na cama, ter de fumar um cigarro......enfim....2ª- Tenho fixação por pernas e saias! Sério! Talvez seja mesmo a parte da mulher que me chama logo à atenção. Se vou na rua de carro não consigo não olhar se vir uma mulher de saias. Depois fico a pensar se estará a usar aquelas meias de ligas, se usa tanga ou cueca, se as tem vestidas ou não. Claro que por vezes tenho assim umas surpresas desagradáveis pois algumas são bem feiinhas mas pronto, acontece:)3ª- Outra mania que tenho é não resistir a tentar imaginar como será determinada mulher a foder. Isto pode acontecer se a vejo só, e aí imagino como seria comigo, ou se está acompanhada pelo respectivo parceiro, tento perceber como será entre os dois. Por vezes é engraçado porque se fica com uma idéia, outras não consigo entender como duas pessoas aparentemente desenquadradas quer em termos de beleza, quer fisicamente podem ter algo mais íntimo.......enfim, são mesmo as minhas manias.
4ª- Gosto de ter o cabelo mesmo curto. Até aqui tudo bem, no entanto uma grande percentagem desse facto fica a dever-se a não ter que me pentear quando saio de casa e ter sempre o cabelo penteado:)
5ª- Por último, e penso que esta ainda se enquadra nas minhas manias, é o facto de querer sempre dar a segunda foda. É verdade! Mesmo que esteja de rastos, mesmo que esteja satisfeito, havendo vontade da outra parte.........aqui o menino arranja sempre forças para mais....e julgo que deve ser mania porque é uma constante. E acreditem que pode tornar-se desagradável para a parceira:)Agora , tal como fizeram comigo, aqui ficam os desafiados:
Lu
Da Best Of
Noitesbemmontadas
Orgias Femininas
Volupia

sexta-feira, 27 de outubro de 2006

Masturbamix

Cá estou de novo tal como prometido.
Durante a ausência, motivada por questões profissionais, senti a falta dos comentários, de postar, de expressar o que penso e sinto.
Tenho andado muito sexual. Sim, mais do que normalmente. Porquê não é fácil de perceber, nem mesmo para mim, a verdade é que isso tem sido um facto. Tenho por isso dedicado mais alguma atenção à busca do prazer auto-assistido, ao prazer manipulado, à masturbação, à luta dos cinco contra um, que toda a gente sabe como se desenrola. Por vezes tem sido ao acordar, na hora do almoço, nas pausas do trabalho, depois deste, à noite etc……tem sido assim. Curiosamente, constato que nem sempre é tão bom, nem sempre é fantástico, nem sempre tão intenso, no entanto, sempre, sempre bom!
Agora que já corri o risco de ser considerado tarado sexual, talvez conviesse dizer que sempre tive uma relação muito próxima com a masturbação, sempre a vi como algo natural, saudável e didáctico. Também nunca tive, felizmente qualquer problema sexual com a parte feminina que me levasse por estes campos, até porque mesmo quando tenho relações, tenho vontade de me proporcionar também prazer. Talvez isto explique também o motivo porque adoro ver uma mulher a tocar-se, a procurar o seu prazer, querendo chegar lenta e progressivamente o seu orgasmo. Meu deus, que tesão que é!
Adoro sentir uma mão a tocar-me. Já tentaram aprofundar as diferenças sentidas pela mão de alguém em relação à nossa? Mas mesmo a sério? O toque é diferente, a pressão é diferente, a forma de agarrar também, os movimentos, a cadência, a vontade e a estimulação……tudo muda. Não necessariamente para melhor, mas a diferença….está lá e é óptima. È demais! Seja como for estava a falar de mim e não de mãos alheias que não conhecem 50% do que é fazer a nós próprios, por muito que pratiquem e tentem haverá sempre essa diferença. Por vezes há surpresas, mas….
Gosto é de sentir o prazer e a descarga de tensão (ou será tesão), que me proporciono nessas alturas……E vocês?

quinta-feira, 31 de agosto de 2006

Swing


Como também tenho direito a umas pausas, cá estou de novo. Agradeço as visitas mesmo sem postar, bem como os comentários.
E desta vez resolvi abordar algo que no mínimo suscita polémica - o SWING.
Olhado com desprezo por uns, curiosidade por outros e ainda com satisfação por quem já sabe o que é, a verdade é que hoje se fala mais que nunca nesta forma de estar, de encarar a sexualidade, de partilhar fantasias e de as concretizar.
O que leva os casais a este mundo? Será a curiosidade? Será a procura de um ou uma parceira diferente, com o consentimento do respectivo parceiro? Será o prazer de ver o parceiro ou a parceira a entregar-se a outro casal ou apenas um deles, enquanto o mesmo de passa com ele ou ela? Será a cumplicidade que tem de existir entre o casal para que isso possa acontecer? Será uma forma de regressar "à sedução"?; a seduzir e ser seduzido? Será a fuga à rotina da vida sexual do casal? Será a vontade de a apimentar, mesmo que esteja saudável e se recomende? Realmente são muitos ses....
Será que quem conhece o swing passa pela troca de parceiros? Poderá ser apenas uma troca de carícias sem penetração? Poderá ser apenas entre elas? Ou entre eles somente? Será que pressupõe um conhecimento prévio do ou dos outros casais? Será que o factor físico é importante? Será que tem de existir empatia entre os 4 intervenientes? Será que ser swinger é ser também voyeur?
Quem é capaz de o fazer? Quem é capaz de o criticar? Quem nunca imaginou? Será que quem critica, critica também gays e lésbicas? Será comparável? O que é?
Está aberta a sessão....apenas para quem ousa falar sem receio das criticas....

