Site Meter

quarta-feira, 20 de dezembro de 2006

Que pensar?

Que dizer acerca da infidelidade? De todo inaceitável, perdoável ou compreensível?
Mal menor numa relação, escape de rotinas, falta de amor, falta de respeito?
Será igual trair com uma pessoa do mesmo sexo ou uma aventura bissexual?

Será a curiosidade não assumida, a vontade não partilhada ou o desejo escondido?

Será que desejar outras ou outros é considerado também como ser infiel? Será que uma conversa mais ou menos picante por exemplo pela net ou por sms é, poderá ser ou não é traição?

É que por vezes leio e ouço certas coisas que me fazem pensar bastante em toda esta questão. Aqui partilho esta questão, aqui espero a vossa contribuição. Quem já o fez, quem nunca o fez, quem pensa fazer ou quem diz que desta água não beberá! Todos.

110 comentários:

  1. Há uns anos atrás eu era daquelas pessoas que dizia à boca cheia que nunca trairia nem nunca perdoaria uma traição.. hoje em dia n vejo as coisas assim tão preto no branco, mas com muito mais àreas cinzentas.. Apercebi-me e vivi algumas situações em que tive que questionar esse meu principio e agora acredito que tudo depende das condicionantes, do contexto e das pessoas... sobretudo decidi que não julgaria ninguém antes de tentar compreender o que terá levado à traição..tenha ela a forma que tiver..

    beijos

    ResponderEliminar
  2. concordo com red shoes... depende das condicionantes que levam á traição.
    já o fiz e já o ajudei a fazer.
    a primeira numa altura que uma relação estava praticamente acabada e só por isso.
    a segunda por estar sozinho e nesta situação, para mim, há duas condicionantes para que possa acontecer: não conhecer o traido ou (a que dá mais gozo) conhecer e não gostar!

    ResponderEliminar
  3. Red shoes: obrigado pela tua participação. mas podes dizer qual foi a questão que te fez ver as coisas de outra forma? penso que é pertinente. Bjs

    ResponderEliminar
  4. vicio: então em que circunstâncias se pensa o quê?

    ResponderEliminar
  5. Nunca trai, sai da relação antes...
    Quando dei por mim a pensar que gostaria que existisse um suposto alguem foi a rotura, o motivo para dar o paço para o fim.
    Não entendo como se pode deixar que alguem entre num espaço que é de dois ou será 2 em 1?
    Que as pessoas sintam essa necessidade.
    Não estou a criticar quem o faça, nem me dou ao trabalho de questionar, cada um vive com os actos que pratica, e se para essa pessoa está tudo bem... fazer o quê?
    Mas será que gostariam de estar no outro lado? duvido!
    Mas já estive no outro papel... já ajudei a trair, se me orgulho, arrependo? não, nem me preocupei na altura muito menos agora.
    Uma contradição? talvez...
    Até...
    Boas festas Noivo :)

    ResponderEliminar
  6. Ao luar: realmente pode ser um pouco contraditório mas tal como muita gente diz, ninguém obriga ninguém a nada. Esteja numa relação, ou seja a "outra", certo?

    ResponderEliminar
  7. nem me vi como a "outra" foi um momento... apenas e só!
    Ninguém é obrigado a nada mesmo.
    Qual é a sua posição sobre o assunto?
    :)

    ResponderEliminar
  8. relativamente a quem trai, ou melhor, relativamente à pessoa que está de fora do relacionamento a dois, julgo que no limite será a pessoa com menos problemas até porque poderá nem saber que existe uma relação da parte de quem trai. E mesmo que saiba, ninguém é pai ou mãe de ninguém logo quem está a errar é que trai! deu para entenderes?

    ResponderEliminar
  9. Noivo, várias situações se puseram em contraste com o que eu acreditava:

    1. ter acontecido uma traição no seio da minha familia, nomeadamente entre os meus pais - e eu adoro-os aos dois e tive que sair de cena para n explodir e poder pensar com clareza;

    2. perceber que era capaz de trair, quando as coisas iam de mal a pior na minha ex-relação;

    3. e depois de voltar a ser "solteira" ter tido um caso com um homem casado, que apesar de tudo continuo a admirar e a ser amiga.

