Site Meter

domingo, 17 de fevereiro de 2008

Swing na tv

Falar sobre swing cria sempre controvérsia e as mais variadas reacções.
Uns tempos atrás, passou uma reportagem na sic notícias, que tinha como título Swing. Confesso que estava curioso para a ver. Contudo se a reportagem era sobre Swing, vou ali e já volto!
Em primeiro lugar foi em Inglaterra. Em segundo lugar, as pessoas pareciam escolhidas num filme de terror. Em terceiro lugar e a ajudar na festa, só falava em trios.
Para ficarem com uma ideia, eram coisas deste género: o gajo tratava super mal a mulher, queria estar com outras, ela deixava mas não concordava, chorava etc.... ! Ou ainda o casal mais idoso em que ela queria ter filhos mas que ele não queria porque assim podiam viver o Swing, e ela dizia isto perante as câmaras a chorar.... o verdadeiro Swing! Enfim!
Ora bem, quem conhece o meio minimamente, sabe que as coisas não são bem assim. Não quero com isto dizer que não haja casais em que ele ou ela estejam a fazer o frete. Mas aí eu pergunto: alguém tem relações ou envolvimento por frete para fazer a vontade ao companheiro(a)? Talvez entre alguns grupos de casais isso possa até ser possível. Principalmente naqueles em que não interessa com quem, o que interessa é que se foda. Principalmente porque nesses a sedução, o erotismo, o deixar as coisas surgirem com naturalidade não existe. Felizmente, tanto quanto me é possível entender, a generalidade não é assim.
Então, não posso deixar de ter ficado contente, quando recentemente vi uma reportagem na RTP1, que podem ver AQUI, também com o título Swing, mas que nada tinha a ver com a anterior. Posso também dizer que não foi, pelo menos do meu ponto de vista, um retrato abrangente. Isto porque a grande maioria dos entrevistados são Swingers há muitos anos e como em tudo, com o tempo fala-se das coisas de uma forma mais vulgar, directa e objectiva. Precisamente contrária àquilo que eu entendo que se pode viver no Swing. E isto não é uma crítica. É simplesmente a minha opinião pois as vivências vão-se alterando em função da qualidade e da quantidade de experiências que se têm. De qualquer forma, não estava à espera que numa reportagem, que se pretende isenta, tentassem passar uma imagem positiva do Swing. Isso não aconteceu. Mas teve o grande mérito de também não denegrir, o que apesar de tudo já foi um passo enorme para que se tente entender melhor do que se trata. E é este o ponto-chave desta análise que aqui faço. Julgo que a grande maioria das pessoas ficaria chocada, com a quantidade de casais que gostam de se divertir, dançar, tomar um copo, vestir uma roupa mais ousada, sentir-se sexy sem no entanto ser vulgar, sem que isso signifique sexo, pelo simples facto de estar num clube Swing. Isto já para não falar das mais variadas profissões, extractos sociais ou idades entre os casais que os frequentam, uns mais outros menos assiduamente. Encontrar-se-á de tudo certamente. Cabe a cada casal identificar-se mais com uns, mais com outros, ser mais ou menos activos, mais ou menos ousados mas sempre com algo presente: a vontade do casal! De cada casal!Não sou defensor ou agressor do Swing. Poderia ser mais audaz na sua defesa mas acho que não é necessário. Vivo a minha vida e dentro de alguns limites, apenas registo a opinião dos outros em relação a certas coisas. Posso concordar, discordar, até ser indiferente. Mas não julgo. Isto independentemente do facto de ser ou não Swinger. Felizmente as pessoas são adultas, ainda por cima são duas cabeças e se fazem o que querem ninguém terá a legitimidade de dizer que está errado.
Ahhh é verdade, quase me esquecia: não sou defensor ou agressor dos Gays! Não sou defensor ou agressor das Lésbicas! Não sou defensor ou agressor das pessoas Bissexuais! Não sou agressor ou defensor de quem é da Direita ou da Esquerda, mesmo que em muitos casos nem saibam porque o são! Mas haverá sempre quem critique e ainda bem! Eu também só gosto do que já experimentei!

158 comentários:

  1. Pois eu também não sou defensora nem apologista, unicamente respeito aquilo, que há partida é do comum acordo entre o casal.
    E se é de comum acordo e benéfico para a sua vida a dois, nada há a crescentar ou a criticar.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  2. Ja é o segundo blog que visito que aborada este tema...tenho que ir ver a reportagem :)

    é o que dizes...Não julgar é o essencial porque nunca sabemos o da de amanha e se nao nos aquece nem arrefece o que os outros fazem entao muito melhor. Nunca pensamos que o nosso vizinho do lado possa ter esse tipo de práticas e depois vamos a ver...pode ser qualquer um. Na minha rua já aconteceu uma situação pouco agradavel para os intervenientes (ambos professores da universidade), mas passados 2 anos já ninguem fala disso.

    Vou ver a reportagem.

    bj

    ResponderEliminar
  3. Há muito tempo que esperava este texto.
    Beijinhos e parabéns

    ResponderEliminar
  4. Olá , n sei como encontrei este blog tão interessante, ainda só li este post , pareceu me bastante interessante , e o tema , é de facto , um assunto que anda na ordem do dia , vi ambas as reportagens , e uma vez mais ficou explicito o quanto os canais de televisão , e todos, são tendencialistas.
    Mas é realmente uma evolução , o facto de haver cada vez mais casais swingers , está provado e estudado que nem todos os seres humanos foram talhados para serem fieis , e isso é uma óptima maneira de contornar esse obstáculo manter a relação e saltar a cerca .
    Opinião pessoal , tenho e é muito própria quanto a isso , primeiro de tudo , a d o r o dar exclusividade e ter , logo isso depende das formas de amar , segundo de tudo, se n gosto da pessoa com quem estou mais vale é estar sózinha até me apaixonar , faço uma pergunta , será que essas pessoas estão apaixonadas pelos seus companheiros ?? n sei.
    Acho por experiência própria que não há tanta profundidade e involvência, n sei se calhar sou uma romântica ou uma eterna apaixonada pela vida , acho que cada um faz o que quer , e existe pessoas que preferem quantidade à qualidade , outras qualidade à quantidade , outras que se n há mais vale é aprooveitar, outras que se iludem por outras coisas qer, o que mais odeio , é tudo o que é acomodação e falta de evolução. Seja como for , somos livres n é , e se todos querem porque não.
    Sem mais ;)

    ResponderEliminar
  5. já vi algumas reportagens e a impressão que sempre me ficou foi que a vontade do homem prevalece, ele que propõe para esposa/namorada a prática de swing.
    Não condeno nem critico, somos livres graças a Deus, cada um faz o que quer.
    Eu não o faria.
    Não considero que as evoluções ou as diferenças, sejam sempre para melhor.

    ResponderEliminar
  6. acima de tudo fica a tua mensagem final pois a nossa opinião deve ser sustentada no que se exepriencia e sem que isso nos faça pender para a defesa ou ataque. gostamos ou não sem quaisquer outros juizos. muito bom.

    ResponderEliminar
  7. ternura: são considerações que cada casal poderá ou deverá fazer...

    ResponderEliminar
  8. silvia: realmente anda na ordem do dia e na boca das pessoas. Se calhar o vizinho do lado é um patrão que não paga aos empregados, bate na mulher e nos filhos e ninguém se importa. Se for swinger..... tem de ser falado e apontado. Será por fazer algo que outros não são capazes? Querendo ou não!

