Site Meter

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Ser ou não ser...

Falar de amor, é falar de carinho, compreensão, sexo, desejo, tesão, partilha e comunicação.
Poderia ainda referir outras questões mas julgo que estas traduzem bem o amor.
Se olharmos para isto de uma forma global, será necessário a presença de todos em conjunto para se ser feliz. Ou não será assim? Será que na ausência de um destes pontos se consegue ser feliz? Será que uns serão mais importantes que outros? Poderá uma relação feliz sem sexo? Poderá ser feliz sem carinho? Poderá ser feliz sem comunicação? Será que a ausência de uns consegue ser compensada por todos os outros?Existirá algum fenómeno equivalente à perda de um qualquer dos sentidos humanos, em que quando um não está presente, os outros se desenvolvem mais de forma a tentar suprimir as lacunas? Haverá então uma função vicariante da coisa? Ou será que no caso das relações, a falta de algo leva a que tudo se desmorone?
É curioso existirem tantas perguntas para as quais provavelmente não temos respostas ou certezas não é?

47 comentários:

  1. Noivo

    Uma questão deveras interessante, pois acho que para ser feliz é ter tudo isso sim.
    Acho que não é possivel haver felicidade quando não existem todos esses elementos juntos.
    Tudo bem que por vezes um deles ande um pouco mais "esquecido", mas não existir na relação...
    Acho que é falhanço na certa...

    Mas isso sou eu que digo...

    Um Beijo Pensativo

    ResponderEliminar
  2. ah pois é. Eu tb gostava de ter respostas para essas e outras questões vitais. Mas não há.

    É ir gerindo o melhor que se sabe.

    *

    ResponderEliminar
  3. Acredito, talvez porque quero acreditar, que seja possível algum nível de compensação entre as diferentes questões apresentadas.

    Não será igual para todos e olhando à volta encontram-se demonstrações que comprovam qualquer teoria.

    Para cada um saber de si, só percorrendo o caminho.

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. eu neste momento nao tenho amor de um homem,carinho etc pq nao encontrei ainda ninguém k me faça perder a cabeça ,mas sou feliz sem esse amor pq em troca tenho o amor dos pais ,familia ,amigos e isso faz com k eu nem me lembre desse outro amor k sei k faz muita falta,mas kundo nos sabemos k nao o temos por opção e nao pq nao sou mlher pa conseguir alguem me sinto bem e sou feliz
    bjosssssssssss
    carla granja
    B.F.S

    ResponderEliminar
  5. Quando nao está tudo lá, começa a procura fora da relação e os problemas começam aí.. Para mim a relação tem de ter tudo independentemente das medidas em que cada elemento exista senão...

    ResponderEliminar
  6. e não há tantas formas de amor?...

    beijos

    ResponderEliminar
  7. Dear Noivo,

    Amar são todos esses sentimentos de que faláste e acrescento a entrega e confiança absolutas, não se conseguindo a 1ª sem a 2ª.

    Eu entendo que a confiança é a pedra basilar de qualquer relacionamento, de resto pode muito bem amar-se sem haver alguma das outras componentes, agora sem confiança nada mais faz sentido...

    renhauuuu

    ResponderEliminar
  8. Tem que ter tudo isso, a ausencia de um qq elemento vai fragilizar a relação e vai acabar por "desmoronar"
    A compensação de que falas surge quando não se quer ver que falta algo...
    (é só a minha opinião vale o que vale)

    ResponderEliminar
  9. Ora viva!

    Caro amigo, são de facto demasiadas questões de difícil resposta e penso que é esse o segredo nas relações humanas. Românticas, carnais ou outras.

    Creio que é possível existir amor sem sexo ou apenas sexo sem amor. Ou ser-se feliz sem amor e infeliz com muito sexo. Há várias combinações possíveis pois é isso que nos faz correr atrás de alguém ou partilhar a vida com outrém.

    O desafio é tudo o que importa: o sal e a pimenta de todas as relações. Por isso é que as pessoas se casam e descasam, são fieis ou infieis, e todas essas diferentes situações porque procuram o tal desafio.

    Porém, partilhar uma vida inteira com uma só pessoa, com ou sem amor, é o maior desafio de todos.

