Site Meter

sexta-feira, 7 de julho de 2006

Catalizadores do tesão - Visão

O simples facto de estarem a ler estas linhas por si só, já diz bastante deste sentido, deste potenciador da líbido...
Talvez até pelo facto de me encontrar junto à praia, no momento em que estas linhas são escritas e portanto com uma visão previligiada sobre os corpos bronzeados, torneados, à vista, com o calor dos raios de sol a brilhar sobre os mesmo, aquecendo-os, se torne mais fácil abordar a questão. A ver vamos...
Aquilo que vemos não é influênciado pelo cor dos olhos do observador, já a cor do olhos do observado......
Bem, vamos lá ao que interessa. Sou bastante observador. Gosto dos pormenores, dos detalhes, de varrer com os olhos aquilo para o qual estou a olhar e adoro ver, sim, porque ver é bem diferente de olhar, principalmente os corpos....femininos, claro está.
Ontem, enquanto estava deitado na minha cama, tendo o previlégio de ter a noiva ao meu lado e enquanto ela dormia, deitada de bruços, quase nua, tendo apenas um fio dental no corpo e sem lençol que a cobrisse, pois estava um pouco quente no quarto, dei por mim a observar aquele anjo, que dormia profundamente, sabe-se lá a sonhar o quê......, mas eu via.....via aquele corpo, a sua posição, com uma das pernas ligeiramente subida, realçando as suas curvas, a penumbra existente pela pouca luz da televisão ligada, parecia reflectir na sua pele, deixando umas sombras deliciosas e eu que a olhava terna e emocionadamente pelo facto de ter ao meu lado a pessoa que amo, comecei a ver a luxúria, a tentação, o corpo do desejo, da volúpia, que tantas vezes foi meu, possuido por mim, pelo meu corpo......
Reflexo inato ou talvez não, a verdade é que algo em mim começou a dar sinal de vida, a despertar, a latejar, a pulsar, a crescer, a ficar grande, forte, rijo, num tesão que me estava a invadir e eu não sabia controlar mas que ao mesmo tempo, não queria controlar. Eu estava doido! Completamente possuído pelo calor que sentia dentro de mim....e tudo....tudo porque estava a olhar para aquele corpo....
Eu estava de boxers e vi um volume, que era meu, mas como que não acreditando, tive de passar dois dedos sobre ele, só a ponta dos mesmos, devagar, bem devagar, sentindo toda a extensão do volume, o que me causou um ligeiro arrepio e foi nessa altura que eu percebi que dali para a frente, o meu estado só mudaria se me liberta-se daquela coisa que me percorria as veias, o corpo todo. Todo eu era um corpo tenso, endurecido. E ela continuava ali, imóvel, observada por mim, causando-me aquelas sensações e nem imaginava....dormia profundamente.
Quase que involuntariamente, a minha perna encostou na dela e senti...., senti todo o calor que a sua pele possuía naquela altura, tive até a sensação que senti cada milímetro da extensão que tocou no seu corpo, olhei e vi as duas pernas a tocarem-se....eu estava mesmo possuído, aquela visão, simples mas cheia de erotismo, deixava-me enebriado.....nessa altura pensei em penetrá-la, ali, naquele momento, colar-me a ela, por cima dela, descarregar no corpo dela toda aquela sensação que estava a sentir, todo aquele desejo incontrolado, que tesão.......acto pensado, acto....não realizado. Pareço masoquista não é? Hoje também já me ocorreu a ideia mas na altura fui atraiçoado pela minha visão.....estava a ser incrível e incrível continuaria a ser.....

Baixei os meus boxers, sim, não os tirei, talvez por achar que não seria necessário libertar-me completamente naquele momento, como que sentindo que me estava preparar para algo pecaminoso......, o triângulo formado pelo seu fio dental, naquelas nádegas perfeitas....que visão, que tesão....e visualizei, contrariando quase a lógica cerebral, uma mão, que até agora ainda não percebi se seria a minha ou não, a passar de leve naquele rabo, eu olhava para ele, a minha mão não lhe tocava mas a verdade é que estava lá uma mão, não me perguntem como.....e continuei a olhar...