    ResponderEliminar
  9. ifrancisca: então espero que a espera tenha compensado:)

    ResponderEliminar
  10. iris: o que interessa é que cá chegaste:)
    Achei curiosa a expressão de que é uma forma de pular a cerca:) Se a minha interpretação estiver correcta, isso acontece como traição. Logo sem conhecimento. Logo escondido. Logo incorrecto. Estaremos a falar do mesmo?
    Tentando responder à tua pergunta, acho que partes do principio errado que quem está no swing não está apaixonado ou ama os e as respectivas parceiras. Se é algo feito a dois e com desejo, cumplicidade e vontade de ambos, onde está a falta de paixão? Bjs

    ResponderEliminar
  11. ju: acredito que seja essa a imagem que passa. Mas acreditas se te disser que não é bem assim? E se te disser que normalmente até é a mulher que "gere" as coisas? Ou serão então as mulheres subjugadas às vontades dos homens?

    ResponderEliminar
  12. cassamia: acima de tudo penso que é mesmo isso!

    ResponderEliminar
  13. Expressei me mal ,n é pular a cerca é experimentar novas coisas que envolvem pessoas .
    A fantasia principal masculina é a de ter relações sexuais com mais do que uma mulher.
    Não me cabe na cabeça estar apaixonada por um homem e ter relações sexuais com outro daí a confusão. Ver quem mais desejamos a dar prazer a outra mulher , a troca de olhares , concerteza é muito intensa , mas no minimo faz me confusão. Acho que a entrega total deva ser valorizada e a intimidade unica e secreta de quem n precisa de 3º e 4ºs para se sentir visto e realizado no seu ego de voyeur , e se são bons amantes e imaginativos acho que n há necessidade,por isso, para mim , chamem me retrógada, que n me importo, n sou adepta do swing, se bem que friso, uma vez mais , acho uma óptima via para os casais se expressar sexualmente, existe imensas maneiras é preciso é o consenso comum e o respeito mútuo.

    Bem hajam

    ResponderEliminar
  14. iris: entendo perfeitamente o que queres dizer. E como é evidente cada qual tem os seus princípios, a sua educação e como tal, formas diferentes de ver e entender as mais diversas coisas. Portanto aqui ninguém te vai chamar retrógrada porque cada um tem a sua opinião e ela deverá ser valorizada.
    Permite-me apenas dizer que achei curiosa a expressão "...e se são bons amantes e imaginativos acho que n há necessidade...". Das duas uma: ou quem está no swing não é bom amante e/ou imaginativo, e isto aplica-se a homens e mulheres, ou são excelentes amante e ainda mais imaginativos?

    ResponderEliminar
  15. faço minhas as tuas palavras,venho dizendo isto hà longo tempo,cada uma é que sabe,o corpo é de cada uma a vontade também...que lhes faça bom proveito.....

    Tem uma boa semana.....

    Um abraço:pandorabox

    ResponderEliminar
  16. Ninguém tem o direito de julgar ninguém.... Seja quem for...

    Não critico nem defendo cada um tem os gostos e opinião que quer e so se tem que respeitar...

    São gostos e nda amis não concordo quendo dizem que a mulher vai por "arraso" ou que é "forçada" a algo ninguém vai sem querer se vai é porque também gosta e quer.. Ninguém manda em ninguém...


    Beijinho

    ResponderEliminar
  17. pandora: é mesmo o que penso relativamente a isto e é bom saber que não sou o único.

    ResponderEliminar
  18. helena: totalmente de acordo. Serão falsas argumentações ou uma forma de machismo/feminismo dissimulado dizer que alguém o faz sem ser de livre vontade?

    ResponderEliminar
  19. Li com muita atenção o teu texto.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  20. Eu falo por experiência própria, e não tem nem de longe a intimidade que se tem com quem amamos. Se bem que mais abrangente é pouco concentrado, é disperso, mas concordo novamente com o noivo exagerei quanto aos termos usados,são óptimos amantes e imaginativos e são livres.Talvêz o swing seja uma forma consentida pelo parceiro de se ter amantes imaginários ? Seja como for, quem sou eu para os julgar? Apenas uma mulher que tem uma opinião e alguma experiência de vida.
    Beijos

    ResponderEliminar
  21. Eu vi a reportagem no pc porque estva postana no blog da sutra e passados uns dias conheci um dos casais entrevistados num jantar de 20 pessoas swingers. Foi a 1º vez que foi a uma coisa dessas e posso dizer-te que me diverti imenso.´Há que não encarar os swingers como diferentes.
    beijos e tens o obélix desta vez

    ResponderEliminar
  22. Desde que fui ao eros e me convidaram para festas swing.... nunca mais fui a mesma! Lolololol

    Relativamente ao assunto... não sei se era capaz de o fazer apesar da curiosidade ser mais que muita... Talvez ficasse apenas pelas "meninas" e não me atrevesse a "experimentar meninos", o que, por si só desrespeita todas as regras do swing.

    A parte mais romântica e sonhadora de mim não me deixa ver envolvida com o corpo de outro homem, principalmente em frente ao MEU homem...que diz não ser "assim tão aberto quanto isso"... Mas a curiosidade continua lá.... Tudo depende do momento, do envolvimento criado na situação.

    Mais um tema fantástico. Parabéns Noivo!

    ResponderEliminar
  23. Acho não ser capaz de o fazer... não sei... Mas cada um é que sabe de si... Há realmente relacionamentos muito diferentes uns dos outros, e as necessidades não são todas iguais...

    ***MUAH***

    ResponderEliminar
  24. Para mim...não obrigada!!!
    preservo muito o que tenho e não me vejo de tudo nesses envolvimentos...não que seja conservadora (nada disso...mesmo!!) mas por ser uma eterna romântica apaixonada!!
    Beijos

    ResponderEliminar
  25. pduarte: e ajudou em alguma coisa?

    ResponderEliminar
  26. iris: eu também não tenho qualquer interesse em "pegar" contigo entendes? Claro que as pessoas deverão seguir o que sentem e pensam sem que isso tenha de significar concordarem com algo com que não se identificam. De qualquer forma acho que entendo o que queres dizer com "uma forma consentida pelo parceiro de se ter amantes imaginários", mas serão consentimentos? Serão amantes? Ou mesmo imaginários? Ficam as questões para reflexão.

    ResponderEliminar
  27. lua: talvez pq são pessoas iguais a tantas outras? Ou deveriam ser diferentes apenas porque decidem ter uma vida intima diferente do que é usual? Usar strapons é usual? Fantasiar com outras pessoas é usual? Sexo em lugares públicos é usual?

    ResponderEliminar
  28. vânia: serão forças de bloqueio internas ou externas? Não digo para experimentares. Longe de mim dizer tal coisa. Mas pergunto qual seria a diferença entre estares ou estarem com uma mulher ou um homem, relativamente a um casal. Fica a questão:)

    ResponderEliminar
  29. lneves: ainda bem que disseste isso! É que sinceramente não acho que alguém à partida diga que seria capaz de o fazer. E podes perguntar à esmagadora maioria de quem é swinger.

    ResponderEliminar
  30. lau: porque será que sempre que alguém diz que para si não, tem logo de dizer a seguir que não se trata de conservadorismo?

    ResponderEliminar
  31. Também falei deste assunto ontem, embora os nossos posts abranjam pontos diferentes.
    Como já disse noutros blogs e no meu também, eu assumo alguma curiosidade, e acho que a maioria das pessoas que diz não ter, está a mentir. Apenas, se a oportunidade surgisse, não sei se iria para a frente, mas assumo-me curiosa, sem qualquer problema.
    No entanto, confesso que se experimentasse, gostaria de o fazer no âmbito de uma "relação aberta". Poderá ser uma limitação minha, mas não consigo imaginar o homem que amo, com outra mulher, nem a mim com outro homem, tendo uma relação com ele...

    Agora, todas as pessoas têm direito a realizar as suas fantasias, e se o casal tem vontade, porque não?
    Apenas porque eu não quero, não tenho que dizer/pensar mal de quem quer!
    Se as pessoas desejam mesmo fazê-lo, ninguém deve ser julgado por isso!

    ResponderEliminar
  32. Está calado! Eu não vi a reportagem, mas o meu pai viu e pobrezinho....
    Ficou de rastos... "porque a humanidade está perdida..." "qual é o futuro deste mundo?"
    "aquilo~não é gente!"
    Ficou do pior....