segunda-feira, 14 de agosto de 2006

1000 Visitas!

Queria agradecer a todos aqueles que me têm visitado neste curto tempo de existência do blog. 1000 visitantes! Gostaria que o visitante 1000 fizesse um comentário a dizer quem é, pois gostaria de o felicitar! Obrigado a todos!

quinta-feira, 10 de agosto de 2006

Catalizadores do tesão - Libido

Pois bem, quando julgavam que esta temática havia chegado ao fim, cá estou eu mais uma vez para dizer que na minha opinião, os sentidos estão incompletos. Não sei quem os definiu, também pouco me interessa. È o que penso e contra isso……
Posso tentar argumentar: os sentidos mais não são que uma forma de receber impressões. Impressões essas que são processadas pelo nosso cérebro, que rapidamente nos possibilita assimilar o que estamos a ouvir, cheirar, comer, a ver ou a tocar. Grosso modo é mais ou menos isto. È empírico bem sei, mas é a análise que faço. Já aqui disse anteriormente a forma como esses mesmos sentidos nos dão prazer, são bons, contribuem para o que sentimos, para o nosso tesão. Tudo gira à volta deles. Mas que dizer então do que:
Pensámos? Não nos deixa excitados? Não estamos a ver nada….
Daquilo que imaginámos? Não nos deixa duros? Não estamos a ouvir nada….
Daquilo que sonhamos? Não acordamos com tesão? Não estamos a tocar nada….
Do que temos vontade? Não queremos um orgasmo? Não temos nada na boca….
Do que necessitamos? Não ficamos com vontade? Muito menos estamos a cheirar algo……
È………..para mim isto é a libido, talvez sexto sentido para alguns, a procura instintiva do prazer, sexual claro está!
Segundo o nosso velho conhecido Freud a libido é a “energia psíquica originada por necessidades biológicas primitivas, as pulsões da vida”…….. Foda-se, não estou a gostar disto! Parece que estou a fazer a revisão bibliográfica de um mestrado……enfim…… acho que já perceberam mais ou menos, ou talvez não, onde queria chegar. De qualquer forma o blog é meu :)e vou continuar…lol
Isto tudo para dizer que tenho fantasias, desejos, vontades, caprichos, fetiches como qualquer outra pessoa, que me dão prazer só de pensar…..sem mulheres perto para ver, ouvir, cheirar, saborear ou tocar……. E isto para mim é realmente um catalizador do tesão!
Sem qualquer tipo de pudor, aqui confesso que nunca estive com duas mulheres ao mesmo tempo…..:( Não que essa seja uma fantasia minha…..a minha é estar com três, só para ser diferente dos outros todos :)..lol. Claro que tenho essa fantasia, esse desejo e essa vontade. Porquê? Porque sigo a linha de pensamento que se com uma é fantástico, com duas seria no mínimo a dobrar…. Sentir que estava a ser desejado por duas belas exemplares de fêmeas, uma loira, de longos cabelos lisos, de olhos verdes, alta, de longas pernas bem torneadas assentes nuns sapatos de tacão alto e fino, tendo no corpo apenas um fino body preto transparente…….; a outra era uma morena, de cabelo mais curto e ondulado, olhos negros e expressivos, com um corpo mais compacto, roliço, com uns seios redondos e firmes e um rabo empinado, bem feito e rijo, tendo na pele um lindo conjunto branco, formado por um corpete com ligas e meias, o que fazia sobressair toda a sua sensualidade….. Todo o meu corpo seria percorrido pelas mãos das duas, quatro mãos simultaneamente a dar-me prazer enquanto as minhas faziam o mesmo nos seus corpos. Os beijos seriam uma constante, sôfregos, com imenso desejo, os seus rostos e o meu não disfarçariam a luxúria do momento…… parece que estou a sentir toda a cena…… o meu pau a ser alternadamente chupado, ora uma, ora outra, quase que disputando o privilégio……seria tão bom……uma língua a lamber-me e a outra a brincar com as bolas, que loucura…….imagino tudo isto…..com mais ou menos sal, com mais ou menos pimenta……..uma delas a cavalgar enquanto a outra era lambida por mim, ao ritmo das penetrações da outra…..que sinfonia…..que delícia de momentos….. bem………..isto é apenas e só uma das minhas fantasias.
Neste caso concreto, era apenas para ilustrar um pouco do que penso, do que imagino, do que não raras vezes imagino. Através da libido podemos ir muito longe……e eu não me importo de ir……gosto de me deixar levar……gosto de imaginar……tentar perceber como seria……criar algumas expectativas também, porque não?
Quem sabe um dia não falo mais concretamente das minhas fantasias……não esperem algo do género: fazer amor numa viagem espacial……sou bastante razoável……ou querer três de uma vez é pedir muito?
Vou imaginando......