    Um abraço...
    shakermaker

    ResponderEliminar
  10. O ideal é ter tudo... mas nem sempre isso acontece. Mesmo assim, acho que se pode ser feliz se faltar um desses factores, porque há sempre uma maneira de compensar.

    beijo

    ResponderEliminar
  11. Pode não haver resposta... mas existem os sentires
    Sem eles... o amor não consegue sobreviver
    Sejam os senyires que forem
    E o amor... é tão belo

    Beijo a sorrir

    (*)

    ResponderEliminar
  12. Equilibrio, suponho eu... Certezas... Nunca teremos certeza de nada.

    ResponderEliminar
  13. Som: e cada um tem o seu ponto de vista!

    ResponderEliminar
  14. mariazinha: sim, por vezes existem questões para as quais as respostas não surgem:)

    ResponderEliminar
  15. Curtidola: seja bem reaparecido! Pois é, existem exemplos de tudo.... vá lá saber-se porquê....

    ResponderEliminar
  16. Carla: quando as opções são tomadas livremente não existe qualquer coisa contra!

    ResponderEliminar
  17. camas: será assim tão linear?

    ResponderEliminar
  18. diabo: pois, pelos vistos existem mesmo!

    ResponderEliminar
  19. Tareca: tens toda a razão! Falha minha! Mea culpa!

    ResponderEliminar
  20. narnia: e é uma opinião tão válida quanto as outras! Mas se existe compensação não será precisamente porque é necessária?

    ResponderEliminar
  21. shaker: só mesmo tu para colocar em evidência os verdadeiros factos! Abraço

    ResponderEliminar
  22. peach: caso contrário seria a "relação perfeita" certo?

    ResponderEliminar
  23. Momento: Ahhh isso foi muito superficial:)

    ResponderEliminar
  24. Blue: também concordo. mas existirá equilíbrio sem que algum aspecto esteja presente?

    ResponderEliminar
  25. Sou eu mesma(oui-apeteceu-me mudar de nome, já agora que achas da alcunha?)A felicidade é um conceito tão relativa quanto o Amor. Por vezes banalizado, por outras ignorado e outras tantas não sentido...Tenho a minha muito própria definição para os dois conceitos, se bem que Amar pouco amei, ou raras vezes senão unica o senti,falo de Amor entre sexos e não materno...esse tenho a felicidade de Amar todos os dias e ser amada por elas!

    ResponderEliminar
  26. emmanuelle: no mínimo a mudança de nome é sugestiva:)

    ResponderEliminar
  27. Pois é...
    Beijos e abraços
    Ana e Jorge

    ResponderEliminar
  28. Apeteceu-me vir aqui só dizer que é tudo muito relativo e que cada caso é um caso...

    Haverá quem tem isso tudo e nunca está bem e quem se contenta só com um aspecto ou dois...

    Como diz o meu pai : " cada qual é feliz à sua maneira..."

    Ah e só mais uma coisita, também acho que mudamos ao longo da vida...damos valor a outras coisas ...enfim isto dava horas de conversa mas é melhor não ...:)))

    Sê feliz e ama muitooooooooooooo

    beijinhos

    ResponderEliminar
  29. Aqui vai disto:

    Para mim uma relação (estamos a falar de relações duradoiras, certo?) pode resultar a 100% sem uma das coisas desde que não seja algo essencial.
    É o fenómeno do cãozinho da pata partida que avança sem dificuldade nas três patas agora mais fortes que tem.
    O grande problema é quando o que falta é essencial. Uma coisa é faltar um rim, o outro faz o serviço... agora quando falta o coração está tudo estragado.
    Acho também que em diferentes relações os "orgãos vitais" são sem dúvida diferentes.
    Por exemplo... eu conseguiria ser feliz numa relação onde faltasse a partilha.. onde cada um tivesse os seus segredos mas ser-me-ia impossível semtir-me bem numa relação sem carinho ou ternura.
    Outras pessoas terão outras prioridades.

    Agora a pergunta que eu coloco a mim mesma é: por muito bem que a relação esteja, por muito felizes que sejamos, seremos capazes ou deveremos deixar de procurar aquela que tem tudo?

    ResponderEliminar
  30. Opá, isso é muito complexo para a minha cabecinha maquiavelica. Eu estou enquanto me sinto bem, agora o que me faz sentir bem... nem penso nisso!