    Sinceramente, estamos num mundo cada vez mais livre... É à consciencia de cada um aceitar ou não viver nesse tipo de relações!

    ResponderEliminar
  33. Such truths, who are we to criticize another's tastes, needs, and preferences. Specially if we don't even understand it. Think I have left my opinion here a couple times regarding swing - slightly curious but ignorant about it.

    kiss

    ResponderEliminar
  34. Como sabes, eu até teria algo (muito) a dizer, porque quando tenho opiniões procuro ter fundamento. No entanto, passei só para te deixar um beijo, dizer que não estou esquecida de ti que gosto muito de te ler e que regressarei assim que tiver tempo para escrever tudo o que me vai n'alma.
    Até o meu canto ficou parado por falta de tempo! :(

    Beijo

    PS - E a Feira? Foste? ;)

    ResponderEliminar
  35. Excelente texto Noivo. A minha opinião já a conheces :) Como tu também não sou defensora nem agressora de praticamente nada...a cada cabeça a sua sentença, julgamentos e ideias pré-concebidas é que não por favor LOL
    Muito sinceramente? Não pratico nem tenho curiosidade em praticar, e faz-me alguma confusão quando oiço defender o Swing como "verdadeiro amor" porque blablablabla e que não sentimento de posse e blablabla e que assim é que deve ser e blablabla...
    O amor e o sexo devem ser vividos por cada um da forma que melhor entenderem desde que daí não resulte "dano" a nenhuma das partes envolvidas. Simples, não?
    Bjos meus

    ResponderEliminar
  36. Olá. Nunca experimentei. Não daria. Mas curioso estou em saber como seria.
    Não tenho nada contra, claro. Acho que cada um se deve divertir como pode, como gosta.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  37. Sobre a reportagem, devo dizer que não a achei isenta, simplesmente porque não acredito em peças de comunicação isentas. Não foi uma má tentativa, mas não deixou de ser parcial.
    Estou a gostar deste debate e a moderação está excelente, os meus parabéns. Aliás, acho que seria interessante um debate televisivoo após a reportagem, porque aí se iria poderia ver os vários lados da questão.
    O contributo que eu queria aqui deixar, para lá da opinião, são algumas questões. Houve alguém que disse que só aceitaria swing numa relação "aberta". Segundo o que eu entendi, isso signinfica que apenas o faria com alguém que não amasse. Parece-me legítimo o medo de perda, assim se não for uma pessoa importante, custa menos. Mas será legítimo dizer que amamos melhor e somos melhor amados em exclusividade? Onde fica a liberdade de escolha de quem se ama? Amar é possuir? Amar é partilhar?

    ResponderEliminar
  38. Mas pensando bem,e muito cá pra nós:eu já me vejo phodida(à farmácia),despedir-me pra um quanto mais pra tudo ó molho e depois sou tão mas tão egoísta.....na veradde eu como tudo muito bem sózinha,,,,,,eheheehee

    um abraço:pandorabox

    ResponderEliminar
  39. simplesmente sou da opinião de que cada um sabe de si. importa é sermos felizes :)

    ResponderEliminar
  40. sim noivo, eu tb só opino naquilo que faço ou ja fiz... posso ouvir o que me têm para dizer, mas opinar sobre sensações que nao tive ou nao tenho.... isso nao faz sentido né :) ?

    bjs

    ResponderEliminar
  41. Bom acho em primeiro lugar que cada um é dono do seu corpo e faz o que bem entender com ele, desde que isso lhe de prazer...e se não der é escolha de cada um...não critico nem apoio...o que cada um faz pouco me importa, desde que isso não interfira comigo...tal como a ninguem interessa o que faço ou deixo de fazer com o meu corpo, desde que não falte ao respeito a ninguem nem a mim mesma...
    O swing parte do pressuposto de que ter prazer é independente do sentimento Amor, prazer podemos ter com "qualquer pessoa", mas realizarmo-nos sentimentalmente só com aquela pessoa que amamos, que nos completa...
    E se esta forma de vivencia sexual é uma maneira de fortalecer este sentimento e valorizar a relação, então porque não?!
    Mas não funcionará com qualquer casal como é perceptivel...ou ficará muito mais fortalecido ou pode originar a sua ruptura...é um risco...que pode ter pelo menos estes dois desfechos...
    Bom, ja me estou a alongar...

    Beijos com sabor a rosa vermelha

    ResponderEliminar
  42. nikita: sou obrigado a concordar contigo. Mas dá para explicar o porquê de "a acontecer", ser com alguém numa relação aberta? Acho que entendi o porquê de o dizeres mas estaremos a falar de vários níveis de relações abertas? Caso concreto: se alguém pretender swingar, deverá ir acompanhado com alguém pago para isso? Serão apenas amigos coloridos? Ou um casal que tem uma relação aberta em relativamente a assumir que há experiências e fantasias que apenas fazem sentido se forem vividas a dois?
    Alonguei-me nas perguntas mas nisto há sempre tanto para dizer....bj!

    ResponderEliminar
  43. maaf: confessa lá....não foram também os comentários ouvidos nos locais de trabalho e no circulo de amigos, no dia seguinte um pouco por todo o lado?

    ResponderEliminar
  44. erotic: sabes uma coisa? É algo que todos fazemos: ter ideias relativamente estereotipadas sobre certas coisas. Queres exemplo pessoais? Olha: detesto sushi. realmente detesto. Já provei mais que uma vez e detestei. No entanto conheço imensas pessoas que adoram!!!
    terei tido azar? Talvez....mas neste caso tenho a minha experiência pessoal. E tinha tudo para nem sequer experimentar! Não gosto de peixe e imaginá-lo comer cru era motivo para nem sequer me atrever a tentar. Resta-me dizer: "eu gostava de gostar!"

    ResponderEliminar
  45. sexhaler: como já deves ter reparado, fazem tb falta aqui os teus comentários por isso vê lá se voltas:) Não, não tive oportunidade de ir :(

    ResponderEliminar
  46. siala: a mim parece-me, mas é apenas a minha opinião...

    ResponderEliminar
  47. taurnil: é mesmo por ai. Cada cabeça, sua sentença.

    ResponderEliminar
  48. carpe: meu deus! Tu queres fazer este noivo cair em desgraça! :)
    Pois muito bem, pode até não ter sido isenta mas foi a mais isenta até hoje, entendes? Alguém ouviu os jornalistas dizerem que o swing é que é, que é um espectáculo e que todos deveriam experimentar? Eu não ouvi nada disso. O que ouvi sim, foram os casais que foram contactados para falar, dizerem que estavam no meio porque gostavam, e nem por isso todos alinhavam pelos mesmos motivos e razões. Acho que até aqui não estou a dizer nenhuma barbaridade.
    Quanto à escolha ou exclusividade, vale o que vale! Cada um de nós que está junto ou casado com alguém, certamente o está porque existem um conjunto de sentimentos, vontades e expectativas que são mútuas certo? No conjunto será por aqui. Na individualidade, cada um dos parceiros terá um sem número de outras questões que são pessoais. Também aqui todos tivemos que nos adaptar ao que o outro pensa, faz e escolhe, muitas vezes sem que isso signifique que é o que nós adorámos. Não será isso que todos os dias fazemos com as pessoas que nos rodeiam e com as quais convivemos? Seja em casa, no trabalho, no grupo de amigos e família? Identifico-me e gosto? Faço!
    Não me identifico ou não gosto? Não faço! Não digo é que sou melhor ou pior apenas pq não conheço/não sei como é/ouvi dizer/penso de forma diferente!