segunda-feira, 7 de agosto de 2006

Catalizadores do tesão - Gosto

Cá estou eu de novo....É certo que não com a regularidade que gostaria. Nem mesmo com a regularidade que reclamam. Mas vou estando por aqui... Há algo por dizer, por falar, por contar, por escrever, por partilhar, por provar......quem sabe por saborear..... É o risco inerente a falar sobre o gosto......esse sentido sem o qual todos os outros ficam incompletos, pelo menos aqui, neste espaço, nesta ordem de ideias, neste blog, em mim, no que sinto.....
Talvez me alongue bastante até a falar sobre isso…..acho mesmo que já nem sei fazê-lo de outra forma….dá-me prazer……a partilha…..o expor do que sinto.O sentido que nos permite distinguir o sabor das coisas, comandado por aquele já famoso corpo alongado e carnudo, de seu nome língua, situado na boca, faz-me pensar logo nos beijos. Que querem? É mais forte que a minha vontade!
Quem já não sentiu o sabor dos beijos? Por vezes doces, por vezes azedos? Por vezes salgados e outras vezes amargos? Penso mesmo que a maioria dos comuns mortais se limita a beijar sem ter consciência do desfrute do beijo. Haverá algo mais erótico que um beijo? Sentir o seu paladar, o seu sabor, as emoções que nós transmitimos, que recebemos e a forma como se prolongam no nosso corpo e libido……hum……delicioso……
Tomei a ousadia de tentar explicar que o que aqui escrevo é realmente sentido. Como? Transcrevendo algo que li, e com o qual concordo, acerca de como a maioria das pessoas do meu signo sentem o beijo. Vale o vale é certo, mas fica a ilustração:
“Beijar alguém do signo Carneiro é mais ou menos como estar no meio de um terramoto: você não sabe bem como aquilo começou e o que as suas pernas estão a fazer ali em cima enquanto os seus braços estão amarrados com os de outra pessoa. Enfim, o Carneiro é arrojado e, basicamente, triplica a sua impaciência quando o assunto é romance. E se tiver o ascendente em Carneiro, o caso é ainda mais grave... Então, não se admire se for atacada por uma boca ávida e, como tanto fogo tem que ser apagado, não se admire também se o beijo terminar no que vem depois do beijo nos filmes americanos. Momentos tórridos garantidos!”
Não sou eu que o digo……
Gosto de beijar e pronto! Gosto de beijar e pronto! Gosto de beijar e……Beijo!
Uma boca, uns lábios, uma língua, um rosto, um ombro, um braço, etc, etc, etc….Beijo tudo! Detenho-me o tempo que for necessário nos locais que quero e me deixam, até estar saciado e por vezes parece que nunca fico. Gosto de sentir o paladar de cada local. Gosto das reacções que me transmitem esses mesmos lugares. Das texturas, da suavidade, do frio e do calor sentido pela minha língua.
Adoro a boca. Isso é certo. Adoro o corpo. Mais certo é ainda. Deliro com o sexo oral quando o faço. Sim, perceberam bem….Quando o faço. Adoro fazê-lo. Porquê? Reparem….
Em primeiro lugar porque adoro dar prazer, pelo menos adoro tentar dar prazer. Por vezes mais, muito mais que receber. Nunca sentiram uma enorme felicidade em dar uma prenda? Mais do que quando se recebe? De ver a alegria, as reacções, as emoções da pessoa que a recebeu? É isso! É por isso….Em segundo lugar, porque é sápido e como tal, encerra tanto para sentir….E por último, porque me dá tesão…… arrebatador, faz-me sentir usado pelo prazer……o que gosto de dar, e desculpem lá mas isso sente-se tão bem no meu pau……
Nesses momentos, a minha função é dar prazer. A mulher é a deusa e eu sou o seu servo. Com vontade própria é certo mas ainda assim….sou-o. Beijo na boca, demorado……., passear pelo corpo dela a sentir o seu gosto……..lentamente, dirigir-me para o seu íntimo…….com a convicção de que será sublime……e deter-me. Ficar por lá. Até que me mandem embora. Ou não…..Adoro pressentir o que vou saborear….quando percorro com a minha língua a parte interior das pernas, a zona pélvica…..a boca começa a encher-se de saliva, fica húmida, quase que preparando-se de forma inata para o que vem a seguir…..Gosto de sentir o gosto que a ponta da língua sente nos lábios de uma mulher. Não os lábios da boca…dos outros. Daqueles que protegem o mais profundo do seu íntimo. Quem é capaz de dizer a que sabe? Pois bem….se a ponta da língua nos indica o doce…..então é doce que eu sinto, porque eu senti-o! Andar por ali a explorar com a minha boca é o meu objectivo. Sorver tudo que me é dado a explorar. Sentir tudo. Até o tremer do corpo. A que sabe isso? A prazer. Sim porque o prazer também tem gosto. Explico já……
Gosto de passar a língua no seu ânus….gosto das reacções que provoca. Nojo? Não sei o que é isso. Não quero saber o que isso é quando se trata de dar prazer. As reacções que provoca são diferentes de tudo. Nem melhores nem piores. Diferentes. Só não sabe quem nunca o experimentou. Ainda existe alguém? Quero acreditar que não….
Deter-me na zona perineal é fantástico. Sim aquela entre o ânus e a vagina. Só as reacções do corpo dela são capazes de o descrever. Adoro. Saborear os líquidos que ela já tem, lentamente, degustando o seu teor, compostos por tesão desenfreado, de uma colheita privada, num momento “vintage”…….. Deixo de estar sóbrio. Já não me quero retirar dali. Ela também não quer e normalmente faz questão de o demonstrar agarrando-me os cabelos com força…como gosto disso…….Perco-me na sua vagina, vagueio-a com a língua como um tonto que não sabe para onde ir e que portanto, vai de porta em porta, por todos os lugares existentes, nunca encontrando, sempre procurando, sempre lambendo, sempre saboreando, sempre sorvendo e querendo mais. Por vezes encontro um obstáculo, algo mais rijo, com relevo considerável. Não gosto de me deter em obstáculos e como tal, tenho de o contornar. Lenta e vagarosamente, tento por um lado, regresso, tento pelo outro, como que tentando perceber qual deles é o caminho mais……saboroso…..ahhh falo do clítoris…..esse corpo de características únicas, peculiares, super saboroso, super comestível, super delicioso, super tudo! È super! Fico fascinado e portanto tenho de o rodear, permanecer a contorná-lo, a circundar, subindo, sempre lenta e calmamente. Sim, porque estou calmo. Tou duro mas calmo…..Decido passar sobre ele, sentindo-lhe melhor a forma e o alto que encerra é delicioso de trepar, escorregadio e portanto com cautelas extra para não cair…..mas caio sempre. Mas persistente que sou, recomeço sempre tudo de novo e curiosamente com uma velocidade e motivação sempre crescente. Não demasiado. É gradual. Muito gradual, mas aumenta. Os meus sabores ficam confusos. Já não sei se sinto o doce da ponta da língua, o salgado, o azedo ou mesmo o amargo……Toda ela escorre e eu tento amparar todo o liquido, precioso de mais para se perder, este néctar da vida, da minha claro está.
À medida que mais aumento a busca pelo sabor, mais me é dado a provar, sinto o que flui, quero mais e sei o que fazer para o obter….. a minha língua, a minha boca, os meus lábios sabem o que têm a fazer……é um descontrolo controlado, uma cadência progressiva que dou, um fim que está à vista e que proporciono, que quero proporcionar……
Junto com um gemido, com um tolher dos músculos dela, um orgasmo que chega, lenta mas gradualmente, para o qual me preparei, o qual provoquei, para o receber de boca aberta, de língua em forma de colher simplesmente porque não quero perder nada do que chega, desse “tal vintage” de uma casta de sabor tão intenso, dessa tal momento de eleição…….Ahhh como sabe bem…. ahhh como sabes bem….ahhh como te gosto ahhh como te absorvo, te sinto e te quero. Gostoso é pouco….muito pouco….o teu sabor de mulher não tem descrição……lamento….por muito que tente nunca o conseguirei descrever…..
É este o sabor do prazer…indescritível…..
O teu…. O teu gosto…….