    Não digo que hajam justificações para a traição, mas pode haver a compreensão e o perdão.

    beijos

    ResponderEliminar
  10. Red shoes: assim já se entende melhor. Claro que hà uma série de circunstâncias que se podem lançar na fogueira dos argumentos. No entanto cada qual é como é e penso que o principal é mesmo não fazer-mos nada que nos possa fazer arrepender depois não achas? bjs

    ResponderEliminar
  11. noivo.. eu acho, todos em principio achamos.. espero nunca ser uma "traidora", mas nunca por nunca, afirmar convictamente, desta àgua não beberei...

    beijos

    ResponderEliminar
  12. Red shoes: e fazes distinção entre ser fisicamente ou não?

    ResponderEliminar
  13. Há uma coisa que hoje tenho alguma dificuldade em compreender: porque é que a partir do momento que temos uma relação, temos que assumir automáticamente que não podemos/devemos estar com mais ninguém sob pena de sermos infiés? Não fica assim logo estabelecido um estatuto de posse? Do género, és meu, de mais ninguém!? É esta posse legitima?
    Por outro lado, são as relações "abertas" verdadeiras relações? Não será traição verdadeira apenas quando o outro não tem conhecimento? Senão, temos a figura do swing, ou não? É consentido por ambas partes da relação, portanto não é traição, certo?
    E quando encontramos alguém que nos provoca aquele arrepio, uma atracção que tanto pode ser fisica como psicológica/emocional, e os nossos pensamentos voam involuntáriamente para um cenário de desejo e partilha? Pecamos por pensamentos, palavras, actos e omissões. Somos, portanto, uns pecadores. Mas seremos, de facto, traidores/infieis? Afinal quem consegue controlar os próprios pensamentos, as emoções? Não trago respostas, pois é, desculpem, mas não as tenho.

    ResponderEliminar
  14. Red shoes: mesmo que sejam palavras?

    ResponderEliminar
  15. catwoman: E quem é dono da verdade? ninguém! No entanto não devemos distinguir apartir de quando esses pensamento, emoções influênciam as relações?

    ResponderEliminar
  16. as palavras geralmente traduzem o que se sente, o que se quer.. ter intenção de .. é quase o mesmo que fazer..é sinal que algo está mal..

    enquanto eu amei o meu ex-companheiro, n consegui olhar ou pensar dessa forma para mais ninguém..

    beijos

    ResponderEliminar
  17. Red shoes: mas não disseste que te apercebeste que eras capaz de trair quando a relação não estava bem? serão esses pensamentos o indicador da relação?

    ResponderEliminar
  18. sim, sim.. aliás n demorou muito tempo até que eu pegasse nas minhas coisinhas e começasse de novo, porque as coisas n estavam mesmo bem, eu é que andava a tentar remendar tudo com fita cola e n queria ver que esta relação de 7 anos tinha mesmo acabado.. Ora quando a comecei a desejar o que via à minha volta, era mais um sinal de que o amor tb já n estava lá...

    ResponderEliminar
  19. red shoes: isso faz-me pensar se olhar em volta e desejar é traição....

    ResponderEliminar
  20. Já "ajudei" a traír e não me orgulho nada porque ponho-me no lugar das outras pessoas(mesmo que não seja problema meu)e não gostaria!
    No meu caso, era um ex-namorado meu, tinhamos acabado, ele arranjou namorada,mas passado um tempo, eu e ele recomeçámos a encontrar-nos com frequência porque ainda tínhamos fortes laços emocionais e fisicos.Até a uma altura em que decidimos que ou voltávamos ou acabávamos definitivamente, decidimos acabar e seguir com as nossas vidas porque eu e ele já tinhamos namorado e não tinha resultado.
    bjs

    ResponderEliminar
  21. Quanto ao que eu penso no geral:
    Basicamente parte da consciência de cada um.
    Mas quando alguém trai ou pensa em trair é porque definitivamente algo não vai nada bem.Penso que, ou deveria repensar a sua relação com a pessoa com que namora/está casado no sentido de tentar melhorar e comunicar as dificuldades ou acabar tudo, mas ser sempre sincero e franco.

    ResponderEliminar
  22. ah e tal (c): o facto de ser ex namorado muda o facto de náo gostares de trair, mesmo sendo a outra a traída?
    Sei de um caso não físico em que o argumento utilizado foi: precisava de sentir (para saber) que ainda era desejado pelas outras mulheres. Como se enquadra isto? É traição ou sentir-se vivo e desejado?

    ResponderEliminar
  23. Não muda, não há desculpa possível mas na altura atenuou o facto de não gostar de trair, porque ainda gostava dele (não o suficiente para recomeçar a namorar)e o sentimento sobrepôs-se.
    Encaro isso como:COMUNICAR à mulher/marido/namorado/a esse problema, porque claramente em casa não se sentia preenchido(desejado) de alguma maneira...

