Site Meter

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Provocaste-me!

Provocaste-me...
Insinuaste-te puxando-me para ti....
Quiseste que sentisse as formas do teu corpo com o meu....
Sabias que a reacção seria imediata, que a resistência seria nula...
Estavas ciente que o teu ar quente junto da minha pele me arrepiaria e que isso me faz estremecer...Nem sei se seria por vontade tua ou porque querias sentir a minha... talvez ambas....
A situação ficaria descontrolada brevemente e pouco importava para ti que, mesmo não sendo provável, alguém pudesse ver-nos...
O local em que sentaste era um pouco alto, sabias disso muito bem.... talvez um convite à minha boca.... coisa que para mim é difícil de rejeitar e tu sabias isso..... sabe-lo tão bem....
Bastou inclinar-me ligeiramente para te provar, para saciar a minha sede, como se fosse alguém abandonado no mais quente dos desertos..... sedento.... sem água.... e tu a fonte, o oásis no meio da aridez.... apenas tu como alimento....
Sabíamos que estavas elevada, sabias que não seria fácil para mim entrar em ti.... até eu o sabia...
Mas desconhecias o estado em que já me encontrava.... tão duro.... tão pulsante... tão grande... tão alcançador... que senti a tua surpresa quando me sentiste a entrar em ti... e a tua cara, a tua expressão, o teu puxar das minhas nádegas não traiu a certeza que tinha que a tua vontade era tão grande como a minha....
Não era confortável mas ambos sabemos que essas situações tornam tudo mais.... intenso.... não era comum e por isso mais.... estimulante.... muito menos era vulgar e portanto mais.... carnal....
Quando sentiste as tuas pernas por cima dos meus braços e te disse "agarra-me", já o tinhas acabado de fazer, e sabias também que seria jogada contra aquela parede lateral..... fria.... despida de adornos.... pronta para receber as tuas costas quentes, enquanto eu te continuaria a possuir...Sentiste o vigor do meu corpo contra o teu, enquanto suportava todo o teu peso, naqueles momentos sabes que pouco me importa a dor, o cansaço ou o desconforto! Sou um animal no cio, que travou inúmeros confrontos e sobrevivi para poder ter-te..... tal como te estava a ter naquele momento.... com sofreguidão.... com as veias em grande relevo sob a pele.... com força.... bem fundo em ti.... o mais fundo que nos é permitido, porque era essa a nossa vontade, era essa a nossa missão, foi esse o nosso desejo, foram tuas as marcas nas minhas costas e nosso..... o grito selvagem de um orgasmo partilhado e sentido a dois....

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Ser ou não ser...

Falar de amor, é falar de carinho, compreensão, sexo, desejo, tesão, partilha e comunicação.
Poderia ainda referir outras questões mas julgo que estas traduzem bem o amor.
Se olharmos para isto de uma forma global, será necessário a presença de todos em conjunto para se ser feliz. Ou não será assim? Será que na ausência de um destes pontos se consegue ser feliz? Será que uns serão mais importantes que outros? Poderá uma relação feliz sem sexo? Poderá ser feliz sem carinho? Poderá ser feliz sem comunicação? Será que a ausência de uns consegue ser compensada por todos os outros?Existirá algum fenómeno equivalente à perda de um qualquer dos sentidos humanos, em que quando um não está presente, os outros se desenvolvem mais de forma a tentar suprimir as lacunas? Haverá então uma função vicariante da coisa? Ou será que no caso das relações, a falta de algo leva a que tudo se desmorone?
É curioso existirem tantas perguntas para as quais provavelmente não temos respostas ou certezas não é?

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Vício ou gozo?

Já não é a primeira vez que me interrogo sobre isto. As visitas constantes a inúmeros blogs que leio e visito, os comentários que recebo e faço, as respostas que dou, tudo aquilo que tenho postado, escrito, reescrito e apagado, enfim.....por vezes chego mesmo a andar com o portátil para todo o lado, apenas e só para poder acompanhar este meu blog, o dos outros e quem me visita e comenta.
Não raras vezes, dou por mim a ligar o portátil em locais tais como, escola, automóvel, casa, tudo que dê para estar mais perto....outras vezes sou"apanhado" a ver certos blogs, com umas imagens mais suspeitas, por vezes do meu próprio blog e quem vê, apesar de nada comentar, deve ficar a pensar: este gajo deve ser fresco, deve, deve! lol
Então e por aì? É fácil a vossa convivência com isto dos blogs? Espero que não sejam tão "agarrados" como eu, porque como tenho no título, nem sei se é vício ou o enorme gozo que me dá!

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Questão!