segunda-feira, 31 de julho de 2006

Catalizadores do tesão - Olfacto

Hoje apetece-me escrever sobre este sentido, o sentido do cheiro.....
A forma como me afecta? A ver vamos.....
O quanto gosto dele? Hum......
Mexe comigo. Ponto......
Recordo perfeitamente uma manhã, bem cedo, diria até madrugada ainda, em que ainda com os olhos fechados senti uma fragância, que me despertava de um sono profundo, retemperador, após uma noite de prazer intenso, forte e porque não, extenuante....... Julgava-me a sonhar, sentindo uma mistura floral com traços de madeira exótica, deliciosa mistura que se tornava cada vez mais intensa. Não ousei abrir os olhos, talvez com receio que tudo se fosse, não querendo perder a oportunidade de sentir um pouco mais aquele cheiro que me levava para um cenário idílico, onde dominavam as paisagens campestres, onde tudo era intocável, virgem, inexplorado e belo. Extremamente belo.
O cheiro sentido aumentava, estava cada vez mais perto, mais real e julguei que de repente, todo aquele odor iria entrar completamente dentro do meu corpo. Mas não entrou.....ficou tremendamente forte, delicioso, doce......e pensei sentir um beijo, suave, tocando de leve os meus lábios.....o cheiro era imenso, tão bom....... senti-me excitado.......acho que estava a sonhar.
Dei conta disso quando acordei e tudo estava igual. Eram 9 horas. Não existia o cheiro, ninguém que me pudesse beijar, nem mesmo a frequente tesão matinal.....estive mesmo a sonhar. Esbocei um sorriso, como que pensando o quanto tinha sido bom sentir aquele aroma, mesmo que imaginário.
Dirigi-me ao andar de baixo, precisava ir ao wc. Ao começar a descer as escadas, senti de novo, desta vez de forma muito desvanecida, o cheiro do sonho. Associei senti-lo, ao facto de o sonho ter sido bastante intenso e como tal ainda pairava no meu subconsciente. A verdade é que à medida que avançava, o odor aumentava e no wc era quase tão forte quanto o havia sentido a sonhar. Isto perturbou-me. Fiquei intrigado e receei pela minha sanidade. Era muito bom senti-lo, deixava-me excitado, duro..... mas não queria correr o risco de andar assim todo o dia. Decidi então aproveitar as réstias de sono ainda existentes para me deitar novamente, esperando adormecer e que quando acordasse novamente, tudo não teria passado disso mesmo. Um sonho. Deitei-me e adormeci.
De novo aquele aroma.......sentia-o, não tão forte, mas sentia. Sentia também que estava duro, como pedra e que o meu pau estava envolto em humidade.....quente, melado.......que sonho tão bom.......sentia uma língua a lamber-me, uns lábios deliciosos a percorrer o meu pau, apertanto, fazendo-me sentir o mais delicioso broche, alguma vez por mim sonhado anteriormente......ainda uma mão, já molhada da saliva que escorria da boca, que acompanhava os movimentos da boca no meu pau, tal como eu adoro......
Sentia-me num estado de alma em que os sentidos se desprendem das coisas materiais......em completo êxtase...... Não queria abrir os olhos com medo que tudo se fosse....... cerrei-os ainda mais.......o meu estado de excitação era tal que todo o meu corpo estava tenso, duro, tal como o meu membro......sentia o fluir do líquido pelo corpo, adivinhando um correr com abundância......estava prestes a vir-me. Queria-o. Desejava-o. Continuava a exalar aquele cheiro. Dava comigo em doido............Retesei-me ainda mais..........já não aguentava.....aquela boca..... aquele corpo carnudo alongado chamado língua.........aquela mão........vim-me com tal intensidade........brutalmente........gemi.......gritei........
Estranhamente não me senti molhado no corpo. Estranho...... Ao invés, senti um líquido ainda mais espesso que a saliva a envolver a minha glande, escorrendo pelo meu pau........não muito mas algum......sentia-o perfeitamente como se eu estivesse acordado......
Era tudo muito estranho. Sentia tudo aquilo, continuava a exalar aquele aroma, aquele perfume que me deixava louco de tão bom que era, sentia até o cheiro a sexo........
Num acto desesperado tentei abrir os olhos........De repente tudo fazia sentido.......Noiva.........Os meus olhos encontraram os dela, num olhar característico........de quem é cúmplice do meu prazer, um olhar de safada.......e terno, com o meu pau ainda envolto pela sua mão, como que aguardando o meu despertar..........
-Bom dia Amor! Beijei-te quando saí cedo para o trabalho mas não da forma que eu gostava de o ter feito......
O teu cheiro.............

