Site Meter

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Agora toma lá!

Sabem aquelas pessoas que têm a mania que são muito espertinhas e que tentam controlar tudo? E o melhor é quando algo não corre como esperam! Sentem-se enganadas!
Pois é…… venho então publicamente dizer que devo ser desse tipo de pessoas! Tenho de assumir! Mea culpa!
Para aqueles que se lembram de um célebre post, não há muito tempo atrás, acerca do quanto sofrem os machos neste mundo, tal como podem verificar AQUI com fotos e tudo, eu referi que era solidário com o meu macho. Disse também que queria as coisas de uma certa forma. Sabem o que vos digo agora? Foda-se!!!!!
Então vocês acreditam que a família vai aumentar dentro de uns 15 dias? Não, não vou ser pai de uma criança feita à pressão, muito menos optei por uma adopção. A família vai é passar de 2+2 para uns assombrosos 2+10!!! Para os mais distraídos, isto quer dizer que a cadela tem neste momento 8 cachorrinhos à espera do momento certo para saltarem cá para fora, serem o orgulho dos progenitores e ainda para perpetuarem os seus nobres genes.
Acreditem que quando soube, pensava que deviam ser obra do Macgyver. Andei eu a separar os bichos, cheio de pena do macho por não poder molhar a sopa e não é que ele arranjou maneira de dar a verdadeira rapidinha às escondidas? E eu a pensar que ele nem sabia fazer a coisa, pois sempre que o via a tentar, nem sequer acertava no sitio certo! Fodi-me! Gay o caralhinho!!! Deve estar a rir-se fortemente de mim! E o seu pensamento não deve andar muito longe de: “ahhh e tal….pensavas que não sabia foder? Agora aguenta-te! :-)”
Portanto, a actual situação é esta: vou ser como que um avô!
O difícil agora vai ser ver as crias a partir ao fim de dois meses, mas espero encontrar pessoas à altura de os ter. Não pretendo ganhar dinheiro com esta criação mas como sei que vou ter bastante despesa (já comecei a ter ontem, e das grandes!) nos próximos tempos, pelo menos que dê para cobrir os prejuízos. Só para que conste, são dois belos exemplares de Retriever do Labrador, macho preto com fêmea chocolate, de boas famílias e com temperamento a toda a prova e dadores de sangue (não, não estou a brincar!). As cores que vão sair não se sabe mas há boas possibilidades de saírem das três cores (preto, chocolate e bege). Caso haja alguém interessado, mail me!

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Quando a curiosidade nos motiva!