Venho pensando neste assunto (e alguns outros também :)) e foi hoje o dia de o tornar acessível a todos quanto me visitam.
A questão é a seguinte: quantos de nós, os que escrevem e têm o seu blog, não pensaram já em poder conversar, trocar ideias, criticar (construtivamente é o ideal) ou mesmo apenas cumprimentar, os diversos autores do vários blogs que se lêem e visitam, por vezes mais que uma vez por dia?
Por vezes arrastam-se conversas ao longo de comentários, a pretexto dos post's, que invariavelmente ficam visíveis a todos quantos os queiram ler. Nada contra, no entanto, será que só eu penso assim? Ficarei a saber (espero eu) brevemente o que acham vocês também....Então a minha sugestão seria a seguinte: Que forma ou quais formas, sugerem vocês para que se possa contornar a questão, sem que no entanto a privacidade de cada um seja afectada?
Vá lá, critiquem ou elogiem, sugiram ou não, mas digam lá o que pensam de tudo isto....

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Eu sou a gaja!

É! Acho mesmo que sou a gaja do casal.....
Encontro 5 bons motivos para chegar a esta conclusão. Vejam só:
- Reparo sempre numa peça nova de roupa, num cheiro, num corte ou penteado diferente;
- Não adormeço a seguir ao orgasmo. Fico nos carinhos e nas festinhas agarradinho;
- Pergunto sempre como correu o dia e o trabalho;
- Adoro preliminares e por mim não existe pressa;
- Tenho imensa paciência.Agora digam lá que normalmente não identificam isto nas mulheres..... :)

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Ò Stor.....

Iniciar um novo ano lectivo, normalmente significa novos alunos, novos colegas e cada vez mais, escolas diferentes. Não, não vou falar mal da ministra:)
Pessoalmente falando, gosto desta fase por dois motivos: não gosto de rotinas e assim sendo, a coisas tendem a precisar de uma constante adaptação; o outro motivo é que sinto sempre um novo fôlego, uma nova lufada de ar fresco, até mesmo um rejuvenescer diário e sem dúvida um aumento do ego.
Então pegando no segundo motivo, resta entenderem porquê...
Sendo uma escola secundária, grande parte da população estudantil situa-se entre os 15 e os 19/20 anos. Adolescentes dos mais variados estratos sociais, com as mais variadas personalidades e estilos. Uns mais tímidos outros parece que a timidez foi algo que nunca sentiram. Tudo isto para dizer que cada viagem entre a sala dos professores e o local das minhas aulas, é tudo menos sem sal. São os olhares de espanto, que acho que traduzem: "carne fresca"; são os comentários entre dentes, que acho que apenas quem os faz está convencido que não são audíveis; e são também os piropos, que esses podem assumir as mais variadas formas e feitios...

Uns fazem-me pensar se existe educação, outros fazem-me avaliar se serão "show-off" mas acima de tudo, os que mais me dizem são aqueles que não são ditos pelas palavras mas pelos olhos.....; Confesso que gosto.

Não que me sinta mórbido, insano ou coisa que o valha, simplesmente penso que apesar da idade e do efeito do tempo no corpo, ainda se tem algo que não sabemos o quê mas que ainda consegue pelo menos provocar estas reacções.
E claro que algumas destas alunas, estão no auge das suas desenvolturas físicas e parece que fazem questão de destacar isso mesmo, através das roupas, posturas e expressões. 18, 19, anos... acho que dá para entender perfeitamente a que me refiro. Quem já não teve uma paixoneta por um professor ou professora? Quem já não fantasiou tórridas cenas com eles? Mas quem já as tentou? Quem terá ousado fazer algo por tal? Será mais forte que a nossa própria vontade? Será inconsciente? Será a posição de poder que eles exercem sobre nós? Ou simplesmente fetiche?

(Fim da aula, quando todos já tinham recolhido aos balneários)

- Ò Stor, eu acho que não consigo fazer o pino em condições, tenho sempre a noção que estou torta.....

- É? Mas olha que até fazes muito bem!

- Mas importa-se que faça para ver e me corrigir?

- OK, faz lá então para eu ver.

- Vou então fazer aqui junto à parede para me aguentar mais tempo, bem?

- Está bem, faz lá então.

Ela lá fez o pino..... perfeito não diria, mas suficientemente bem realizado para ter uma excelente avaliação. Gostei do empenho demonstrado em melhorar e a preocupação em ser corrigida.
Os seios dela? Nota máxima! Ou não tivesse ela feito tudo isto precisamente para que eu visse que não trazia nada por baixo da t-shirt, quando fez o exercício e a camisola desceu totalmente........
Constrangimento? Acho que só mesmo o meu porque no fim ela apenas disse:

- Então Stor? Fiz mal não fiz?

Palavras para quê?

domingo, 14 de outubro de 2007

Boas de/na cama!