A minha outra mão segurava o meu pau, que na altura mais parecia uma barra de ferro, incapaz de ser forjada, moldada, deformada....e tocava suavemente, quase que numa representação da bela e do monstro.... e era..... bom, delicioso, estava com uma puta de uma tesão incontrolada, que me consumia.... tocava-me enquanto continuava a observar a outra mão, imaginária, mas que continuava a ver de olhos abertos, a deslizar nas suas pernas, passando naquele rabo, sentindo a junção das nádegas, sentindo o tecido minúsculo que a aconchegava.....mas não era suficiente e vi os dedos começarem a desaparecer por baixo daquele fio, nunca parando mas lentamente, muito lentamente.....e quando as suas pontas reapareceram vi...., vi a humidade que neles havia, transferida por uma região que estava alagada, que eu tanto gosto de sentir, onde os dedos deslizam, onde tudo desliza, onde o calor dessa humidade é simplesmente fantástica e me possui sempre que a sinto..... ela estava a gostar. Sei que estava. Foi nessa altura que vi um corpo, que não o meu, deitar-se sobre ela, encaixando sobre as suas costas, deslizando pelo seu corpo, lenta e delicadamente, sentindo o calor que emanava dela e houve um ajuste do corpo dela, como que preparando-se para o que o seu corpo queria, desejava, reclamava e obrigava....
Eu via, mas não impedia. Eu observava....e gostava.
Nunca parei de deslizar a minha mão lentamente no meu pau, mas sentia que faltava algo para que que a sensação fosse ainda mais forte e por isso levei a minha mão à boca e molhei-a, tranferindo a saliva da mão para o meu sexo, sentindo então uma humidade quente, fazendo-me lembrar quando a penetro. Eu sentia que não iria aguentar muito mais aquela situação....
Como não parava de ver o que se estava a desenrolar ao meu lado, vi o momento em que ela se abriu, como que implorando por aquele pau duro, como que implorando para ser comida, com força, de costas, com vigor, como ela tanto gosta que eu a foda. E a visão que tinha ao meu lado era a de um pau rijo, que entrava muito lentamente, mesmo muito lentamente, desaparecendo dentro daquela cona enquanto o corpo dela ia ao encontro do dele, não aguentando a demora, a tortura de não ser fodida depressa, com força, com muita força.......e foi nesse momento, no preciso momento em que ele entrou o mais fundo que era possivel, que eu vi o corpo dela a tremer. Tenso. As mãos agarravam o lençol. As veias delas inchadas. Toda ela era um orgasmo fortíssimo, intenso, longo, brutal. Vi as contrações do corpo por cima dela, indicando também algo sublime, só possivel de ter no auge. E vi, a erecção, o mexer da minha mão, o vai e vem lento mas cadênciado, no preciso momento em que me vim.........e como! E não parava de jorrar, sentia a cair na minha pele e era quente....muito quente, tal como toda a situação que via...., sentia...e continuei a vir-me num orgasmo que parecia nao terminar, não em conteúdo mas em sensações.....
Como descrever tudo isto......?
Só visto!

21 comentários:

  1. Ups, acho que me alonguei no texto. tá enorme.

    ResponderEliminar
  2. "Cobiça-se o que se vê"
    - Hannibal Lecter

    ResponderEliminar
  3. Pode não se cobiçar mas avalia-se...

    ResponderEliminar
  4. Ola:)) vim agardecer sua visita ao meu recanto e suas gentis palavras. Adorei seu texto... e jogo de palavras...voltarei breve

    beijo Maresi@

    ResponderEliminar
  5. Reclama-se uma actualização do blog =)

    ResponderEliminar
  6. Podes chamar a jovem de menina =)
    Quero mais!

    ResponderEliminar
  7. Uau! Que fogo... adorei a descrição em pormenor. Imaginei e aqueci.

    ResponderEliminar
  8. (foda-se...)Belo texto!
    Digamos que estou com calor, e não é do tempo! ;)
    Continua, fico à espera de mais!
    Beijos

    ResponderEliminar
  9. Eu não sou má. Nem quando me esforço por ser. Mau és tu que me privas de te ler. =)

    ResponderEliminar
  10. Mas eu não quero entristecer os fiéis visitantes....

    ResponderEliminar
  11. Então passa ao tacto, ao sabor, ao cheiro...

    ResponderEliminar
  12. Noivito

    Estou de partida, mas vim agradecer a tua visita e o link :))

    Tenho post novo, se me quizeres visitar... ;)

    Deixo-te um beijo, até Agosto!

    ResponderEliminar
  13. Interrompi, mas regressei para ler este que faltava :-)

    Que... tesão...
    Nenhuma mulher ficaria indiferente a sentir-se observada e desejada assim...

    E a forma como tu descreves é sublime...
    Parabéns...

    Beijo doce


    ps - não perderei este blog de vista...

    ResponderEliminar
  14. A vossa presença aqui já é agradecimento sufuciente acreditem....

    ResponderEliminar
  15. MEN!! R U 4 REAL????...!!!


    be still my heart...

    ResponderEliminar
  16. Shaktí: de carne e osso......porque os heróis....esses....já não estão entre nós......

    ResponderEliminar
  17. a visão aliada á imajinação... potente, potente! como o teu texto!

    ResponderEliminar
  18. Luna: Potentes, potentes são os vossos comentários...

    ResponderEliminar
  19. Basta-me fechar os olhos e vejo-te mesmo aqui a meu lado!
    bjo

    ResponderEliminar