    ResponderEliminar
  49. pandora: vais ter de definir mólho:)

    ResponderEliminar
  50. diabo: vindo do diabo é caso pra dizer: o diabo é tolerante:)

    ResponderEliminar
  51. quando: ainda usando o exemplo da comida posso dizer-te que nunca provei arroz de cabidela e digo sempre que não gosto. Mas queres saber a melhor? Adoro arroz de sarrabulho! Alguém me explica isto? Ou melhor, quem critica isto? ;)

    ResponderEliminar
  52. rosa: ponto pertinente! Sou quase levado a dizer que sem relação forte, só entra no swing quem: está a fazer o frete ao parceiro(a), ou quer acabar a relação.
    Não serão estes alguns dos motivos de algumas críticas? O não se querer admitir que com ou sem swing, alguns casais não têm relação tão forte e estável ou mesmo saudável como seria desejável?
    São apenas questões no ar para quem quiser responder ou comentar.

    ResponderEliminar
  53. Como assumi a minha curiosidade (que tenho e considerável!), achei por bem expor o que me vai na ideia. Mais concretamente o seguinte: neste momento, se decidisse experimentar o swing, apenas o faria com uma pessoa por quem não esteja apaixonada. Um amigo colorido, um amigo "de cama", sei lá...por aí. A minha ideia de relação aberta, em que apenas entram sentimentos como atracção, desejo, tesão,...
    Porque como já disse, não consigo separar amor e sexo relativamente à pessoa com quem estou agora, e sei que caso partilhássemos a cama com outras pessoas, iríamos mais magoar-nos um ao outro, do que qualquer outra coisa.
    Aliás, eu até já lhe assumi essa minha curiosidade, ele também disse que tem alguma, mas tal como eu, não está virado para experimentar.

    Agora, o facto de considerar o swing apenas para uma relação aberta, é unicamente no meu caso! Eu é que não consigo imaginá-lo de outra maneira, para mim. Para os outros, cada um sabe de si, e ninguém tem que julgar ninguém!
    Visito blogs de swingers, e de casais que trocam parceiros entre si, e eles gostam e sentem-se optimamente assim! Porque são todos adultos, partilham todos das mesmas fantasias, e se estão em sintonia, porque não hão-de fazer o que bem lhes apetece? Se é desejo do casal, partilhar a cama com outras pessoas, não vejo porque não hão-de experimentar! Sinceramente é uma fantasia como outras, basta apenas que as pessoas queiram realmente fazê-lo!
    Volto ao meu caso. Se amanhã ele me dissesse que era fantasia dele experimentar uma troca de parceiros, eu juro que consideraria essa hipótese. Claro que não prometo mudar de ideias e ir a correr meter outra pessoa na nossa cama, mas não lhe digo peremptoriamente não, primeiro porque não é assim que as coisas devem funcionar entre um casal, e segundo porque tanto eu como ele sempre fomos plenamente abertos às fantasias um do outro.
    Agora, se tanto eu como ele tivéssemos essa vontade, já teríamos certamente experimentado! Se era algo que nos excitava conhecer, porque não?
    Não sei se me expliquei convenientemente, mas é como tu dizes, é difícil expor tudo o que há para dizer sobre este assunto, e ainda mais, tentar explicar o nosso ponto de vista sem que as pessoas julguem que estamos a ser púdicos ou a denegrir quem swinga. Nunca foi essa a minha intenção, porque se fosse, não visitaria blogs de swingers nem assumia curiosidade pelo assunto.
    Ideia final: cada pessoa/casal tem direito a viver livremente as suas fantasias, e não deve ser julgado por isso, apenas porque há quem não partilhe delas!

    ResponderEliminar
  54. xii que horror, agora é que eu vi o testamento que escrevi! Podes bater-me lol

    Bj

    ResponderEliminar
  55. Ah noivo I usually try things at least once is my moto but there are several exceptions to this... anything that I'm not comfortable with. Before i try I do my research, learn as much and then decide if I'm comfortable or not. On swinging I do not know enough to know if I would be comfortable or not trying it ... u see U have changed my perception somewhat, if u recall my initial reaction was more negative.
    I don't think I'm closed minded, I accept others people's fetishes and their right to pursue them - including my partner, but I also have the right to differ on my own tastes ... swinging... hummm ... well u never know!

    :)

    ResponderEliminar
  56. Quem tem duvidas que experimente!

    ResponderEliminar
  57. nikita: de forma nenhuma escreveste de mais. Posso já dizer-te que não esperava que este post possibilita-se tantos comentários bem escritos e participativos, onde se tem abordado várias questões pertinentes e legitimas. Estou muito contente por isso e está a ser para mim o post mais interactivo. Resumindo: estou orgulhoso por ter leitores deste calibre!
    Relativamente a apenas uma situação que referes, "...não consigo separar amor e sexo relativamente à pessoa com quem estou agora, e sei que caso partilhássemos a cama com outras pessoas, iríamos mais magoar-nos um ao outro, do que qualquer outra coisa." só não consigo perceber o porquê de saírem magoados. Ou melhor, até acho que sei porque o dizes mas será que é mesmo assim? Tens prazer quando sabes que estás a proporcionar prazer ao teu companheiro? Sentes-te bem quando sabes que ele está bem? Ficas feliz quando lhe fazes uma surpresa? Gostas quando ambos decidem experimentar algo novo?
    tanta questão.....

    ResponderEliminar
  58. erotic: o meu objectivo neste quase fórum, tem sido permitir que as pessoas se questionem, se coloquem perante certas perguntas mas não defender seja o que for porque felizmente, e este post tem-me permitido verificar ainda mais o que já sabia, que tenho um universo de leitores culto, capaz de pensar por si, heterogéneo e que possibilitam que se fale sobre um assunto quase tabu, sem no entanto caírem na vulgaridade.
    As nossas opiniões por vezes vão mudando. principalmente se ouvimos, lê-mos ou conversamos com quem tem outra forma de ver as coisas, com quem já viveu e tem outra opinião, etc...
    Eu não sou diferente mas também é necessário alguma abertura de espírito. Hoje posso dizer que consigo falar de alguns assuntos por mim próprio, sabendo bem do que falo. mas relativamente ao swing, aposto que a maioria das pessoas pensa que quem decide entrar no meio, tem a ideia que isso significa ter sexo. Sei de casos que tiveram essa experiência sexual ao fim de dois anos de frequentar clubes, jantares, festas e saídas com outros casais swingers. Identificam-se com a liberdade de mentes, com o ambiente sensual e de erotismo que normalmente está presente, como facto de se poder falar de tudo e quando digo tudo refiro-me mesmo a tudo, sem que isso seja motivo de dedo apontado, mas acima de tudo, gostaria de chamar à atenção que se por vezes não é fácil duas pessoas terem os mesmos gostos imaginem quatro! Como em tudo, é necessário que os casais tenham bem presentes o que gostam, o que querem, até onde são capazes de ir e se gostam que as coisas aconteçam naturalmente ou se as preferem acelerar. Foi um bocado confuso não foi?