    ResponderEliminar
  24. enquadra-se na situação:falta de auto-estima e falta de manifestações de desejo por parte da pessoa com quem está.

    ResponderEliminar
  25. ah e tal: como comunicar??? se não se sentia preenchido tinha desculpa para trair?
    Será que quem está numa reçlação não gosta de se sentir desejado mesmo por outras pessoas?

    ResponderEliminar
  26. Não estou a dizer que tinha desculpa estou a dizer APENAS o que essa pessoa sente quando trai e como disse e vou repetir não é desculpa para trair apenas é a realidade de quem trai e tem duas escolhas ou conta á mulher ou mente e no mesmo caso se não quer perder a mulher mas tb não quer perder as outras lá fora, isso já é falta de carácter, é à "macho".
    Sentir-se desejado por outras pessoas?Falta de auto-estima, se sabe o que vale e se tem a pessoa que o ama a desejá-lo não põe isso em causa, sei lá a menos que seja da natureza da pessoa, gostar de flirtar para todos os lados.Não confundir achar uma mulher bonita/homem bonito(mera contemplação)com desejo real de querer ter determinada pessoa seja em mente seja fisica.

    ResponderEliminar
  27. Ah e tal: acho que tens razão, apenas acho também que só sabemos o que valemos pelo que os outros nos transmitem, não achas?

    ResponderEliminar
  28. também mas são elogios e nada melhor que elogios principalmente da pessoa que amamos, não é preciso flirts para isso.

    ResponderEliminar
  29. ah e tal: é certo mas sabem tão bem às vezes. fazem-nos sentir "vivos"

    ResponderEliminar
  30. Já traí. nao é uma coisa de que me orgulhe mt, nem me tento justificar... já o tentei fzr, tv para me entender, mas aconteceu... senti-me mal, pela pessoa que traí, por mim q achava q isso era contra os meus princípios e por ter gostado de estar c essa outra pessoa... sobrevivi, nao me arrancou bocado.. acho q tem a ver com condicionantes, a forma cm estás - ou nao - numa relaçao, q tipo de relaçao, com q idade, o q para ti é traiçao, sei lá... o q eu qro é aproveitar bem a vida enqt posso q ela é bem curta... bj

    ResponderEliminar
  31. Maluca: cada caso é um caso e nisso tens toda a razão.

    ResponderEliminar
  32. é o mesmo que um elogio ou pronto um olhar bem mandado na nossa direcção mas chega não é preciso flirtar, mas secalhar é por seres homem ou temos simplesmente feitios diferentes.

    ResponderEliminar
  33. ah e tal: não confundir esta "conversa" ou este post com questões pessoais. Nunca falei que pensava desta ou daquela forma. A questão é que está em aberto para os vossos e meus comentários.

    ResponderEliminar
  34. ainda bem.
    Então qual é a tua opinião?

    ResponderEliminar
  35. noivo said...
    ah e tal: é certo mas sabem tão bem às vezes. fazem-nos sentir "vivos"

    21 Dezembro, 2006 00:43

    Foi por causa disto que eu disse aquilo de não ser preciso flirtar, mas retiro tudo então.

    ResponderEliminar
  36. Bem as tuas questoes trazem pano para mangas, e e claro que cada um que aqui que comentou tem a sua propria opiniao e experiencia.
    Eu no meu caso ja trai, ja ajudei alguem a trair,e ja fui traida.
    E quando o fui nao consegui perdoar.Mas e como eu digo era uma situacao diferente.
    Quando trai, nao estava numa relacao a que se possa chamar "seria", quando ajudei a trair , nao sabia do "pequeno facto de a pessoa ser casada" e acabei no momento em q o soube, e quando fui traida eu estava numa face dificil em que o meu parceiro nao ajudou, resolveu foi trair.

    ResponderEliminar
  37. a minha pergunta ao que pensavas, era referente ao teu post... perdoarias?
    olharias para a pessoa da mesma forma?
    pensarias 2 x quando ela telefonasse a dizer que estava parada no transito e iria chegar mais tarde?
    Também és da opinião de muitos que por x é preciso trair para se ter a certeza que se ama a pessoa com quem se está?
    muitas outras questões... mas por enquanto basta :)

    ResponderEliminar
  38. ah e tal: e é verdade, apenas não o disse num ponto de vista de traição.
    Todos gostam é de ouvir um piropo, uma provocação e tal entendes?