Pois é.....esta onda de desafios/nomeações têm destas coisas e como a pessoa que meteu na cabeça que eu era BNC (leia-se bom na cama), neste caso a Nanny, merece a minha resposta aqui ficam as tais cinco pessoas que elegi:Anais: porque a sabedoria ainda traduz muita coisa.... ;)

Som do silêncio: porque não há fumo sem fogo.... ;)

Erotic spirit: porque o inglês é por si só sugestivo... ;)

Tareca: porque desconfio que que as gatas são assanhadas... ;)

Sexhaler: porque transpira sensualidade e é uma girl power... ;)

Agora é com vocês:) A minha parte está revelada:)

sábado, 13 de outubro de 2007

Pessoal ou virtual?

Serão as conversas cara a cara mais estimulantes que aquelas que se têm à distância? Será que a presença física da outra pessoa inibe ou solta a mente? Existe a coragem para que as palavras se soltem? E a sinceridade do que se está a sentir é expressa em palavras?Poderá uma conversa através do telemóvel, das sms’s ou ainda pela net ser melhor, do ponto de vista da imaginação, da provocação e da desenvoltura do que se diz?Evidentemente que existe sempre a questão de pessoalmente as coisas partirem, avançarem e terminarem em outros patamares físicos… mas por outro lado, talvez porque certas coisas não fluem na presença do outro, não servirá a “não presença física” para apimentar a vontade e o desejo?
Têm vocês a palavra…

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Ex-namorada(o)s são como o McDonald's....

Pois é, não sabiam? Pois, nem eu!
Talvez a frase já seja mais conhecido que o tremoço no entanto não deixa de ter a sua razão!
Porque será que existe o fascínio da(o)s Ex?
- Será que é o sentimento de culpa no cartório de uma separação atribulada e com algumas responsabilidades da nossa parte?
- Será que passado algum tempo, já com outra companhia, somos levados a lembrar apenas a parte boa? (Sexo, entenda-se!)
- Será que é porque o que não se tem é sempre o desejado?
- Será que é porque temos relativas certezas que ainda somos deseja(o)s?
- Será que é porque sabemos que a acontecer, será tão intenso como nas primeiras vezes?
Porque será então?
Aceitam-se sugestões.....







Ex-namorada(o)s são como o McDonald's.... toda(o)s sabem que faz mal, mas ninguém deixa de comer! :)

O que mais chama à atenção?

Meninos e meninas:
Digam lá de vossa justiça, qual dos seguinte itens vos atrai mais? Bem sei que não é fácil de escolher até porque andam de mãos dadas mas..... façam o esforço e decidam!

- Sensualidade











- Glamour










- Provocação











- Sedução














Só encontrei imagens das mulheres ;)

terça-feira, 9 de outubro de 2007

Hoje não!

Porque há alturas na vida em que o tesão de nada interessa e é a última coisa que se pensa, aqui fica o meu desabafo.... HOJE NÃO SENTI TESÃO!
ESTOU DE CAMA, NÃO NA CAMA :)

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Diálogos

Já se deram conta que tantas a tantas vezes dizemos que falámos e conversámos com as mais diversas pessoas, sem no entanto percebermos em que isso se traduz? Até aqui tudo mais ou menos mas e relativamente à nossa cara metade? À nossa companheira, mulher, esposa, namorada, amante?
Que tipos de diálogos conseguimos nós ter? Vejamos: - Construtivo; sabem aquelas conversas que se têm a dois, em que algo de positivo está implícito? - Sabes, acho que seria uma boa altura para aumentar a nossa família......; - Amor, sabes que tenho pensado o mesmo? Que tal começarmos já a tratar disso?

- Destrutivo; infelizmente por vezes é comum e pode ser bastante doloroso. - Já te disse para não meteres sem me avisares! - Ai é? Então não te faço mais nenhuma surpresa!

- Estéril; porque nem sempre produz resultados. - Sabes, hoje acordei cheio de vontade. Aliás, ainda tou cheio de vontade.... - Ahhh e quando é que vais trocar as lâmpadas da sala?

- Estimulante; um dos melhores diálogos que se podem ter. - Estava a pensar em fazer uma jantarada com as minhas melhores amigas do liceu. O que achas? - Amor, sabes bem que não me importo nada que te encontres com elas. Sou uma mulher compreensiva.

-Partilhante; porque é na partilha que as coisas adquirem um sentido mais profundo. - Olha, hoje estive a conversar com a Xana, sabes, aquela minha colega de trabalho que no outro dia me disse que gostava de ter um homem como tu? - Sei.... - Pois é, ela chateou-se com o namorado e perguntou se podia dormir cá. Bem sei que só temos o nosso quarto e a nossa cama mas vês algum problema que ela durma connosco umas noites? - Nenhum! Não vejo problema nenhum!

- Fantasiante; talvez o mais comum de todos .... - Estavas a olhar para aquela gaja não estavas? Olha que eu vi! - Eu amor? Achas que sim? Só tenho olhos para ti! Tu é que fantasias....

Mais tipos de diálogo existirão certamente, mas ficou a ilustração:)