    ResponderEliminar
  59. trinity: as coisas não serão bem assim:)

    ResponderEliminar
  60. "Não sou agressor ou defensor"

    reti esta estrondosa afirmação...

    tipo banho-maria ... LOOOOOL

    ResponderEliminar
  61. Noivo, isto está praticamente um chat! E ainda bem, porque o debate de ideias é sempre algo muito positivo ;)
    Respondendo às tuas questões, eu como já disse, tenho liberdade com a pessoa com quem estou para partilhar as minhas fantasias, e ele as dele comigo. Isso, é algo de que me orgulho, porque como bem sabes há muitas pessoas que não se realizam a nível sexual com os companheiros por terem demasiados "macaquinhos na cabeça". No que diz respeito ao swing, posso dizer que me imagino por exemplo com ele num clube, a ver outras pessoas swingar. Até é capaz de me excitar toda aquela envolvência, clima de sensualidade, etc...mas já não sou capaz de me imaginar com ele a participar numa troca com outros casais. Não sei se percebes o que eu quero dizer...
    Quando falei em magoar, era neste sentido: nós não fazemos questão de experimentar. Ponto. Mas imagina que há um dia qualquer que essa ideia nos passa pela cabeça, numa loucura repentina qualquer e decidimos ir em frente com isso. Ora, o mais provável, é que aquela excitação momentânea desapareça na hora em que ele me vir ser tocada por outro homem, ou eu o vir a envolver-se com outra mulher. O que quero dizer com isto, é que um casal, quando decide aventurar-se por este tipo de práticas, deve conversar bastante e ficar bem claro os desejos, vontades e expectativas de cada um!
    Para finalizar, e isto já vai longo, para mim só o facto de ver que ele está a ter prazer, a mim me deixa out of control! Claro que sim. Pelo que percebi, queres que te diga se eu aceitaria swingar, caso ele me dissesse ser uma fantasia sua. Olha, vou ser o mais sincera possível, não lhe diria imediatamente "nem pensar!, não prometo que mudasse o meu ponto de vista, mas pensaria no assunto. Afinal, aquilo que ele quer interessa-me, e gosto que ele também seja assim comigo, porque é mesmo assim que acho que as coisas devem funcionar!
    Mas tens razão quando falas em tantas questões...sabes, isto é um assunto que bem ou mal, espicaça as pessoas. A maioria tem curiosidade, mas não assume. Condena sem ter bases para o fazer. Enfim...
    Fica sempre muito por dizer!
    Parabéns a ti, pela moderação que estás a fazer de todas estas opiniões, é bom podermos falar abertamente sobre tudo!
    Gostemos ou não, queiramos experimentar ou não!

    Beijos ;)

    ResponderEliminar
  62. nikita: é verdade que está a ser fantástico em termos de confronto de ideias e opiniões. Mas olha, eu não quis que me dissesses o que farias caso ele quisesse. Apenas me referi ao facto de o parceiro poder ter ou não prazer em saber que o outro tem prazer.

    ResponderEliminar
  63. tens razão só se pode gostar do que já se experimentou e acho que as pessoas devem ter uma mente suficientemente aberta senão para experimentar, pelo menos para entenderem que não devem ser moralistas ao ponto de condenarem os outros.
    A liberdade, aqui como em qualquer outra situação da vida, é o factor mais importante. Gostei da tua abordagem madura e isenta

    ResponderEliminar
  64. É decididamente , um tema que tem 'pano para mangas'. E ao que parece o swing anda na moda...pelo menos no mundo dos bloguers!!!!lol
    Gostei do blog. ;))

    ResponderEliminar
  65. Curioso.. ainda há pouco comentei no blog do Gato este assunto, fica aqui um copy do que lá disse, abreviando o que não interessa aqui no teu blog:

    ...
    Tentando ser objectiva, e falando do que sei: nunca pratiquei swing, nem o pretendo fazer. Não excluo a hipotese contudo, porque sei hoje que mudamos de opinião com as experiências de vida que temos.
    Acredito hoje que a fidelidade não existe, mas sim a verdade, seja ela sob que nuances for.
    Acho que o swing tem mais contras que prós, mas não sou radical.
    ...
    Por mim, se um casal swinger é feliz assim, se se sente pleno e satisfeito com a situação, fantástico. O que é uma necessidade para nós pode não ser para o casal do lado , e vice versa.
    Acho que se andarmos todos sem palas nos olhos, se vivermos em tolerância e sem radicalismos, só poderemos nos transformar em seres humanos melhores.
    E por aqui me fico..."

    Plagiando-me, cá fica... é um tema tão sensivel, que acredito mesmo que só com tolerância o poderemos discutir.
    beijinho grande para ti, e obrigada por nos trazeres o assunto de forma tão isenta, começa a ser raro nesta blogosfera.

    ResponderEliminar
  66. cada um na sua, não é? Live and let live!

    beijos**

    ResponderEliminar
  67. Longe de mim querer pegar contigo noivo , acho o teu blog super interessante , continua o bom trabalho.
    Beijos

    ResponderEliminar
  68. Olá rapaz!!!
    Por acaso não vi essa última reportagem na Sic Notícias mas sim da RPT, como sei que sabes. Não me vou alongar mais sobre o tema pois viste os dois posts em que divaguei sobre tais "brincadeiras" e que foram um pouco longos. E quando fazes a interrogação se serei conhecedor, pois a vida vai-nos fascinando e atraindo para esta ou aquela ocasional experiência...:)

    Queria também dizer-te que, a propósito do comentário que, simpaticamente como sempre, me deixaste hoje sobre o gravar os textos do blog, acrescentei no post algo sobre isso, caso não saibas (mas se calhar, até sabes).

    E quanto à tal conversa a 3, temos que a ter um dia destes :)))

    Abraço que te deixo!!!

    ResponderEliminar
  69. Bem,nada a acrescentar,o que importa é que as pessoas sejam felizes e realizem as suas fantasias,temos de respeitar que não seja a dois,pode ser a três a quatro,são apenas números, e valem o valor que lhes atribuirmos.

    Abstenho-me..

    Parabéns pelo assuinto sempre 'on fire'.

    Beijos

    ResponderEliminar
  70. Molhó=tudo ao molho e fé em Deus,,,rsrrsrrsrs..caraças!!!


    Um abraço:pandorabox

    ResponderEliminar
  71. Sou como tu Noivo, só digo que gostou (ou não) o que já experimentei. A vontade de experimentar é que depende do que se trata. Só isso.
    Beijito*

    ResponderEliminar
  72. Sim o que cada um faz na "sua casa" só a ele diz respeito mesmo!
    Mas é um assunto que tem muitos pontos de vista diferentes. Parabéns para os que o conseguem fazer e tiram prazer disso!
    Abraços

    ResponderEliminar
  73. Em tempos idos fiz uma experiencia com o meu marido e um casal de amigos. Confesso que não me senti à vontade. Não consegui sequer levar até ao fim! Acabei por dizer para os dois se ocuparem dela e mesmo e sei que o meu marido também não se sentiu bem com a coisa. Logo, foi algo que não nos deu vontade de repetir. Nem com aquele casal, nem sinceramente com mais alguém!

    ResponderEliminar
  74. Eu já fui enganado à conta do swing!!!

    Só ao fim de duas horas a ver um programa é que percebi que era sobre o swing no golfe!!!
    ;o)

    ResponderEliminar
  75. Contráriamente ao que possa parecer, acabei por gostar de reportagem.
    Poderiam de facto ter abordado muita coisa que ficou de fora, mas atendendo a que não passou de um "Brifing", até estava bom.
    O que dizes no inicio do texto é de facto realidade.
    Cada casal tem as suas razões para chegar ao Swing.
    Mas uma coisas é certa, mesmo para os mais liberais, inicialmente não é fácil.
    Muitos são os casos em que há disistências durante os próprios actos.
    O swing em Portugal, é dos piores que poderás constactar, todos querem outra mulher, mas nenhum dá a mulher a comer, a sério.
    Por isso vê-se muita procura de trio, mas sempre, um, mais duas.
    Raramente se vê a procura de um Single para o complemento.
    Depois é onde os Bis estão mais à vontade com os parceiros e podem revelar o seus desvio.
    Swingar verdadeiramente é aqui ao lado...em Espanha.

    ResponderEliminar
  76. Eu a experimentar tinha de ser com um casal constituído por um impotente acamado (de preferência ligado à máquina) e uma ruiva boazona. O pior é se a minha jove a apanhasse primeiro...

    ResponderEliminar
  77. carla: pelo menos gosto de tentar!

    ResponderEliminar
  78. attitude: isso normalmente quer dizer que são bons temas:)

    ResponderEliminar
  79. red: fica dificil ser imparcial quando se tem um blog que é suposto ser pessoal. cada qual com as suas ideias e opiniões. mas tb é por isso que gostamos de visitar os "nossos" blogs.