    ResponderEliminar
  39. Neuza: precisamente! tudo tem um enquadramento. serão ascircunstâncias as razões mais importantes?

    ResponderEliminar
  40. Ao luar: olha no mínimo perde-se um encanto na relação, a confiança pode ser retomada mas jamais será igual e além disso qualquer fumo passa a ser sinal de fogo.

    ResponderEliminar
  41. Traí um namorado, há muitos anos, e acabei a relação pouco depois.
    Na minha opinião pensar em... não é trair. Se bem que nunca o confessaria por ser casada com quem sou. Conheço-o. É demasiado possessivo, demasiado apaixonado, tem as emoções muito à flor da pele...
    A traição não é igual para todos porque as pessoas e as relações são diferentes... Eu admito que o meu marido visite sites e chats e etc... sex-related e não me importo que ele "bata uma" em frente ao monitor enquanto olha para outra mulher no ecran. Tenho amigas que se espantam muito com isto! Aborrecia-me muito mais quando ele visitava sites de "profissionais": é impossível competir com tanta plástica! Disse-lho e ele deixou de o fazer. Sei que se as coisas fossem ao contrário ele nunca pensaria como eu... Não o faço, ponto final.
    O que é ou deixa de ser traição está na maneira de pensar de cada um e na relação que temos com o/a parceiro/a.
    Penso eu...

    Beijo

    ResponderEliminar
  42. Só mais uma achega:
    Se eu estivesse na relação que a RedShoes estava... já o tinha deixado ou traído há muito tempo! Ele não merecia que ela lhe entrasse em casa sequer!

    Beijo

    ResponderEliminar
  43. percebo e nessa perspectiva tudo bem, todos gostamos.

    ResponderEliminar
  44. sexhaler: olha tenho de agradecer a tua frontalidade e coragem! realmente depende do ponto de vista de cada um!

    ResponderEliminar
  45. ah e tal: foi isso que quis dizer. não do ponto de vista pessoal da traição!

    ResponderEliminar
  46. sim piropo/elogio mas não flirt.Creio que foi esta a confusão.

    ResponderEliminar
  47. Não podia estar mais de acordo com a sexhaler...depende de muita coisa...cada caso é um caso...eu próproa já tive essa tentação de trair...mas qd chegou a hora H recusei a proposta...mas q me senti tentada senti...era uma proposta bastante aliciante pela originalidade...mas simplesmente n consegui...

    Besitos

    ResponderEliminar
  48. Noivo,
    desejo-te um Natal repleto de doces prazeres, polvilhado com o sabor do desejo e regado com o mel do amor.

    Beijo...

    PS: Depois desta época natalícia, venho dar uma espreitadela e quem sabe ainda venha a tempo de entrar na "discussão" sobre a traição.

    ResponderEliminar
  49. A traição tem muito haver com as metas que estipulamos. Sendo que todos nós podemos ter metas diferente é certo que este assunto seja polémico. Quanto a mim, penso que a verdadeira traição está no mais intimo e não no visivel mas isso já tu deves saber...

    beijos e um natal rubro

    ResponderEliminar
  50. trair ou não trair eis a questão.
    pessoalmente a traição seja se que tipo for, só poderá acontecer se a relação não anda la muito bem das pernas.
    jocas
    Matahari

    ResponderEliminar
  51. gonzo: nem sempre queremos ir contra os nossos principios certo?

    ResponderEliminar
  52. Eu: retribuo em dobro e espero por ti:) bjs

    ResponderEliminar
  53. Luna: nem mais! por isso pergunto também sobre os vários tipos de traição e a forma como se vêm! bjs

    ResponderEliminar
  54. matahari: será assim tão linear?

    ResponderEliminar
  55. ja pensei em faze-lo... e porque me sentia insatisfeita "em casa"... admito...

    ResponderEliminar
  56. Foi mm uma questão de principios...

    Noivo um Bom Natal para ti e que 2007 seja um dos melhores anos da tua vida...e á claro q continues com o teu Blog...lololo simplesmente adoro ler-te, neste teu "pequeno" espaço não há lugar à hipocrisia cada um assume as coisas como elas são sem tabus nem preconceitos mesquinhos, pq afinal de contas todos nós somos humanos...e todos nós temos estintos,pois somos animais embora racionais, mas animais...

    Muitos besitos

    ResponderEliminar
  57. aenima: isso não nos faz pensar no porquê? Ou seja, o facto de trair funciona como bolha de ar ou o principio do fim?