Posso considerar-me uma pessoa curiosa. Sempre gostei de entender o porquê das coisas, a forma como funcionam e a pergunta “porquê” deve ser das que mais vezes faço.
Quando algo desperta a minha curiosidade, tenho muita dificuldade em resistir a satisfazê-la.
Em conversa com amigos, homens e mulheres, fiquei a saber que existem certos produtos à venda nas sex-shop’s que publicitam resultados fabulosos quer para homens, quer para mulheres, ao nível da libido, da disfunção eréctil e da potência sexual e que realmente funcionam.
Até aqui, assumindo a minha ignorância no assunto, sempre pensei que o Viagra e o Cialis, efectivamente resultassem, mediante prescrição médica e nos casos em que tal se justificasse. No entanto nunca ouvi falar de nenhum tipo de fármaco que funcionasse e fosse prescrito para as mulheres. Portanto, quando ouvi aquelas almas a dizer que quer os homens quer as mulheres já tinham experimentado uns produtos das sex-shop’s, específicos para homem e específicos para mulheres e que ainda por cima resultaram, confesso que a minha curiosidade se aguçou ainda mais.
Sempre fui uma pessoa sem problemas ao nível da vontade e apetite sexual, por vezes se calhar até de mais, e felizmente até hoje nunca passei por nenhuma situação em que o meu corpo não correspondesse ao desejo e à minha vontade, no que às relações sexuais diz respeito. Como acho que todos os homens já se interrogaram como seriam os efeitos de tomar um “comprimido mágico”, eu também não sou excepção. Nessas alturas, muito provavelmente surgem as questões: “andarei o dia todo de pau feito?”, “vou ter vontade de foder tudo que se mexer e usar saias?” ou ainda “venham elas que as avio a todas!".
Logo de seguida surgem outras questões, nomeadamente aquelas que nos fazem recuar perante tais opções, tais como: “para ser necessária prescrição, aquela cena deve fazer mal!”, "Será que tomando sem ter problemas vou ficar com problemas depois?” ou então “Que vergonha, ter de dizer ao médico, logo outro macho, que estou com problemas, só para ele poder receitar aquilo!”.
Ora então, saber que existem à venda uns comprimidos que pelos vistos fazem milagres, que quem já experimentou e é da minha confiança tomou, não trouxeram efeitos secundários e funcionaram, definitivamente levaram-me a um orgasmo de curiosidade.
Pois muito bem, lá foi o noivo à sex-shop e toca a comprar uma embalagem que continha duas cápsulas. Viamax de seu nome. Já estava quase a pagar quando decidi comprar também a versão feminina. Duas cápsulas também para ela e toca a pensar na altura mais indicada para experimentar os seus efeitos!
Já tinha falado com a noiva acerca de experimentar tais produtos. Mas a conversa entre nós ia sempre parar naquele ponto comum “deve gastar-se o dinheiro e o efeito não passa de placebo”. No entanto ambos tínhamos curiosidade em comprovar tal teoria.
Nesse dia ao jantar, toca a tomar os meus dois comprimiditos e pasmem-se, sem lhe dizer nada que os tinha tomado, ainda coloquei o conteúdo das cápsulas para ela, no seu café… :)
Porquê perguntarão vocês. Simples! Ela sempre se mostrou mais céptica do que eu relativamente aos seus efeitos e portanto eu queria verificar se realmente haveria alterações ou efeitos, sem que ela fosse influenciada pela consciência de os ter tomado. Dá para entender não dá?
Aquilo diz para se tomar cerca de uma hora antes da actividade sexual, pelo que passado esse período de tempo eu olhava para ela na tentativa de deslumbrar um qualquer sinal de efeito. Nada! Da mesma forma, pensava para com os meus botões: “foda-se, não tou a sentir nada! Será que ainda não teve tempo para fazer efeito? Que grande treta! Era o que já suspeitava!”. Era este tipo de pensamento que imperava naquele momento.
Estava à espera de um certo efeito, de uns certos indicadores e nada! Nada!
O tempo foi passando e quando chegámos à cama, as coisas foram-se desenrolando na maior das naturalidades, beijinhos, abraços, umas mãos aqui e ali de parte a parte, uma língua em mim, uma língua nela e coisa e tal…tudo aquilo que todos vocês já sabem. De vez em quando lá voltava à minha ideia que havíamos tomado os produtos mas como não sentia nada de diferente nem sentia nada nela, a ideia foi deixada de lado e já nem pensava mais.
O sexo estava a ser muito bom como sempre e os nossos orgasmos acabaram por chegar. Continuamos agarradinhos e ela continuou a sentir que eu estava duro. Até aqui também nada de anormal. Não é raro acontecer. Ela olhou para mim com aquela carinha de quem diz “tu queres mais festa” e com a boca começou a chupar-me enquanto se tocava. Quando me vim novamente já ela se tinha vindo mais duas vezes usando a sua mão. Foi muito bom!
A “sirene do alarme” disparou quando após o meu segundo orgasmo, continuei em riste! É que nem deu sinal de relaxe sequer! Estava duro que nem pedra e a mão dela sentia isso também. Ora sabendo eu que quando ela tem um orgasmo bem forte fica assim em modos de relaxe forçado, e tendo em conta que deu bem para perceber que foi precisamente um desses que ela acabara de ter, quando ela me disse, “tu hoje estás possuidito! A tua sorte é que eu também…” e dito isto saltou para cima de mim com uma vontade e uma intensidade de quem não fode há uns dias, eu constatei que algo de “anormal” se estava a passar não só comigo como com ela também. Fiquei estupefacto! Podem acreditar!
Mais um orgasmo para cada um e se vos disser que depois desse, ainda demos mais uma já começam a ter uma ideia dos efeitos que aqueles comprimidos originaram!
Depois dessa, finalmente começamos a dar sinais de abrandamento. Não sei se a vontade começava a faltar ou se era os efeitos do cansaço. As posições já tinham variado não sei quantas vezes, a duração de cada acto parecia que aumentava de cada uma das vezes, a verdade é que parámos. Nessa altura eu lancei com um sorriso maroto: “acho que tu é que estás possuidita hoje! Que se passa?” ao que ela respondeu: “és tu que me pões assim maluquinha!”. E eu pensava com os meus botões: “esta merda funciona mesmo! Tenho de lhe por isto na sopa!!!” :)
Lá acabei por lhe dizer que ambos havíamos tomado “os tais” comprimidos. Ela começou a dizer que não acreditava mas começou a achar que realmente eu estava “onfire” assim como ela. Julgo que foi nessa altura que ela disse qualquer coisa a ver com orgasmos, orgasmos fizeram-me pensar em sexo, sexo fez-me ter vontade e ter vontade deixou-me naquele ponto em que se lhe desse com o membro na testa certamente ficaria uma nódoa negra por uns largos dias! De alguma forma ver-me assim teve sensivelmente o mesmo efeito nela e se nós usássemos preservativo, certamente o único odor naquele quarto seria o de borracha queimada! Que brutal!Por essa altura já tinha receio que até uma mosca que aparecesse no quarto me fizesse ficar duro! :)
Conclusão, ambos ficámos admirados com os efeitos daqueles comprimidos que julgávamos impossíveis de tais efeitos! Depois dessa vez, já os usámos mais uma vez, por altura do seu aniversário. Escusado será dizer que aquele quarto de motel deve ter ficado encerrado uns dias para consertar todo o mobiliário. :)
Portanto, acho que será pertinente dizer: Não precisávamos e gostamos!
Fica a dica, caso pretendam verificar os efeitos em vocês e surpreender os vossos(as) parceiras!
Ahhh já agora, vejam este vídeo! Acho que se aplica!