terça-feira, 25 de julho de 2006

Catalizadores do tesão - Tacto

Escrever sobre o sentido da palpação é uma tarefa ingrata. Porquê? Porque sinto cada premir da tecla, cada vírgula, cada espaço, cada pontuação.... e porque sei também que no final do texto sentirei as pontas dos dedos usadas, quentes, com as pequenas terminações nervosas aí existentes a reclamarem por algo mais, algo igualmente quente, húmido, onde o tacto impera e as sensações exigem mais e mais tacteamento.... e não o terei....
Acho que nem eu mesmo saberia escolher o que prefiro: usar o tacto ou senti-lo em mim.
Só eu sei os efeitos que se revelam quando percorro o corpo feminino com as minhas mãos, mas não me refiro a tocar simplesmente. É muito mais do que isso. É sentir cada espaço, cada pedaço de pele, de cabelo, cada poro, cada imperfeição, sim porque essas são especialmente diferentes das restantes e portanto, carecem de análise ainda mais pormenorizada por falta de conhecimento. Já experimentaram sentir uma cicatriz? Experimentem! Sintam e tentem reter o que elas encerram. Cada uma delas sem excepção. A proprietária agradecerá certamente pois nelas se encerram terminações que nos dão sensações mais além. Já para não falar que qualquer "patinho feio" carece de atenção, de carinho, do toque....
Por vezes os pormenores fazem a diferença e se estiverem atentos verão certamente que a cada toque existe uma recção, quase que involuntária, um suspiro...., um gemido...., um enrijecer...., um tremor...., um cortar da respiração...., quase que esperando o passo seguinte, um orgasmo....., sim essa coisa que ninguém gosta....., mas que todos procuram..., que ninguém quer..., mas todos desejam....
Ter uma mulher à mercê das minhas mãos, talvez mesmo recorrendo a algemas, para que nela possa tactear, percorrer os seus pés, com firmeza, agarrando-os, sentindo cada contorno dos seus dedos, cada espaço entre eles, a forma como estão dispostos e as reacções ao meu toque....., subindo um pouco e encontrar os tornozelos, fiéis depositários de tantas sensações perdidas, que quando tocados se revelam......mas não parar por aí. Seria tão redutor, apesar de fundamental, referir o corpo da mulher e o quanto gosto de lhe tocar e ficar-me por aqui.
Adoro trepar pelo seu corpo com as minhas mãos, sentir as pernas lisas, o seu contorno, deter-me nos seus joelhos e sentir cada pequena prega dos mesmos, tocar na sua parte posterior e sentir a pequena covinha aí existente, perder tempo sentindo os meus dedos a deslizar ai, uns pequenos círculos bem lentos e sair arrastando o indicador por trás da coxa até ao limite da nádega, regressando com a mão bem aberta e pressionando, de forma a sentir a consistência existente e voltar a subir, desta vez pela frente, com os dedos bem afastados para sentir um espaço maior.....nesta altura não sei como estaria ela, calculo que bem, mas eu estaria muito, muito bem.....
Tão bem que passaria a percorrer, a palma da mão, como que querendo adiar ou reter o desejo e o tesão que já sentiria.....palma da mão....eu ia na palma da mão e queria sentir cada ruga ai formada, percorrer cada umas delas, tentando descobrir o caminho a seguir, pelo tacto. Colocaria os meus dedos sobre os dela e deslizaria em toda a sua extensão, primeiro suavemente mas depois apertaria, faria pressão para os sentir nos meus, e dai passaria a subida íngreme mas não trabalhosa, dos braços....tão delicados e possuidores de um cotovelo que é tão bom de sentir, de contornar, bem como o seu lado oposto, onde o braço se dobra, onde por vezes uma gota de suor se deposita e é detectada pela ponta dos meus dedos....humidade...mas não a suficiente para mim. Quero mais...e vou procurar por ela....trepando com os meus dedos.....até ao seu ombro,
depósito de tantas carícias anteriores e acreditem ou não, eu sinto-as, eu palpo-as.... e percorro a sua extensão até ao seu pescoço, que se endurece instantaneamente como que se preparando para a tortura que uma ligeira pressão da minha mão, agarrando-o, apertando-o, sentindo-se vulnerável perante uma mão que pode estrangular mas que não o quer fazer......mas gosto de agarrar assim....sentir o poder nas minhas mãos.....sentir que elas comandam, sentem e tocam aquele corpo....adoro.