    ResponderEliminar
  58. Gonzo: origado pelas tuas palavras. Retribuo o desejo de boas festas e estou mesmo convencido que 2007 será um ano inesquecível:)
    Quanto ao post, os princípios ainda valem muito apesar de não serem reconhecidos como prioritários. bjs

    ResponderEliminar
  59. Depois de alguns comentários muito pertinentes, gostaria de saber se apesar da traição, somos capazes de perdoar, ou mesmo de contar se ela aconteceu!

    ResponderEliminar
  60. Oláaaaaaa!!
    Gostei desta questão...deste desafio! eheh
    Já trai e não sei se já fui traida (talvez seja o que tenho de mais certo - tirando a morte, claro! :)

    O ser humano é um ser insatisfeito por natureza e facilmente se cansa da rotina (seja ela a nível de trabalho, relação afectiva, etc).
    Por isso não acredito no amor eterno.
    No entanto, acho que existem pessoas q conseguem ser mais fortes que outras e lá vão resistindo à tentação.

    Enquanto mulher, acho que a maioria de nós, qdo se entrega de corpo e alma a alguém é porque realmente gosta e não necessita de trair (pelo menos enquanto a paixão ou amor duram).

    Já o homem, não é assim!! Até pode gostar da companheira mas quase nunca resiste a um bom rabo de saia!
    Temos de ver que vcs (homens), não pensam mto com o cérebro que deviam pensar :)

    Perdoar? Eu não perdoaria!
    Ninguém gosta de ser traido e perdoar é dar a hipótese ao outro de voltar a fazer o mesmo.

    Se a outra pessoa me perdoa ou não? Isso já será c ela.

    Mas basicamente, a ideia que tenho é que anda mais de meio mundo a foder (literalmente)outro mais de meio mundo!
    Não digo que concorde mas infelizmente é assim!

    Dark kiss

    ResponderEliminar
  61. Noivo... vai lá dar um olhinho no ultimo post deste blog :)
    http://amaralnascimento.blogspot.com/
    Informativo, camico... o tema é... orgasmo eheheh

    ResponderEliminar
  62. Se amasse mesmo a pessoa, o rapaz tinha que "rastejar" ainda um bom tempo para provar que mereçe o meu perdão....Se fosse eu a trair inevitavelmente teria de contar, porque sabe-se sempre as coisas mais tarde ou mais cedo...

    ResponderEliminar
  63. Seria sincera como gostaria que fossem cmg, ponho-me sempre no lugar dos outros como já disse algures lá em cima...
    Em relação a ser traída acrescento mais uma coisa, se eu viesse a saber por terceiros a hipotese de perdão era nula!

    ResponderEliminar
  64. dark-me: olá! não será uma visão demasiado fatalista das coisas?

    ResponderEliminar
  65. ah e tal: e tu rastejarias tb?

    ResponderEliminar
  66. (esperto ;) ) Rastejaria, no caso de eu ter traído por ter havido uma falta de comunicação momentânea entre mim e ele, que me levasse à insatisfação (fisica e emocional)mas o sentimento permanecesse, me arrependesse sinceramente e o quisesse MESMO de volta.

    ResponderEliminar
  67. estamos a falar em suposições noivo....mas teve lógica certo?

    ResponderEliminar
  68. Acho que este tema tem muito a ver com a conciência e educação de cada um. O que não é trair para uns pode significar uma traição para outros. A confiança é um bem muito frágil. Num relação a dois há que definir esses conceitos, o conceito de traição e de confiança para que a mesma seja saudável e não doentia, penso eu de que!

    ResponderEliminar
  69. mente feminina: e na minha opinião pensas muito bem. É mesmo isso. Bjs e seja bem vinda

    ResponderEliminar
  70. Passei para te desejar um feliz natal!

    beijo :))

    ResponderEliminar
  71. Lolita: tb para ti e para todos os teus:) beijo enorme

    ResponderEliminar
  72. ah e tal: claro que sim. é sempre bom não achas?

    ResponderEliminar
  73. Na minha opinião, quando procuramos em casa dos outros o que não temos na nossa....a coisa está preta...

    Para mim o conceito de infidelidade é originado pela falta de abertura e diálogo entre parceiros, simplesmente porque não são capazes de partilhar as suas necessidades...e na falta disso tentam compensar em outro lado...

    eu pessoalmente não lido muito bem com traição, porque também sou muito intransigente em relação a isso...quem trai um vez, volta a fazê-lo, por isso n merece outra oportunidade...quer dizer, depois de estar nos braços de outra é que se iria lembrar que afinal eu é que sou o dito "verdadeiro" amor??comigo isso não pega...

    beijihnos da ci
    e feliz natal

    ResponderEliminar
  74. Ci: antes de mais seja muito bem vinda.
    Quanto ao tema, das duas uma: ou és perfeita e exiges isso de todos ou então penso que estarás a ver as coisas de uma forma muito directa e despida de condicionantes. Isto porque acho perfeitamente possivel que quem trai ou já traiu possa ser fiel.