    ResponderEliminar
  80. iris: espero que não entendas que estou a pegar contigo! Simplesmente estamos a "conversar". Era bom se isso fosse possível com toda a gente! bjs e tens sempre este espaço à tua disposição!

    ResponderEliminar
  81. shelyak: em ambos os casos penso que os objectivos estão a ser alcançados:)

    ResponderEliminar
  82. profundo: podes colocar onfire nisso:)

    ResponderEliminar
  83. pandora: então assim seja:) sem mólhos:)

    ResponderEliminar
  84. pekenina: claro! depende de cada um!

    ResponderEliminar
  85. rp: não diria parabéns! Diria que existem tantas coisas que agradam a uns e a outros não que é mesmo normal que assim seja.

    ResponderEliminar
  86. zaka: ainda não consegui entender se foi um trio, um swing combinado do género: "amanhã vão lá a casa e vamos ver se somos swingers".....

    ResponderEliminar
  87. if you: por vezes as coisas acontecem em formato alargado! Ou seja, nem sempre é fácil de assimilar e processar uma grande quantidade de emoções e sentimentos num dado momento. A "desistência" por um lado só demonstra que as pessoas são capazes de dizer não quando não estão confortáveis. Não implicando que depois isso não seja alvo de conversa a dois. É uma das características próprias do swing, o diálogo e partilha do que se pensa e sente!
    Relativamente a Portugal, talvez essa seja a tua opinião, no entanto permite-me discordar dela. Por um lado porque não me parece que se esteja a falar de um qualquer prato gastronómico e também porque sei que alguns casos não fazem o todo.
    Por outro porque talvez essa seja a experiência obtida ao frequentar sites do tema, onde normalmente nos respectivos perfis se diz que se procura casais ou mulher. Mas algum casal que queira um homem precisa de anúncio??? Fica a questão!
    Pelo que dizes entre casais os bis revelam-se? Não sei sinceramente. Até porque o normal é os casais falarem sobre as suas preferências abertamente.
    Quanto a Espanha.....apenas digo que entendo o swing como sendo muito mais que sexo. Mas é verdade que em alguns dias e em alguns clubes os singles podem entrar. Numa área restrita! Mas olha que em Portugal também!

    ResponderEliminar
  88. rafeiro: com um pouco de sorte quem sabe....:)

    ResponderEliminar
  89. Foi algo que surgiu assim no meio de uma noite de copos... nada que já não tivesse sido falado antes. E fomos dois casais!

    ResponderEliminar
  90. zaka: havia algo mais que pura amizade?

    ResponderEliminar
  91. Nunca experimentei mas sei que cá se faz muito às escondidas como tudo o que tem a ver com sexo.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  92. Bem!... já por cá não passava há algum tempo, e que grande surpresa! Primeiro, Noivo, muitos parabéns por este post. Tenho-me deparado com vários sobre o mesmo tema ultimamente, mas acho este muito bom, acho que tocaste (não só no post como na moderação dos comentários) a grande maioria dos pontos essenciais. No entanto, há uma palavra que ainda não encontrei aqui... aliás, duas... 'medo' e 'possessão'. Temo que este comment se vá alongar, mas aqui vai:
    Qualquer pessoa que leia o meu blog pode perceber que não sou de facto muito dada a conservadorismos, mas de forma alguma penso em pessoas menos liberais como 'botas-de-elástico', 'retrógradas', ou qualquer outra coisa desagradável deste género. Tive algumas longas relações que nunca envolveram sequer a idea partilhar o meu companheiro. E a questão, sendo a minha essência tão liberal (e por vezes quase libertina) é... então porque não? Bom, no meu caso, por medo. Medo de ser preterida, medo de que nada voltasse a ser tão bom ou excitante depois disso, medo que o meu companheiro encontrasse melhor que eu e, ainda por cima, eu tivesse de assistir! E esse medo trouxe possessão, e essa possessão limitações aos meus desejos e suas concretizações. Tive assim 15 anos de relações monogâmicas (tanto quanto sei ;)!), devidamente aprovadas pela sociedade e pela minha educação cristã, em que proclamava exclusividade por amor e respeito, quando cá dentro era o medo e a insegurança que reinava. É a isto que tantos chamam amor? Hmm...
    Neste momento, como podem ler no meu blog, a minha vida mudou muito. Não digo para melhor, ou pior, nem a minha própria vida me sinto no direito de julgar. Mas estou feliz. Partilho todos os meus desejos e fantasias, partilho o meu corpo, o corpo do meu amante, e acredito que estamos a construir algo baseado em respeito, liberdade, em que dois seres com as mesmas vontades confiam, em si e no outro. Os nossos olhos nunca se deixam. Dizem tudo. O prazer maior é o prazer do outro, é o saber que não há traição, não há engano, não há segredos. Estamos ali, os dois, despidos de tudo, e quem mais está, está porque NÓS queremos, porque são 'instrumentos' do nosso prazer, não do nosso coração. Esse está lá, como à mesa do jantar ou na sala de cinema, ou a ler o jornal na esplanada aos domingos de manhã. É intocável. E já não tenho medo, já não tenho vergonha, porque alguém me entende e me quer conhecer tal e qual como sou. E eu deixo :) ...
    Eu sei, isto está super longo, podes fazer o mesmo no meu blog, tá?? Desculpa... Queria só deixar claro que a questão não é o certo ou o errado, mas por favor, não digam que os swingers não se amam!... Esses tristes exemplos que passaram na televisão portuguesa e que não vi, deviam ser proibidos - pelo menos o 1º, ao que entendi. Qualquer reportagem em que se mostram mulheres a chorar porque são 'obrigadas' a fazer swing... Oh, por favor! Nem sei comentar sem ser extremamente desagradável, vou conter-me...
    Noivo, obrigada pelo espaço, prometo compensar ;) xx

    ResponderEliminar
  93. pois, eu tb n�o defendo nem ataco..cada um sabe de si

    n�o percebi o teu coment�rio ao post da carpe...faltavam pormenores picantes, n�o gostaste?

    este teu post � mto pertinente. gostei.

    beijos quentes, meu querido.

    ResponderEliminar
  94. H� gostos para tudo!
    Cada um come o que e quem quer da maneira q desejar :)))


    Dark kiss

    ResponderEliminar
  95. ah, um pormenor que estava em falta depois de toda a atenção que recebo no meu blog... estás linkado ;) **

    ResponderEliminar
  96. Bem Noivo,não me querendo repetir mas já a fazê-lo pois é o quarto comentário que faço em relação a este tão controverso tema resta-me aqui dizer que deste Universo do Swing só dele deve fazer parte quem o procura numa lógica puramente lúdica.Comungo da tua opinião quando dizes também que da tua parte não são tecidas criticas aos amantes desta prática...Eu não me consigo imaginar envolvida desta maneira apenas porque talvez tenha ideias bem pré definidas do tipo de relação que quero para a minha vida!No entanto sou apologista de que as nossas (e quando digo nossas refiro-me ás duas partes envolvidas na relação pois só assim faz sentido) fantasias devem ser incessantes e passiveis de serem realizadas!E se passar por envolvimentos a este nivel então cada um deve estar em perfeita sintonia com o outro e saberem que as emoções angariadas neste tipo de práticas podem ser mais excessivas e dificeis de gerir do que se pensa!Quem por lá permanece acredito que consiga gerir e digerir tudo isto,agora quem experimenta tem que pensar que pode levar uma estalo brutal nos sentimentos e daí,colocar toda uma relação em risco.Outros mesmo vão ficando como bem dizes pelo frete,talvez no desespero de querer segurar o companheiro(a).
    Não gosto se quer de imaginar a pessoa que comigo partilha tudo envolvida desta maneira,nem a nossa intimidade sujeita a esta exposiçaõ.Da parte dele é nconcebivel este tipo de envolvimento também respeitando contudo quem o pratica!
    Cá me vou ficando pelo prazer dos momentos a dois que aí o campo não é minado:DD..