Deixar os meus dedos deslizarem pela nuca dela, sentindo os cabelos a escaparem entre os dedos, a suavidade dos mesmos, e que de repente se fecham tal como garras das quais nada consegue agora escapar e ela gosta....eu sei que gosta da pressão que exerço quando os puxo......
Desenhar os contornos do seu rosto com a ponta do polegar, percorrer os olhos, deslizar pelo seu nariz enquanto as narinas se enchem de ar, pois a respiração está rápida, já não é pausada, e isso sente-se também na ponta dos meus dedos enquanto desço em direcção à sua boca......que me tenta aprisionar o dedo mas que eu não permito, pois a minha missão é nobre e não quero correr o risco de me deixar cair em tentação e deixar de a sentir, não por muito mais tempo.....mas o suficiente para que possa terminar a minha missão.....de sentir até não poder suster o desejo, a vontade, a puta da tesão que sinto....que me consome.....
Os seus lábios são por mim sentidos enquanto os percorro, como suaves, carnudos, diria mesmo inchados e secos. Detenho-me neles ainda por alguns momentos levando dois dedos à minha boca, molhando-os, passando de seguida lentamente pelos dela, humedecendo-os, devolvendo-lhes a frescura característica, o brilho e ainda mais suavidade. São demais....
O toque seguinte foi cair suavemente no mamilo......erecto, rijo...e senti-o duro como poucas vezes tinha sentido antes. A minha mão envolveu completamente o seu peito e ela encheu os pulmões suplicando por ar e eu senti o inchaço que provocou, deixando-me sentir ainda mais aquele seio, suave como tudo, rijo o suficiente para os desejar como tudo, para os querer apertar,
sem magoar mas apertar firmemente.....como adoro.....passar a sentir o contorno do mamilo, apertando-os também ligeiramente e não pude deixar de ouvir um gemido.....como me excita.....
É precisamente nesse momento que coloco outra mão entre as suas coxas, tocando-lhes na parte interior, sem que a outra mão deixe de tocar os seus seios.....e comecei a sentir na ponta dos meus dedos uma humidade, que escorria dela, vindo ao encontro dos meus dedos.....e esta sim.....era a humidade que queria, que me instigava a pesquisa, a tortura auto-infligida, era este calor húmido que queria descobrir nela.....
A mão dos seios já quase que descontrolada, vinha como que em auxilio da outra, descendo apressadamente pela barriga, detendo-se ainda no seu umbigo mas seguindo encosta abaixo, enquanto a outra subia em busca da fonte de toda aquela cascata que escorria.....
E quando eu sentia que os meus dedos de mãos opostas se encontrariam......tal não aconteceu, estranhamente ou não, pois a que percorria encosta abaixo deteve-se suave e delicadamente no seu clitóris, grande, enorme de tanto tesão que sentia, não parando mas em vez disso circulando em volta, tal como uma fera que circula a sua presa à espera do momento certo, enquanto a mão que percorria a busca da nascente subitamente entrou num espaço alagado, que pulsava de calor e de vontade de ser percorrido....... e subitamente o sinal foi dado. O momento certo havia chegado.....o mergulho dentro dela ordenou à outra mão um ataque à presa, tocando-lhe.....pressionando ligeiramente e rapidamente, sem parar, deslizando e subindo sobre o clitóris enquanto a penetrava com a outra mão, num vai e vem lento, ligeiro, superficial, que foi gradualmente tornando-se rápido, duro, profundo, sentindo as minhas mãos na mesma cadência.....e eu sentia nelas tremores, impulsos, tensão, tesão.....muito tesão.....em mim, nela ainda mais e eu sabia aqueles momentos, ja conhecia, talvez não com tanta intensidade, mas aproximava-se um enorme...........orgasmo e veio..........veio de uma forma brutal, devastadora, cheio de tesão, que tesão........que poderoso......enorme......gigante.....imenso......e eu sentia tudo.....tudo na ponta dos meus dedos, com o tacto, com esse desgraçado mas terrivelmente delicioso tacto.......esse outro sentido que me arrebata...... .