    ResponderEliminar
  75. Apenas exigo o que eu cumpro...:):) sou muito longe de ser perfeita...por isso os relacionamentos devem ser abertos ao ponto de se falar de tudo, até de atracções que possam surgir por outras pessoas...:):) continuo com a minha, quem traiu foi infiel, por isso fiel n o volta ser...:):)

    beijinhos da ci

    ResponderEliminar
  76. Ci: devo então concluir que nunca foste infiel, uma vez que fosse...

    ResponderEliminar
  77. ah e tal: claro que era isso:) já agora, para quando um blog pra te ler?

    ResponderEliminar
  78. concluis-te bem...se a partida eu sentisse necessidade de fazer algo do género, teria que ser algo muito forte, porque quando eu estou com alguém entrego-me de corpo e alma a essa pessoa, a partida se me sinto atraída por outras pessoas, acabo esse relacionamento, porque não me preenche...e vou a "luta", isto é, a procura do que me falta....é mais ao menos assim que eu funciono...:):)

    ResponderEliminar
  79. ainda não sei bem, mas eu aviso-te! :)

    ResponderEliminar
  80. Festas Felizes
    Cheias de Cenas Maradas!

    www.cenasmaradasde1gaja.blogs.sapo.pt
    beijos lindao

    ResponderEliminar
  81. Bom Natal querido....




    Pena certas maldades n pararem no Natal...
    Toda a verdade no meu blog.... sobre essa autora do livro "A tua Amiga".....!!!

    ResponderEliminar
  82. Ci: muito bem. Personalidade forte. é bom ver isso numa mulher

    ResponderEliminar
  83. ah e tal: espero bem que sim, estou curioso

    ResponderEliminar
  84. Noivo,
    esse vídeo é para mim?
    Se já fui infiel?!Tenho de admitir que sim...Mas, o que é ser infiel? O que é mais importante: a verdade perante nós próprios ou castrar-nos (salvo seja)?
    Aproveito para lhe desejar a si e aos seus um Natal cheio de Plumas e Lantejoulas ;P

    Bissous

    ResponderEliminar
  85. Diva: pode ser, pode ser...:)
    quanto é fidelidade, não será matéria de cada qual?

    ResponderEliminar
  86. fica descansado.:)
    A propósito do post ainda a "curiosidade matou o gato", tb se aplica.

    ResponderEliminar
  87. Vim desejar-te um bom natal, cheio de prendinhas no sapatinho, e que entres no novo ano de 2007 com o pe direito.
    Beijito!

    ResponderEliminar
  88. neuza: muito obrigado e que o teu natal seja também excelente!

    ResponderEliminar
  89. Noivo,
    desculpe mas não percebi a sua questão?!

    ResponderEliminar
  90. nem penso em quê?lembrei-me a propósito de curiosidade em relação à traição, o pessoal
    as vezes tb tem mais curiosidade que outra coisa, depois lixa-se basicamente, mas isso é malta mais jovem e inconsequente claro.

    ResponderEliminar
  91. Diva: dewculpa o erro foi meu! O é deveria ser à! Dizia eu que que as questões da fi ou infidelidade dependem de cada um!

    ResponderEliminar
  92. ah e tal: concordo contigo. Também é um pouco: fazer o mesmo de uma forma diferente!

    ResponderEliminar
  93. yap, exactamente para dizer que o que varia é a forma e o contexto.

    ResponderEliminar
  94. Ah e tal: mais uma vez de acordo:)

    ResponderEliminar
  95. Acho interessante pensar que ser infiel machuca a outra parte, inocente na história.

    Ah, andei conversando com muita gente e o papo de "a relação estava desgastada" é tudo, masnos uma desculpa aceitável, me parece mais a desculpa de quem quer colocar na vitima a culpa de ser vitimada.

    E, com tanta gente livre, qual a alegria de buscar justamente as pessoas comprometidas, pouco se importando com outros?

    Em tempo, nunca traí e após sofrer uma traição saio mais disposto ainda a nunca cometer o crime que cometeram contra mim, minha alegria, planos de futuro e paz.

    ResponderEliminar