    Beijoo doce!

    ResponderEliminar
  97. special: tens razão e vou colocar uma questão: será que se não fosse um pouco às escondidas teria todo este interesse e controvérsia que a todos toca?

    ResponderEliminar
  98. Lucia: devias vir mais vezes então:)
    Medo e possessão....pois muito bem!
    Não é o medo(chamarei receio) inato a cada um de nós? Quem enfrenta o que não conhece com ausência de dúvidas e receios?
    Receio que o parceiro(a) goste mais, receio de se ser preterido(a), receio de ainda por cima ter de assistir....
    Receios estes que levam à possessão. Faz todo o sentido para mim. Podes acreditar que sim. Mas se me permites:
    Quando alguém decide ter uma relação séria com outra pessoa, fá-lo porque é mesmo isso que quer ou por receio que essa pessoa possa encontrar alguém melhor que nós? Estará a relação a servir de cadeado? Temos mais receio que alguém descubra que tem mais sentimentos por outra pessoa ou que tenha mais prazer com outra pessoa?
    Receio de ver o companheiro(a) a ter mais prazer e nós a assistir....e nós estaríamos ali a fazer o quê? A assistir ou também ocupados? Pondo de lado o frete, estaríamos então apenas a pensar no nosso umbigo?
    Tantas coisas sobre as quais se podem tecer considerações.....
    Mas sabes que mais? adorei o teu comentário! Aliás, quase todos os comentários que aqui têm feito! E sabes porquê? Porque as pessoas de alguma forma sentem que devem e podem falar sobre isto, sobre o que pensam, sobre o que receiam, sobre as suas dúvidas, na sua esmagadora maioria legitimas! A mim tem-me cabido tentar levar estes "diálogos" a novos diálogos! Tentar! Nem sempre se consegue! Mas se por cada resposta a um comentário a a cada dúvida ou receio conseguir fazer com que reflictam mais um pouco, sem preconceito, então sou o blogueiro mais feliz que existe:) Isto dava um verdadeiro post:)

    ResponderEliminar
  99. muito querida: é impossível não gostar! com ou sem piri-piri:)

    ResponderEliminar
  100. lucia: isso quer dizer "marcado"? ;)

    ResponderEliminar
  101. ana: deixa-me apenas perguntar uma coisa e se quiseres depois responder eu volto a responder ok? Então é assim: tudo o que disseste é válido para todas as fantasias de ambos os parceiros?

    ResponderEliminar
  102. adorei a abordagem ao tema.
    como em tudo na vida, haja liberdade para se fazer o que se gosta, com quem nos sentimos bem.
    beijinhos e obrigada pelas visitas às gajas!!

    ResponderEliminar
  103. cosmic: não tens de agradecer que é com todo o gosto!

    ResponderEliminar
  104. Conheço um filme, que n sei exactamente se tem esse ou outro nome, que aborda o tema na perfeição.
    Eu não sei até que ponto gostava de ver o meu namorado a comer uma gaja mesmo ao meu lado.... e vice-versa.

    ResponderEliminar
  105. Oi...

    Ja passei por aqui em outras oportunidades e nunca deixei um comentário e resolvi faze-lo hoje.

    Antes demais parabéns pelo post e pelo blog. Sobre este assunto já tinha lido em outros blogs,li também em alguns jornais e ainda vi essas duas reportagens na TV.
    Acho que de uma forma mais ou menos resumida, dizes o essencial sobre este assunto para além de conseguires uma optima moderaçao.

    Obviamente que a mim me faz muita confusão, e certamente que não acontecerá, estar a ver a minha namorada ou mulher a fazer sexo com outra pessoa e eu a ver, e o contrario também é verdade. (nem a três quanto mais com quatro ou seis, ou dez...). Isto aconteceria somente se não tivesse namorada.

    Acredito que seja muito complicado entrar e manter uma situações destas.

    Não consigo entender o que leva estas situções a acontecer, Procura-se novas fantasias sexuais? Excitam-se a ver a mulher a fazer sexo com outro, ou será mais ter sexo com a mulher do outro?? Será que depois fortalece a relação? Não sei, mas não me parece... Isto não será mais uma questão de traição assumida e consentida??
    Quais serão as VERDADEIRAS razões que leva um casal a esta prática?

    Isto esta a ficar longo.. mas acho que ja é tempo de acabar de vez com este tabu que é o sexo e tudo que ele implica.

    Abraço

    P.S.: Em praticamente tudo, as pessoas dizem: "É a lberdadede de cada um..."; "Cada um sabe de si..."; entre outras coisas. Se assim fosse, fim do post, mais nada, sem grandes comentarios. Acho que as pessoas de uma forma geral se mantem muito à margem de problemas que lhes digam ou não respeito.(directa ou indirectamente)

    ResponderEliminar
  106. Pois é Swing tenho uma certa curiosidade, mas não sei como confrontar a minha parceira, ela nesse campo é um bocado mais conservadora k eu. Talvez um dia.
    Mas ainda bem k se fala, comenta e critica no bom sentido da palavra, é tb p isso k existem os blogs e este tipo de reportagens.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  107. Não critico, não condeno, mas para mim não!

    Simplesmente não consigo aceitar que alguma mulher tenha sexo com o meu homem, por mais lúdico que possa ser, ...

    Ui só de imaginar até fervo!

    Mas se gostarem e partilharem do mesmo desejo, maravilha.

    Agora para mim não dá.

    bjs

    ResponderEliminar
  108. Embora não seja contra, eu não me imagino numa situação dessas. não gostaria de saber que a pessoa que eu amo estava com outra pessoa e vice-versa. beijinho

    ResponderEliminar
  109. tb n sou apologista...msm nunca o tendo experimentado, n tenho grande interesse nisso...

    beijos incomuns da ci

    ResponderEliminar
  110. Liberdade de expressão , liberdade de gestos (sem "pisar" a liberdade do outro), o que importa aqui é o tentar se realizar. A vida é demasiado rápida.

    ResponderEliminar
  111. ana: seria pedir de mais, que tentasses dizer que filme é? gostava de o poder ver.

    ResponderEliminar
  112. no tunel: será do tema?:) De qualquer forma ainda bem que decidiste comentar!
    Sem namorada seria swing?
    já várias pessoas aqui deixaram a questão se será uma traição consentida. Tanto quanto sei, traição implica uma deslealdade bem como ser infiel. Dizer então isso sobre algo que é feito a dois é no mínimo estranho. Julgo que as mais diversas motivações podem estar presente no gosto que os casais tê pelo swing. Quanto ao fortalecer a relação, muito sinceramente sou levado a dizer que sim. porquê? Porque entendo que tudo que é feito a dois, por vontade dos dois, sendo bom para os dois, só pode reforçar a relação. E isto tanto é valido para o swing como para todas as questões que envolvem um casal. Espero não estar enganado.

    ResponderEliminar
  113. anonimo: que tal perguntar algo do género: "qual é a tua opinião relativamente ao swing?" de certeza que isso levará a pano para mangas sem ferir susceptibilidades.

    ResponderEliminar
  114. tia: estamos a ser tendenciosos?:)

    ResponderEliminar
  115. mary: não gostarias de saber? mas não era suposto ser feito junto?

    ResponderEliminar
  116. ci: ok, apologista dizes que não. agressora foi omissão?;)

    ResponderEliminar
  117. fi: mas convêm saber o que se quer correcto?

    ResponderEliminar
  118. Ai noivo...geraste aqui uma 'discussão' sobre swing q não acaba...lol Se juntarmos ao post, os melhores comentarios de quem te lê, e as tuas opinioes, dará na certa, entrevista numa qq estação de televisão ou melhor REPORTAGEM! lololol
    Bons swings! ;))

    ResponderEliminar
  119. attitude: e isso não algo bom? acho que sim:)
    Bons swings então tb para ti!