sexta-feira, 7 de julho de 2006

Catalizadores do tesão - Visão

O simples facto de estarem a ler estas linhas por si só, já diz bastante deste sentido, deste potenciador da líbido...
Talvez até pelo facto de me encontrar junto à praia, no momento em que estas linhas são escritas e portanto com uma visão previligiada sobre os corpos bronzeados, torneados, à vista, com o calor dos raios de sol a brilhar sobre os mesmo, aquecendo-os, se torne mais fácil abordar a questão. A ver vamos...
Aquilo que vemos não é influênciado pelo cor dos olhos do observador, já a cor do olhos do observado......
Bem, vamos lá ao que interessa. Sou bastante observador. Gosto dos pormenores, dos detalhes, de varrer com os olhos aquilo para o qual estou a olhar e adoro ver, sim, porque ver é bem diferente de olhar, principalmente os corpos....femininos, claro está.
Ontem, enquanto estava deitado na minha cama, tendo o previlégio de ter a noiva ao meu lado e enquanto ela dormia, deitada de bruços, quase nua, tendo apenas um fio dental no corpo e sem lençol que a cobrisse, pois estava um pouco quente no quarto, dei por mim a observar aquele anjo, que dormia profundamente, sabe-se lá a sonhar o quê......, mas eu via.....via aquele corpo, a sua posição, com uma das pernas ligeiramente subida, realçando as suas curvas, a penumbra existente pela pouca luz da televisão ligada, parecia reflectir na sua pele, deixando umas sombras deliciosas e eu que a olhava terna e emocionadamente pelo facto de ter ao meu lado a pessoa que amo, comecei a ver a luxúria, a tentação, o corpo do desejo, da volúpia, que tantas vezes foi meu, possuido por mim, pelo meu corpo......
Reflexo inato ou talvez não, a verdade é que algo em mim começou a dar sinal de vida, a despertar, a latejar, a pulsar, a crescer, a ficar grande, forte, rijo, num tesão que me estava a invadir e eu não sabia controlar mas que ao mesmo tempo, não queria controlar. Eu estava doido! Completamente possuído pelo calor que sentia dentro de mim....e tudo....tudo porque estava a olhar para aquele corpo....
Eu estava de boxers e vi um volume, que era meu, mas como que não acreditando, tive de passar dois dedos sobre ele, só a ponta dos mesmos, devagar, bem devagar, sentindo toda a extensão do volume, o que me causou um ligeiro arrepio e foi nessa altura que eu percebi que dali para a frente, o meu estado só mudaria se me liberta-se daquela coisa que me percorria as veias, o corpo todo. Todo eu era um corpo tenso, endurecido. E ela continuava ali, imóvel, observada por mim, causando-me aquelas sensações e nem imaginava....dormia profundamente.
Quase que involuntariamente, a minha perna encostou na dela e senti...., senti todo o calor que a sua pele possuía naquela altura, tive até a sensação que senti cada milímetro da extensão que tocou no seu corpo, olhei e vi as duas pernas a tocarem-se....eu estava mesmo possuído, aquela visão, simples mas cheia de erotismo, deixava-me enebriado.....nessa altura pensei em penetrá-la, ali, naquele momento, colar-me a ela, por cima dela, descarregar no corpo dela toda aquela sensação que estava a sentir, todo aquele desejo incontrolado, que tesão.......acto pensado, acto....não realizado. Pareço masoquista não é? Hoje também já me ocorreu a ideia mas na altura fui atraiçoado pela minha visão.....estava a ser incrível e incrível continuaria a ser.....

Baixei os meus boxers, sim, não os tirei, talvez por achar que não seria necessário libertar-me completamente naquele momento, como que sentindo que me estava preparar para algo pecaminoso......, o triângulo formado pelo seu fio dental, naquelas nádegas perfeitas....que visão, que tesão....e visualizei, contrariando quase a lógica cerebral, uma mão, que até agora ainda não percebi se seria a minha ou não, a passar de leve naquele rabo, eu olhava para ele, a minha mão não lhe tocava mas a verdade é que estava lá uma mão, não me perguntem como.....e continuei a olhar...