domingo, 24 de fevereiro de 2008

E eu ? Não sou também português e consumidor?

Caros leitores: no seguimento do ultimo post, de seu nome "Swing na tv", que posso desde já dizer, quebrou todos os recordes de comentários, não só em quantidade como em qualidade, achei pertinente disponibilizar neste blog, uma autêntica pérola que encontrei num site de uma associação portuguesa.

"CASAIS SWING – Programa “Em reportagem”, RTP1, 30 Janeiro de 2008"

"Transmitiu a RTP1 em 30 de Janeiro de 2008, pelas 23:25 (a seguir ao horário nobre), no programa “Em reportagem”, uma peça intitulada “Os casais swing”, aliás já anunciada em dias anteriores.

Tratou-se, claramente, de publicidade e incitamento a uma forma de promiscuidade sexual, que não deixa de o ser apenas porque é feita de comum acordo entre os parceiros.

Assim sendo, estranha-se e repudia-se que a RTP, empresa estatal prestadora de serviço público, não compreenda que o fomento da promiscuidade sexual, em qualquer das formas em que possa apresentar-se, contraria, no mínimo, as preocupações que frequentemente exibe sobre a disseminação das doenças sexualmente transmissíveis.

Porque não nos parece curial nem aceitável que a RTP, como empresa do Estado, não cuide de evitar questões desta natureza apresentamos, enquanto órgão da Sociedade Civil, o nosso veemente protesto.

Acresce dizer que o número de reclamações que foram recebidas nas últimas horas respaldam a posição que a ACMedia entende assumir sobre este caso e que o teor dessas várias reclamações não só complementam o fundamento do protesto como adicionam ainda outros factores que põem em realce o incumprimento do Estatuto a que a Televisão Pública está vinculada."

Lisboa, 1 de Fevereiro de 2008

Nuno von Amann de Campos

Presidente da ACMedia

Agora que já leram, digam lá o que ficaram a pensar.