    ResponderEliminar
  120. Gostei imenso deste teu post! Ironicamente foi um post teu ha muito tempo atras que me suscitou curiosidade sobre isto do swing!
    Como tu, não condeno nem sou a favor. Acho que cada um tem o direito de viver a sua sexualidade sem ser julgado. Mas como tudo o que se conhece mal, é mal interpretado!!

    beijos

    ResponderEliminar
  121. Gaja boa 2: coincidências:)
    da forma que falas até parece que já foi na pré-história:)

    ResponderEliminar
  122. Tens um prémio...hmmmmm.... "diferente" no meu blog!
    Vai lá recebê-lo. Ou então não....
    ;o)

    Abraço

    ResponderEliminar
  123. Caro Noivo penso que toda a relação gira na busca incessante do prazer,na descoberta e na procura e somos nós próprios que lhe impomos aqueles que achamos que devem ser os limites.
    A partir daí e havendo sintonia entre o casal,limites impostos por ambos e a vontade de juntos descobrirem e procurarem algo mais para, para mim sim,tudo é valido.
    Mas apenas quando assim é!Quando os limites e a sintonia permanecem válidos.
    Penso que quando um não partilha da fantasia de outro,as coisas pura e simplesmente não devem ser feitas,de resto meu caro Noivo o céu é o limite,(O meu limite tenho conseguido atingir no prazer a dois).

    Beijinhoo,:D
    Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  124. Noivo...respondendo à tua pergunta ou curiosidade, para mim tudo o que nos dá prazer na vida é óptimo! E calculo, que para nós a expressão de liberdade é um prazer...caso contrário não estariamos aqui! A vida não tem como único prazer o sexo! É mto mais q isso...
    Boas vibrações!

    ResponderEliminar
  125. Passando para desejar bom fds.
    Abraço

    ResponderEliminar
  126. Conhecendo-me como me conheço, não sou capaz de o fazer, sou muito de quem amo, sou de loucuras, mas apenas com a pessoa que amo e só com ela, não é que tenha uma mente fechada, mas sou muito pelo romance, não seria capaz de ver a mulher que amo nos braços de outro homem, e tombem falando de mim, não sou capaz de me entregar a uma pessoa que não sinta nada, falo ao nível de sentimento de amor, pois atracção física pode existir, mas se não existir aquele clique do amor, para mim não dá.

    Abraços grandes

    ResponderEliminar
  127. Acho que amando a minha namorada como amo, seria impossivel ver outro "gajo" a ter relaçoes com ela ali ao meu lado, bem como nem eu me ia sentir a vontade de tar a faze lo ali ao pe dela tambem:S

    agora quem o faz e feliz...parabens, acho que e preciso uns grandes "tomates" para isso...eu nao me sentia de todo a vontade...aaasss...to fora=S

    =Dcumps a todos

    ResponderEliminar
  128. Não sou a favor nem contra, mas respeito a vontade de cada casal que o faz.
    Gostei do teu blog vou voltar.
    Um bom fim-de-semana
    Beijinhos da Bel

    ResponderEliminar
  129. Em resposta à tua pergunta eu sou a favor, sendo o swing c/ consentimento do parceiro n há qualquer problema, tambem n considero uma traiçao mas acho k por outro lado ia mexer c os nossos sentimentos e talvez visse a relaçao de outra forma.
    Pensando bem, fico como estou, se algum dia se proporcionar n digo k n.

    Abraços

    ResponderEliminar
  130. ana: qualquer meio é válido:)

    ResponderEliminar
  131. attitude: se fosse só sexo tavamos bem tramados:)

    ResponderEliminar
  132. fotografa: desejo um excelente fds também!

    ResponderEliminar
  133. blogogamico: entendo-te perfeitamente, acredita!

    ResponderEliminar
  134. anónimo: anda aí muita gente com "big balls" então:)

    ResponderEliminar
  135. bel: sempre que quiseres. E podes ser lida?

    ResponderEliminar
  136. anónimo do algarve: acho que estas bem na tua resposta.:)

    ResponderEliminar
  137. Definitivamente não é "a minha praia". Não censuro quem o faz, até porque como tudo na vida, desde que não se prejudique ninguém cada qual é livre de viver como lhe aprouver.

    Beijinhos e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  138. Bom texto... é do tipo de temas que o Pong adora ver abordado pelas mais variadas razões. E quando vi as fotos... achei que est blogue tem razão de ser quando se chama tesão. Inspiraste-me, e usei uma foto parecida... mas o tema acho que nada tem a ver... ;)

    ResponderEliminar
  139. Olá noivo,boa noite...obrigada pela sugestão, mas vou dar-te a minha...fecha os botões que não queres ouvir, e pronto só houves a musica que queres...
    Abraçito

    ResponderEliminar
  140. Por partes, só umas achegas ao "chat"

    1 - Tenho fundamento (se quiseres pergunta-me que eu respondo-te em privado) para dizer que em Portugal há no maximo 5000 casais SW. Isto sao SÒ 10.000 pessoas num universo de 10 milhoes. No entanto é incrivél o fru-fru que 1% da população consegue causar.

    2 - O SW é como o Surf: Só quando estas na onda é que sabes se a conseges montar ou se vais cair. O que nos leva ao ponto 3...

    3- Por isso o SW é um acelerador de relações: Se elas estão boas ficam mais sólidas. Se estão frageis, destroias.

    4 - Por incrivél que possa parecer (mas por outro lado, se pensarmos bem, até faz todo o sentido) quem controla o ambiente SW são as mulheres.

    5 - A tendencia natural de casais SW é, com o tempo, establecer relações de amizade com outros casais, exactamnte iguais ás de qualquer outro casal não sw. Vão jantar a casa uns dos outros, vão á praia, estão com os filhos, etc, etc. Só que ás vezes... Fazem outras coisas que os casais não sw não fazem. Digamos que nessa amizade há mais uma dimensão.

    6 - Não é assim um meio tão dificil ou hermético como se julga.

    Noivo... Tu estás lá! :) Muito bom post!

    ResponderEliminar
  141. Thanks pela espreitadela e... um sentido abraço (de preocupação) por teres gostado do prémio.

    Bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  142. simone: acredito que não seja. Há diversos tipos de praias:)

    ResponderEliminar
  143. pong: obrigado! Um gajo tenta:)

    ResponderEliminar
  144. fotografa: ok! Mas deixa que diga que isso não é sugestão. É uma necessidade:)

    ResponderEliminar
  145. fotografa: quase me esquecia de dizer que achei piada responderes aqui e não no teu:)

    ResponderEliminar
  146. neo: 1, 2 e 3: Concordo!
    4: Em grande parte será, mas convém dizer que é um controlo consentido.
    5 e 6: Totalmente de acordo!:)
    Obrigado pelo teu comentário!

    ResponderEliminar
  147. sorrisos: não te preocupes:) "caga" nisso:)

    ResponderEliminar
  148. axo que é bom de se ver, da prazer, é sensual.. atrai.. mas nao sei para quem sera mais xitante, se para eles, se para elas...!!

    força nisso, um abraço!

    ResponderEliminar
  149. ahahah! nao, noivo, 'linkado' nao é 'marcado', é só um link do meu blog para o teu, ja que acho que aqui tens uma pérola da blogosfera, nao so pelo que escreves e a maneira como moderas os comentários, mas também pelos comentários em si. com muito diversas opinioes, mas é evidente que aqui tens interessantissimos leitores.

    um excelente fim de semana e espero ansiosamente pelo proximo post, antes que todo o conteudo do teu blog se passe para esta caixa de comentários ;)

    ResponderEliminar
  150. mais umas quantas opiniões, numa perspectiva um pouco diferente: http://queridaconfissao.blogspot.com/2007/06/ser-preconceito.html

    ResponderEliminar
  151. Loja online especialista na melhor selecção de lingerie sofisticada, sexy e sensual. Uma invasão de charme, glamour e sedução.
    http://www.soparaela.net/

    ResponderEliminar