Site Meter

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Relações versão 2015

Como deveriam ser as relações conjugais?
 Idealmente seriam sempre baseadas no amor, no companheirismo, na distribuição de tarefas domésticas, responsabilidades económicas, responsabilidades paternais e confiança.
Talvez isto defina bem uma relação idealizada por muitos. para não dizer a maioria.
Para muitos é sinonimo da relação modelo.
Eu sou sempre tentado a acrescentar mais alguns condimentos......
Como seria de esperar...... coisas relacionadas com factores sexuais!
Sem abrir mão de nenhum dos items anteriores, a relação ideal teria provocação, teria confidências, teria individualismo, teria secretismo, teria perversão, teria ousadia, teria desejo e tesão.
Não teria tabus, não teria limites impostos, não teria receios de falar, não teria medos de experimentar, não teria o "politicamente correcto" nem teria entraves ao que se deseja fazer.
"Muito à frente", pensarão alguns de vocês!
"Muito por trás também", digo eu!
Aqui sou quem quero, aqui sou quem penso, aqui sou quem desejo ser e aqui sou EU!
Uma vontade louca de fazer, uma vontade louca de imaginar, uma vontade enorme de realizar, uma vontade enorme de gritar e uma vontade gigante de fazer acontecer.
Somos o que somos e não o que querem que sejamos.
Não sou mais nem menos que ninguém e os outros são como são.
Sou tudo o que vivi e tudo aquilo que quero viver!
Não sou um "molde" nem quero moldar ninguém.
Quero genuinidade, quero ousadia, quero asas para voar e motivos para voltar.
Quero proporcionar e ser proporcionado.
Quero iniciativa e quero ser surpreendido.
Quero surpreender e ser apreciado por isso.
No fundo quero...... tudo o que me é possível, porque sim! E basta!
O céu como limite é coisa anterior à exploração espacial!
Os limites são terrenos, os prazeres carnais e os orgasmos urgências!
Feliz 2015!

Sem comentários:

Enviar um comentário