domingo, 17 de fevereiro de 2008

Swing na tv

Falar sobre swing cria sempre controvérsia e as mais variadas reacções.
Uns tempos atrás, passou uma reportagem na sic notícias, que tinha como título Swing. Confesso que estava curioso para a ver. Contudo se a reportagem era sobre Swing, vou ali e já volto!
Em primeiro lugar foi em Inglaterra. Em segundo lugar, as pessoas pareciam escolhidas num filme de terror. Em terceiro lugar e a ajudar na festa, só falava em trios.
Para ficarem com uma ideia, eram coisas deste género: o gajo tratava super mal a mulher, queria estar com outras, ela deixava mas não concordava, chorava etc.... ! Ou ainda o casal mais idoso em que ela queria ter filhos mas que ele não queria porque assim podiam viver o Swing, e ela dizia isto perante as câmaras a chorar.... o verdadeiro Swing! Enfim!
Ora bem, quem conhece o meio minimamente, sabe que as coisas não são bem assim. Não quero com isto dizer que não haja casais em que ele ou ela estejam a fazer o frete. Mas aí eu pergunto: alguém tem relações ou envolvimento por frete para fazer a vontade ao companheiro(a)? Talvez entre alguns grupos de casais isso possa até ser possível. Principalmente naqueles em que não interessa com quem, o que interessa é que se foda. Principalmente porque nesses a sedução, o erotismo, o deixar as coisas surgirem com naturalidade não existe. Felizmente, tanto quanto me é possível entender, a generalidade não é assim.
Então, não posso deixar de ter ficado contente, quando recentemente vi uma reportagem na RTP1, que podem ver AQUI, também com o título Swing, mas que nada tinha a ver com a anterior. Posso também dizer que não foi, pelo menos do meu ponto de vista, um retrato abrangente. Isto porque a grande maioria dos entrevistados são Swingers há muitos anos e como em tudo, com o tempo fala-se das coisas de uma forma mais vulgar, directa e objectiva. Precisamente contrária àquilo que eu entendo que se pode viver no Swing. E isto não é uma crítica. É simplesmente a minha opinião pois as vivências vão-se alterando em função da qualidade e da quantidade de experiências que se têm. De qualquer forma, não estava à espera que numa reportagem, que se pretende isenta, tentassem passar uma imagem positiva do Swing. Isso não aconteceu. Mas teve o grande mérito de também não denegrir, o que apesar de tudo já foi um passo enorme para que se tente entender melhor do que se trata. E é este o ponto-chave desta análise que aqui faço. Julgo que a grande maioria das pessoas ficaria chocada, com a quantidade de casais que gostam de se divertir, dançar, tomar um copo, vestir uma roupa mais ousada, sentir-se sexy sem no entanto ser vulgar, sem que isso signifique sexo, pelo simples facto de estar num clube Swing. Isto já para não falar das mais variadas profissões, extractos sociais ou idades entre os casais que os frequentam, uns mais outros menos assiduamente. Encontrar-se-á de tudo certamente. Cabe a cada casal identificar-se mais com uns, mais com outros, ser mais ou menos activos, mais ou menos ousados mas sempre com algo presente: a vontade do casal! De cada casal!Não sou defensor ou agressor do Swing. Poderia ser mais audaz na sua defesa mas acho que não é necessário. Vivo a minha vida e dentro de alguns limites, apenas registo a opinião dos outros em relação a certas coisas. Posso concordar, discordar, até ser indiferente. Mas não julgo. Isto independentemente do facto de ser ou não Swinger. Felizmente as pessoas são adultas, ainda por cima são duas cabeças e se fazem o que querem ninguém terá a legitimidade de dizer que está errado.
Ahhh é verdade, quase me esquecia: não sou defensor ou agressor dos Gays! Não sou defensor ou agressor das Lésbicas! Não sou defensor ou agressor das pessoas Bissexuais! Não sou agressor ou defensor de quem é da Direita ou da Esquerda, mesmo que em muitos casos nem saibam porque o são! Mas haverá sempre quem critique e ainda bem! Eu também só gosto do que já experimentei!

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Dia dos namorados incontornável

Todos sabem que é mesmo assim!
Por muito que se tente passar ao lado, não dá!
Claro que é passível de grandes considerações sobre a questão consumista do dia, o porquê da existência do dia, etc mas não é o mesmo que se passa com o Natal e as suas prendas? Com o Carnaval e as suas fantasias? Com a Páscoa e os famosos ovos? Com o Dia do Pai e da Mãe? Em todos estes casos, qualquer dia seria o indicado para oferecer uma prenda, para declarar o amor eterno, para diversão, etc..
Então, na minha opinião, o melhor é nem pensar mito nisso e viver as coisas uma de cada vez! Ahhh e quase me esquecia: O dia dos namorados é para todos quantos têm alguém que amam! E não me venham com histórias que quem é casado já não tem de se preocupar com estas coisas! No dia em que deixar de namorar ficarei muito triste e reflectivo!Aos que não têm ninguém para festejar este dia a dois, talvez seja uma boa altura para pensarem porquê. Se chegarem à conclusão que é porque não amam ninguém, podem sempre pensar que essa pessoa estará ao virar da esquina! Aos que amam e não são retribuídos, podem sempre pensar que um dia as coisas mudam! Aos que amam e não sabem se são correspondidos, mais vale perguntarem de uma vez e esse dia é bom para isso! Aos que simplesmente não querem ninguém, é uma opção tão válida como as outras, mas pelo menos podiam mascarar-se de cupidos e ajudar quem ama!
Feliz dia dos namorados! Feliz dia dos amantes!

P.s.- A foto é da lua de mel :) "A nossa semana dos namorados" ;)

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Aceita-me assim!

Há dias em que tudo se quer dar e tudo e tão pouco!
Existem dias em que a nossa pequenez, perante tamanha grandiosidade nos encolhe!
Em certas alturas o universo seria pequeno para conter a grandiosidade do que me apetecia oferecer!
Hoje é o dia em que apenas me tenho para te oferecer.....
Aceita-me!
Aceita-me consciente de que o que por ti sinto, não cabe em lugar existente!
Aceita-me assim porque nada mais tenho para te oferecer a não ser o que sou, a não ser o quanto te quero e a não ser o quanto te desejo!
Aceita-me como tua prenda porque nada mais é dado com tanto amor, carinho, dedicação e vontade!
Amo-te!Parabéns amor!

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Carnaval primitivo

Que as noites de carnaval costumam ser animadas, não é novidade para ninguém.
Que podemos ser quem quisermos, já todos sabem.
Mas em par tem mais sabor e disso acho que ninguém discorda:)

Só para quem merece:)

domingo, 3 de fevereiro de 2008