A minha outra mão segurava o meu pau, que na altura mais parecia uma barra de ferro, incapaz de ser forjada, moldada, deformada....e tocava suavemente, quase que numa representação da bela e do monstro.... e era..... bom, delicioso, estava com uma puta de uma tesão incontrolada, que me consumia.... tocava-me enquanto continuava a observar a outra mão, imaginária, mas que continuava a ver de olhos abertos, a deslizar nas suas pernas, passando naquele rabo, sentindo a junção das nádegas, sentindo o tecido minúsculo que a aconchegava.....mas não era suficiente e vi os dedos começarem a desaparecer por baixo daquele fio, nunca parando mas lentamente, muito lentamente.....e quando as suas pontas reapareceram vi...., vi a humidade que neles havia, transferida por uma região que estava alagada, que eu tanto gosto de sentir, onde os dedos deslizam, onde tudo desliza, onde o calor dessa humidade é simplesmente fantástica e me possui sempre que a sinto..... ela estava a gostar. Sei que estava. Foi nessa altura que vi um corpo, que não o meu, deitar-se sobre ela, encaixando sobre as suas costas, deslizando pelo seu corpo, lenta e delicadamente, sentindo o calor que emanava dela e houve um ajuste do corpo dela, como que preparando-se para o que o seu corpo queria, desejava, reclamava e obrigava....
Eu via, mas não impedia. Eu observava....e gostava.
Nunca parei de deslizar a minha mão lentamente no meu pau, mas sentia que faltava algo para que que a sensação fosse ainda mais forte e por isso levei a minha mão à boca e molhei-a, tranferindo a saliva da mão para o meu sexo, sentindo então uma humidade quente, fazendo-me lembrar quando a penetro. Eu sentia que não iria aguentar muito mais aquela situação....
Como não parava de ver o que se estava a desenrolar ao meu lado, vi o momento em que ela se abriu, como que implorando por aquele pau duro, como que implorando para ser comida, com força, de costas, com vigor, como ela tanto gosta que eu a foda. E a visão que tinha ao meu lado era a de um pau rijo, que entrava muito lentamente, mesmo muito lentamente, desaparecendo dentro daquela cona enquanto o corpo dela ia ao encontro do dele, não aguentando a demora, a tortura de não ser fodida depressa, com força, com muita força.......e foi nesse momento, no preciso momento em que ele entrou o mais fundo que era possivel, que eu vi o corpo dela a tremer. Tenso. As mãos agarravam o lençol. As veias delas inchadas. Toda ela era um orgasmo fortíssimo, intenso, longo, brutal. Vi as contrações do corpo por cima dela, indicando também algo sublime, só possivel de ter no auge. E vi, a erecção, o mexer da minha mão, o vai e vem lento mas cadênciado, no preciso momento em que me vim.........e como! E não parava de jorrar, sentia a cair na minha pele e era quente....muito quente, tal como toda a situação que via...., sentia...e continuei a vir-me num orgasmo que parecia nao terminar, não em conteúdo mas em sensações.....
Como descrever tudo isto......?
Só visto!

domingo, 2 de julho de 2006

Catalizadores do tesão - Audição

Ora bem, decidici começar pelos sons porque muito particularmente, estes mexem demais comigo. Calculo que com todos vocês mas comigo....é tesão na certa.
Uma palavra, um gemido, um suspiro, uma música, a respiração, o silêncio.......parece bom não parece? Não parece! É mesmo!
Exercício prático: tentem lá privar-se da visão(vendas não faltam) e do tacto(algemas também não faltam mas por agora não é necessário).
Apaguem as luzes, fiquem bem perto do parceiro(a) e peçam-lhe para que vos conte uma fantasia, uma situação vivida, uma cena passada entre os dois....tanto faz. Mas que seja rica em detalhe, em pormenores, em caprichos e em erotismo.
Ouçam com atenção! Não só as palavras e as frases mas também as pausas, o barulhos dos lábios a descrever a situação, o engolir da saliva, a passagem da língua nos lábios secos, o tom da voz que vos fala......tentem escutar e imaginar tudo o que vos estão a dizer e a relatar.....sim, imaginem.....não perguntem nem questionem nada....apenas escutem e........não toquem!
Deixem rolar.....tentem controlar o tesão sentido, deixem ficar rijo, húmido, a pulsar, puro desejo.....
Tentem captar a intensidade de tudo que vos rodeia e que vos estão a dizer....
Escutem, ouçam, processem, interiorizem........e quando ficarem com os pêlos arrepiados, uns calafrios e uma vontade abissal de possuir ou ser possuida por quem nos está a colocar num estado desses........voltem a escutar......desta vez os gemidos, o coração, as mãos a passar no cabelo enquanto se entregam um ao outro.........com tesão.....enorme tesão......como tem de ser....

Pré-tesão


É curioso como por vezes se encontram blogs e posts que nos fazem parar, reflectir, assimilar e nos dão vontade de empreender....
Foram alguns desses que fizeram com que este existisse.
Quem sabe a minha Tesão não é a de muitos outros e outras? Não raras vezes, a dos outros e das outras é a minha....
Façam da minha a vossa e contribuam para a de todos!