    ResponderEliminar
  31. Tudo ou nada? Que radical!
    Fizeste-me lembrar de algo que li, e procurei se sorte na net... era uma frase que acabava com "não se pode ser feliz o tempo todo" ou qualquer coisa do género.
    E agora pergunto eu: a felicidade não poderá depender também da ignorância? Se não soubermos que há algo mais ficaremos felizes com o pouco que temos, não?
    Porque é que procuramos tão desesperadamente ser felizes e acabamos por nunca perceber bem se o somos realmente?
    Porque é que há tanta gente que adia a felicidade? Quando casar... Quando tiver um filho... Quando o filho deixar de ser bebé... Quando ele for para a escola... Quando terminar a faculdade... Quando se casar... Quando...?
    Já agora, porque é que é raro encontrar alguém feliz com o que tem? Porque é que havemos de fazer depender a nossa felicidade de alguma outra pessoa?
    Porque é que são poucos os que conseguem olhar para si objectivamente e sem sofrimento e pôr o dedo na ferida de modo a identificá-la e curá-la?
    Porque é que eu não páro por aqui antes que desbobine todas as outras perguntas que me queimam a língua e este comentário fique do tamanho de um post e, mais uma vez, sem o mínimo vestígio de uma resposta às tuas perguntas?
    Quando é que eu me calo?!
    Já de seguida.

    Beijo

    ResponderEliminar
  32. Sónia: será a teoria da relatividade?:)

    ResponderEliminar
  33. Ana: uns serão mais conformados outros nem tanto! Como em tudo na vida!

    ResponderEliminar
  34. mafarrica: sim, o momento actual e presente conta muito!

    ResponderEliminar
  35. Sexhaler: tens sempre carta branca para escreveres o que pensas!

    ResponderEliminar
  36. És um doce, Noivo. Obrigada.

    Beijo

    ResponderEliminar
  37. passando para te desejar uma boa semana

    e te espero na janela :)
    bjo carla granja

    ResponderEliminar
  38. Ó noivo... nem te reconhecia com essa camisola!

    "É curioso existirem tantas perguntas para as quais provavelmente não temos respostas ou certezas não é?" É, é...

    ... olha, eu não sei qual é a tua dúvida maior. Mas deixa que te diga, sem arrogância nenhuma...

    Uma relação sem sexo não será apenas amizade? Vá que seja um amor platónico... pronto.lol

    Digo-te que por mim, basta que um, apenas um dos pontos que referes, e seja ele qual fôr (porque todos são importantes, mais uns tantos outros que não referiste), para que isso a que se chama de "relação" não exista... e passe a ser uma não-relação. Ou uma outra coisa qualquer.

    Mas enfim, desde que o relativismo ganhou terreno nas nossas apologias... é capaz de haver malta que sobreviva sem um desses pontos. Depende do grau de exigência de cada um.

    Queres saber? Para mim, ou tudo ou nada. Exactamente. Sou radical.
    É que nem estou assim, de repente, a ver como preencheria a lacuna da falta de sexo, ou de carinho, na minha relação... quanto mais a falta de compreensão, de desejo, ou de...

    ... vai na volta devo ser é muito exigente...eheheh

    ResponderEliminar
  39. Apenas para dizer q te li, mas como a felecidade é um sitio distante fico-me por aqui.abraço
    PS- Ainda nao consegui definir bem o que é o amor, se uma fantasia que passa, ou um sentimento que fica.:-))

    ResponderEliminar
  40. Eu acho que na ausência de um dos pontos se pode ser feliz, pode viver-se uma vida e chegar-se ao fim com a sensação que foi uma vida bem vivida. Para se ser verdadeiramente feliz, no entanto, acho que se tem que ter tudo se eu sentir que me falta algo por muito que tenha de tudo o resto não conseguirei ser verdadeiramente feliz.

    ResponderEliminar
  41. Anabela: espero não estar a cometer nenhuma injustiça mas já nos conhecemos?

    ResponderEliminar
  42. xupanopipi: ora ai está uma curiosa dúvida! Sendo como sou vou pensar nela por muito tempo! Abraço

    ResponderEliminar